Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Jesse Pandolpho Teixeira

Nasceu em 25 de fevereiro de 1918, em Vitória (ES).

Filho de Sebastião Gomes Teixeira e Alcina Pandolpho Teixeira.

Graduado em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (1939). Especializou-se em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1942).

Professor Titular de Cirurgia Torácica do Instituto de Aperfeiçoamento Médico, atualmente Centro de Ciências Médicas e Biológicas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi Chefe do Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital Sanatório Santa Maria (1945), da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (1957) e do Instituto de Cardiologia Aloysio de Castro (1970). Também ministrou cursos de aulas dadas a convite de outras instituições de ensino.

Fez parte de várias Sociedades Médicas, nacionais e internacionais, como a Sociedade Brasileira de Tuberculose e a Associação Médica Pan Americana. Foi ainda Presidente do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1962) e Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Insuficiência Respiratória e Inaloterapia (1969), do Colégio Brasileiro de Angiologia (1965) e do International Broncho-Esophagological Society (1959).

Integrou diversas Comissões examinadoras de concurso para admissão de médicos em várias instituições científicas e compareceu a várias reuniões científicas, nacionais e internacionais. Proferiu cerca de 31 conferências no país e 6 no exterior, apresentou e publicou trabalhos relacionados à sua especialidade, como “Risco Cirúrgico e Bronscopneumopatias Crônicas” e “Necessidade do Ensino da Cirurgia Torácica”. Participou de inúmeros congressos, simpósios e mesas redondas.

Foi agraciado com vários prêmios, podendo-se destacar o Prêmio Austregésilo, conferido pela Academia Nacional de Medicina (1957), o Prêmio de Cirurgia, pela Sociedade Acadêmica de Medicina e Cirurgia (1939), e por duas vezes o Prêmio Paes Leme, conferido pela Sociedade Brasileira de Tuberculose (1948 e 1951).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cirurgia do Carcinoma Brônquico Primitivo”.

Faleceu em 28 de novembro de 1993.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 479

Cadeira: 29 - Daniel de Oliveira Barros D’Almeida

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 26/11/1970

Posse: 25/06/1971

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Antecessor: Jorge Moitinho Dória

Falecimento: 28/11/1993

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 479

Cadeira: 29 - Daniel de Oliveira Barros D’Almeida

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 26/11/1970

Posse: 25/06/1971

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Antecessor: Jorge Moitinho Dória

Falecimento: 28/11/1993

Nasceu em 25 de fevereiro de 1918, em Vitória (ES).

Filho de Sebastião Gomes Teixeira e Alcina Pandolpho Teixeira.

Graduado em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (1939). Especializou-se em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1942).

Professor Titular de Cirurgia Torácica do Instituto de Aperfeiçoamento Médico, atualmente Centro de Ciências Médicas e Biológicas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi Chefe do Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital Sanatório Santa Maria (1945), da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (1957) e do Instituto de Cardiologia Aloysio de Castro (1970). Também ministrou cursos de aulas dadas a convite de outras instituições de ensino.

Fez parte de várias Sociedades Médicas, nacionais e internacionais, como a Sociedade Brasileira de Tuberculose e a Associação Médica Pan Americana. Foi ainda Presidente do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1962) e Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Insuficiência Respiratória e Inaloterapia (1969), do Colégio Brasileiro de Angiologia (1965) e do International Broncho-Esophagological Society (1959).

Integrou diversas Comissões examinadoras de concurso para admissão de médicos em várias instituições científicas e compareceu a várias reuniões científicas, nacionais e internacionais. Proferiu cerca de 31 conferências no país e 6 no exterior, apresentou e publicou trabalhos relacionados à sua especialidade, como “Risco Cirúrgico e Bronscopneumopatias Crônicas” e “Necessidade do Ensino da Cirurgia Torácica”. Participou de inúmeros congressos, simpósios e mesas redondas.

Foi agraciado com vários prêmios, podendo-se destacar o Prêmio Austregésilo, conferido pela Academia Nacional de Medicina (1957), o Prêmio de Cirurgia, pela Sociedade Acadêmica de Medicina e Cirurgia (1939), e por duas vezes o Prêmio Paes Leme, conferido pela Sociedade Brasileira de Tuberculose (1948 e 1951).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cirurgia do Carcinoma Brônquico Primitivo”.

Faleceu em 28 de novembro de 1993.