Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Jorge Fonte de Rezende Filho

Nasceu em 21 de maio de 1966, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Jorge Fonte de Rezende e Carmem de Barros de Castro e Rezende.

Graduou-se em Medicina em 1989 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Simultaneamente ao seu ingresso (1984) na Universidade, ingressou também no Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia, onde estagiou na 33ª Enfermaria, passando a Interno-Auxiliar em 1987.

Após a graduação, realizou concurso para Residente do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na área de Ginecologia e Obstetrícia, permanecendo por três anos no Hospital e na Maternidade-Escola (1990-1993).

Foi aprovado no concurso de seleção para o Curso de Especialização em Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990). Estagiou no King’s College Hospital, no serviço do Professor Stuart Campbell, em Londres (1989), onde foi médico visitante em diversas ocasiões. Médico-visitante do Service de Médecine et de Biologie Foetales, no Institut de Puériculture de Paris (1991). Médico-visitante do Department of Obstetrics & Gynecology do Presbiterian Hospital in the City of New York (1991). Médico-visitante da Perinatal Unit of the Department of Obstetrics, Gynecology anda Reproductive Sciences, do Mount Sinai Medical Center (1991).

Já em 1991, realizou Mestrado na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sendo classificado em 1º lugar, com tese sobre “Valores Normais do Dopler da Aorta Descendente e da Carótida Comum do Feto”. A defesa da tese do Doutorado, também pela UFRJ, ocorreu em 1998.

Engajou-se na Pós-graduação da UFRJ, galgando, em 2015, sua retomada, com o início das atividades do Mestrado Profissional em Saúde Perinatal.

Professor Adjunto da Escola de Medicina da Fundação Técnico-Educacional Souza Marques desde 1990, onde exerce a função de Chefe do Departamento de Tocoginecologia. Professor Assistente do Curso de Especialização em Obstetrícia do Instituto de Pós-graduação Médica Carlos Chagas (1991-1998). Professor Titular Interino da Escola Médica de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1992-2010) e Professor Adjunto de Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade Gama Filho (2008-2013). Foi também Professor Voluntário de Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFRJ até 1993, quando, através de concurso, passou a fazer parte do quadro efetivo da Universidade, tendo sido promovido a Professor-Associado.

Realizou no COPPEAD (UFRJ) curso de Gestão em Saúde (2000) e é Livre-docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2002).

Ingressou como autor na obra “Obstetrícia Fundamental” a partir de sua 11ª edição (2008), literatura adotada pela grande maioria das Escolas de Medicina e Enfermagem do Brasil.

Ascendeu, em 2011, a Professor Titular de Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Chefe da Emergência Obstétrica do Hospital e Maternidade Santa Lúcia (2013).

Agraciado com o Prêmio Ivolino Vasconcelos (2013) e com a Medalha Fernando de Magalhães (2015).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Doença Trofoblástica Gestacional”.

Currículo lattes

Memória: “Doença Trofoblástica Gestacional”

Discurso de Saudação

Discurso de Posse

Discurso do Presidente da ANM

Hildoberto Carneiro de Oliveira

Nasceu em 15 de outubro de 1940, em Boca do Acre (AM).

Filho de Augusto Ventura de Oliveira e Elvira Carneiro de Oliveira.

Graduou-se em Medicina pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro – UNIRIO (1966). Possui Mestrado em Ginecologia pelo Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (1975); Doutorado em Ginecologia pelo Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (1992) e Livre Docência pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO (1992).

Professor Adjunto aposentado de Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Professor Associado do Curso de Pós-Graduação em Ginecologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ); Professor de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iguaçu (UNIG); Professor de Semiologia Médica da Escola de Medicina da Fundação Técnico-Educacional Souza Marques; Professor Titular aposentado de Ginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Diretor Técnico do Hospital Municipal Pedro II e do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. Vice-Presidente da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (SOMER); Presidente do Núcleo de Segurança do Paciente do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e do Hospital Municipal Pedro II.

Em 1982 foi aprovado em 1º lugar no Concurso Federal para médicos, sendo lotado no Hospital da Posse, onde organizou o Serviço de Ginecologia e chefiou-o por 10 anos. Além deste fato, fundou e dirigiu a Casa de Saúde São Marcos por 20 anos.

Presidente da Associação Médica de Nova Iguaçu (AMNI).

Fundador da Confederação de Ginecologia e Obstetrícia do MERCOSUL (1997). Membro da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG); Membro do Conselho Municipal de Saúde de Nova Iguaçu; Membro Titular da Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (ACAMERJ); Membro Titular da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO); Membro Titular da American Fertility Society (AFS); Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, tendo sido diretor da Secção de Ginecologia em dois mandatos (2000-2001 e 2002-2003).

Recebeu a Medalha de Mérito Comendador Soares (2008) – insígnia mais significativa da Cidade de Nova Iguaçu. Recebeu também o título de Cidadão Honorário da Cidade de Nova Iguaçu (2011) e da Cidade do Rio de Janeiro (2013).

Integrou o Conselho Estadual de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e da Comissão Intersetorial de Saúde da Mulher do Conselho Estadual de Saúde. Secretário de Saúde do Município de Nova Iguaçu.

É Editor do Tratado de Ginecologia da FEBRASGO, sendo até hoje o livro de Ginecologia mais vendido do Brasil.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Câncer da Vulva”.

Faleceu em 8 de junho de 2020 no Rio de Janeiro. 

Maurício Gomes Pereira

Nasceu em 15 de janeiro de 1937, em Belo Horizonte (MG).

Filho de Paulo Gomes Pereira e Júlia Badejo Gomes Pereira.

Graduou-se em Medicina pela Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1962. Possui especialização em Pediatria pela Associação Médica Brasileira e em Saúde Pública pela Universidade Livre de Bruxelas. Mestrado em Planejamento de Saúde pela mesma Universidade. Doutorado em Epidemiologia pela Universidade de Columbia, Nova York.

Professor da UnB desde 1968, lecionou para a primeira turma graduada em Medicina da instituição. Em 2012, recebeu o título de Professor Emérito da UnB. Sua atuação incluiu participação em ensino, pesquisa, extensão, administração e orientação de alunos de graduação e pós-graduação.

Foi assessor de diversas instituições, tanto nacionais – CNPq, CAPES, FINEP, Ministério da Saúde e Ministério da Educação – quanto internacionais – UNESCO, UNICEF, Organização Pan-Americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde. Foi também assessor e Membro Emérito da Rede Brasileira de Informação para a Saúde (Ripsa).

Fez treinamento em Clínica Médica, Nutrição, Doenças Infecciosas e Saúde Pública nas Universidades de Madri e Bruxelas. Sua vida acadêmica se desenvolveu na Universidade de Brasília, com participação em ensino, pesquisa, extensão, administração e orientação de alunos de graduação e pós-graduação.

Foi um dos organizadores e redatores do livro “Indicadores Básicos para a Saúde no Brasil: Conceitos e Aplicações”. Também é autor do livro “Epidemiologia: Teoria e Prática. Levou dez anos para escrever a obra “Artigos Científicos: como redigir, publicar e avaliar”, voltado a todos os campos de pesquisa. Atualmente, ensina Método Científico no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, na UnB.

Membro da primeira Diretoria da Sociedade Brasileira de Pediatria (1969) e Membro da Academia de Medicina de Brasília (2010). Foi homenageado em diversas ocasiões, como na ocasião dos 25 anos do Departamento de Nutrição da UnB (2000); recebeu o Prêmio Saúde Brasília de Impacto Científico (2010); homenageado pelo Ministério da Saúde pela relevante contribuição no exercício de suas atividades acadêmicas na UnB para a pesquisa na área da Medicina (2012).

Sua linha de pesquisa envolve comunicação científica, saúde baseada em evidências e informações para decisões sobre a saúde.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Evidências Científicas em Medicina: A Contribuição da Epidemiologia”.

Memória: “Evidências Científicas em Medicina: A Contribuição da Epidemiologia”

Natalino Salgado Filho

Nasceu em 25 de julho de 1946, na cidade de Cururupu (MA). Filho de Natalino Salgado e Ivete Caldeira Salgado.

Após concluir a educação elementar em Cururupu, transferiu-se para São Luís para cursar o ginasial e o científico no Colégio de São Luiz. Em 1973, graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Maranhão. Fez residência em Clínica Médica na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e em Nefrologia na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Hospital Pedro Ernesto).

Em 1975, ingressou no Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, atualmente incorporado no Ministério da Saúde. Em 1978, fundou o Serviço de Nefrologia do Estado do Maranhão, foi responsável por trazer para São Luís o primeiro rim artificial e realizar o primeiro procedimento de hemodiálise do Estado do Maranhão. Em 1980, fundou a primeira Residência Médica no Estado do Maranhão.

Mestre em Medicina (Nefrologia) pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-1987), e, na mesma instituição, concluiu seu doutorado (1994). Especializou-se em Clínica Médica, Nefrologia, Didática de Nível Superior, Imunologia e Capacitação Gerencial de Dirigentes Hospitalares durante a carreira.

Professor Titular do Departamento de Medicina do Centro de Ciências Biológicas da Saúde da UFMA, é também docente de diversos Programas de Pós-graduação na Universidade Federal do Maranhão, como os Programas de Ciências da Saúde e Saúde do Adulto e da Criança.

Fundador e primeiro Presidente da Sociedade Maranhense de Nefrologia e membro do Departamento de Nefrologia Clínica da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Foi Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia no biênio 2007-2008. Em 1989, presidiu o Conselho de Cogestão do Hospital do Instituto de Presidência do Estado do Maranhão – IPEM. Foi Presidente da Comissão de implantação do Hospital Universitário, em 1990/1991. Com a criação do Hospital Universitário/UFMA, integrou seu Conselho Administrativo (1990-1994) e chefiou o Serviço de Nefrologia (1991-2010). Foi Diretor Geral do Hospital Universitário no período de 1997 a 2007, e sagrou-se eleito Reitor da Universidade Federal do Maranhão, para 2 mandatos, de 2007 a 2015.

Membro da Academia Maranhense de Medicina e do Instituto Histórico-Geográfico Maranhense. É Membro das Sociedades: Brasileira de Hipertensão Arterial, Brasileira de Nefrologia (SBN), International Society of Nephrology (ISN), American Society of Nephrology (ASN), Brasileira de História da Medicina, Maranhense de Ciências, Letras, Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGMA) e SOBRAMES.

Além disso, é Membro do Comitê de Ligas Estudantis de apoio à Nefrologia; Editor de Seção/Nefrologia e Epidemiologia Clínica do Brazilian Journal of Nephrology. É Chefe do Serviço de Nefrologia do HUUFMA e Coordenador do Projeto PREVRENAL. Dedica-se, em Nefrologia, aos temas da Hipertensão Arterial e Doença Renal Crônica.

Publicou mais de 400 trabalhos em revistas especializadas e em anais de congressos nacionais e internacionais. Publica semanalmente artigos em jornais. Possui diversas condecorações e títulos honoríficos.

Currículo Lattes

Memória: “Avaliação dos marcadoresde lesão renal e co-morbidades em afrodescendentes de comunidades remanescentes de quilombo”

Discursos da Cerimônia de Posse

Paulo Marcelo Gehm Hoff

Nasceu em 8 de setembro de 1968, em Paranavaí (PR).

Possui graduação em Medicina pela Universidade de Brasília (1991). Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo (2007).

Fez Residência em Medicina Interna no Jackson Memorial Hospital da Universidade de Miami. Especialização em Hematologia no Baylor College of Medicine e especialização em Oncologia no M. D. Anderson Cancer Center, da Universidade do Texas.

Teve longa e sólida formação nos EUA durante 7 anos e depois passou a atuar na assistência e pesquisa, sendo Professor Associado e Vice-Chefe do Departamento de Gastroenterologia do M. D. Anderson Cancer Center da University of Texas durante vários anos.

Retornando ao Brasil, obteve a Livre-Docência pela Faculdade de Medicina da USP e tornou-se Professor Titular de Oncologia da mesma Faculdade.

Diretor Geral do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) e Diretor Geral do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês.

Tem cerca de 300 publicações, com 5.400 citações e Fator H = 34.

Vice-presidente do Grupo Técnico de Tumores Gastrointestinais da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e Membro da Congregação da Faculdade de Medicina da USP.

Membro do Conselho Diretor da American Society of Clinical Oncology e Presidente da Comissão Científica em Vigilância da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Diretor do Grupo de Câncer Colorretal do National Surgical Adjuvant Bowel and Breast Project (NSABP) e do Southwest Oncology Group (SWOG) e coordenador do Núcleo de Estudos Clínicos em Câncer (NECC) do Hospital Israelita Albert Einstein.

Fellow do American College of Physicians; Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC); Membro da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC); Membro da American Society of Clinical Oncology (ASCO); Membro da European Society for Medical Oncology (ESMO).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Evolução do tratamento clínico do câncer do cólon e reto”.

Currículo Lattes

Memória: “Evolução do Tratamento Clínico do Câncer de Cólon e Reto”

Discurso de Posse

Rossano Kepler Alvim Fiorelli

Nasceu em 12 de março de 1963, em Três Rios (RJ). 

Filho de Humberto Reis Fiorelli e Francisca Alvim Fiorelli. Descendente de família italiana (avós paternos da Província de Potenza e maternos de Bologna), sua família manteve uma vida humilde e digna ligada à agricultura e ao comércio.

Foi aprovado em 2º lugar para Medicina na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Graduou-se em 1988, tendo como patrono e paraninfo respectivamente os Acadêmicos Azor José de Lima e Carlos Alberto Basílio de Oliveira. Mestrado em Cirurgia Torácica (1997) pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutorado em Cirurgia Geral – Setor Cirurgia Torácica (2001), pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Livre-docência em Técnica Cirúrgica e Cirurgia Experimental na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Realizou Residência Médica em Cirurgia Torácica no Serviço de Cirurgia Torácica e Cardiovascular do Hospital da Beneficência Portuguesa do Rio de Janeiro, acoplado ao Curso de Especialização em Cirurgia Torácica da PUC-RJ, sob a direção do Prof. Dr. Jesse Pandolpho Teixeira, considerado Mestre da Cirurgia Torácica Brasileira e um dos mais renomados cirurgiões torácicos do mundo.

Em 1990, realizou concurso da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro para o cargo de Cirurgião Torácico, sendo aprovado em 1º lugar e passando a integrar o Serviço de Emergência do Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV), chefiado pelo Prof. Dr. Levão Bogossian.

Professor Titular do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da UNIRIO, por Concurso de Títulos e Provas (2002). Nesta mesma Universidade, foi Coordenador do Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral, Coordenador do Curso de Pós-Graduação lato sensu em Cirurgia Geral, e, eleito por seus pares em 2013, Chefe do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada. Vice-Diretor da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO desde 2013.

Professor Titular de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina da Universidade Severino Sombra (USS), desde 2013. Professor Coordenador da Disciplina de Clínica Cirúrgica Especializada da Faculdade de Medicina da Universidade Estácio de Sá, desde 2013.

Recebeu a Comenda Medalha Barão Ribeiro de Sá, da Câmara de Vereadores de Três Rios (2009); Comenda Medalha Tiradentes, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (2010); Comenda Medalha Pedro Ernesto, da Câmara Municipal do Rio de Janeiro (2012); Título de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro (2010).

Sua produção científica consta de 4 teses, 4 monografias, 50 trabalhos publicados em periódicos e anais de congressos nacionais e internacionais, 2 capítulos de livros e 1 livro publicado, além de 215 participações em Congressos, Jornadas e Simpósios.

É Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e das Sociedades de Pneumologia do Estado do Rio de Janeiro, Brasileira e Sul-Americana de Cirurgia Torácica, Brasileira e Pan-Americana de Atendimento Integrado ao Trauma.

Na ocasião de sua posse como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Bócio Mergulhante: Resultados de 166 Casos Tratados Cirurgicamente”.

Currículo Lattes

Memória: “Bócio Mergulhante: Resultado de 166 casos tratados cirurgicamente”

Marcelo Marcos Morales

Nasceu em 15 de dezembro de 1968, em São Paulo (SP). Filho de José Odir Morales e Ivani Santini Morales. Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 1995.

Obteve Doutorado pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho em 1998, defendendo tese intitulada “Estudo da Expressão e Modulação de Transportadores ao Longo do Néfron: Implicações Fisiológicas”. Cursou Pós-doutorado no The John Hopkins University School of Medicine em 2003.

Foi aprovado em concurso público para o cargo de Professor Adjunto, na área de Fisiologia Renal, do Instituto de Biofísico Carlos Chagas Filho da UFRJ em 1998.

Atualmente Secretário de Estado para Formação e Ações Estratégicas do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC). Ex-Diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do CNPq, Ex-Presidente da Federação Latino Americana de Sociedades de Biofísica (LAFeBS); Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Biofísica (SBBf) e seu Secretário Geral. Ex-Coordenador do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA-MCTIC); Ex-Presidente da Comissão de Ética com Animais da UFRJ; Presidente da União Internacional de Biofísica (IUPAB) para o triênio 2017-2020.

Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação Latino Americano de Biofísica (POSLATAM – ligado a IUPAB) e da Pós-Graduação – Fisiologia da UFRJ. Foi Secretário da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE) e Secretário da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Como Professor Associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem sua linha de pesquisa centrada na área de Biofísica, com ênfase em Biofísica Celular e Biologia Molecular, Terapias envolvendo células tronco, nanotecnologia e terapia gênica.

Seu currículo vitae revela alta atividade didática tanto na área de Graduação como de Pós-graduação. Orientou 28 teses de mestrado, 32 teses de doutorado e conduziu a supervisão de 14 pós-doutorados.

Sua produção cientifica é intensa, constituída até o momento de 166 artigos científicos publicados em revistas internacionais indexadas, além de livros e capítulos de livros.

Curriculo Lattes

Memória: “A mutação no resíduo de Tirosina do Capsídeo do vírus Adeno-Associado do tipo 9 (AAV9) torna a Transferência Gênica para as vias respiratórias eficaz e segura”

Discurso de Posse

Walter Araujo Zin

Nascido no Rio de Janeiro em 16 de junho de 1952.

Ocupa, desde o dia 05 de maio de 2015, a cadeira de nº 100 da Secção de Ciências Aplicadas à Medicina.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975) e possui Mestrado (1979) e Doutorado (1984) em Ciências Biológicas (Biofísica), também pela UFRJ. Possui Pós-doutorado pela McGill University, Montreal, Canadá (1989).

Fundador e Chefe do Laboratório de Fisiologia da Respiração Professor Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993), tendo sido Diretor do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho entre 2001 e 2004. É Professor Visitante de várias Universidades no país e no exterior. Tem aproximadamente 350 conferências proferidas no Brasil e no exterior; 34 Mestres e 34 Doutores orientados. Além deste fato, o Acadêmico possui mais de 250 trabalhos indexados (cerca de 5200 citações, índice h = 35).

Atua como revisor “ad hoc” de cerca de 20 periódicos científicos de circulação internacional e Editor Associado das revistas “Frontiers in Physiology” e “Anais da Academia Nacional de Medicina”. Trabalha como colaborador de órgãos governamentais de gestão de Ciência, tanto a nível estadual quanto nacional.

É ex-Membro Titular do Conselho Consultivo da FINEP, do Conselho Superior da FAPERJ, do Comitê Gestor do Fundo Setorial da Saúde, da Comissão Intersetorial de Ciência e Tecnologia do Conselho Nacional de Saúde e do Comitê de Assessoramento BF-CNPq, que coordenou.

É afiliado à Sociedade Brasileira de Fisiologia (SBFis), onde já ocupou a função de Presidente; à Sociedade Brasileira de Biofísica; à Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia; à European Respiratory Society, onde exerceu a função de delegado representante do Brasil (2005-2008); à American Physiological Society e à American Thoracic Society. Exerceu a Presidência da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE, 2011-2015).

É membro Titular da Academia Brasileira de Ciências e recebeu os títulos de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico da Presidência da República, de Professor “Ad Honorem” da Faculdade de Medicina da Universidad de la Republica, no Uruguai, e Cidadão Benemérito do Município do Rio de Janeiro.

Possui experiência em Fisiologia e Fisiopatologia da Respiração, com atuação nos temas de mecânica respiratória, poluição atmosférica, ventilação artificial e modelos de doenças.

Currículo Lattes

Discursos da Cerimônia de Posse

Discurso proferido Conferência “Carlos Chagas Filho: uma Fértil Inquietude”, em 16/09/2020

Vídeo da Conferência “Carlos Chagas Filho: uma Fértil Inquietude” de 16/09/2020

Discurso de saudação ao Acad. Walter Zin proferido pelo Prof. Marcello na Cerimônia de Emerência na UFRJ em 09/08/2019

Discurso proferido pelo Acad. Walter Zin na Cerimônia de Emerência na UFRJ em 09/08/2019

José Luiz Gomes do Amaral

Nascido em São Paulo (SP) , em 24 de fevereiro de 1950. Possui as nacionalidades brasileira e portuguesa.

É médico registrado como especialista em Anestesiologia e Medicina Intensiva, no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, Brasil e, como especialista em Anestesiologia, na Secção Regional Norte da Ordem dos Médicos de Portugal.

Graduou-se em Medicina pela EPM-UNIFESP, em 1976 (diploma reconhecido pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Portugal, em 2005). Titulou-se especialista em Anestesiologia, em 1979 e, em Medicina Intensiva, em 2000. É portador do Título Superior em Anestesiologia – TSA/SBA, desde 1983.

Desenvolve carreira docente na EPM-UNIFESP, iniciada em 1980, como Professor Colaborador, passando a Auxiliar de Ensino, Assistente e Adjunto até assumir a Titularidade, em 1991, como Professor Titular da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva do Departamento de Cirurgia da Escola Paulista de Medicina – Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP).

Foi Assistente Estrangeiro na Faculdade de Medicina da Universidade “Louis Pasteur” de Strasbourg, França, em 1983-4. Realizou Mestrado, em 1981 e Doutorado, em 1987, em Cirurgia Vascular, Cardíaca, Torácica e Anestesiologia pela EPM – UNIFESP. Titulou-se Livre-Docente na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, em 1990.

É Membro Titular da Academia Nacional de Medicina desde 2015 (eleição 23/10/2014; posse 07/04/2015), da Academia de Medicina de São Paulo desde 2002, da Academia Cristã de Letras de São Paulo, desde 2007 e do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, desde 2011. É Membro Titular Honorário Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgiões desde 2013.

Foi Presidente da Associação Paulista de Medicina, gestões 1999 – 2002 e 2002 – 2005; Presidente da Associação Médica Brasileira, gestões 2005- 2008 e 2008 – 2011. É Membro fundador (2006) da Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP), entidade que presidiu em 2010-2011. Foi Presidente da Associação Médica Mundial/World Medical Association, gestão 2011 – 2012.

Foi Pró-Reitor de Planejamento da UNIFESP, em 2011-2012.

É responsável pelos Centros de Ensino e Treinamento da Sociedade Brasileira de Anestesiologia e da Associação de Medicina Intensiva Brasileira no Hospital São Paulo, Hospital Universitário da EPM-UNIFESP.

É Superintendente de Educação da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), desde 2014.

Tem experiência clínica na área da Medicina, nas especialidades Anestesiologia e Medicina Intensiva, sendo membro das Sociedades Brasileira (SBA) e Portuguesa de Anestesiologia (SPA), bem como da Associação Brasileira de Medicina Intensiva (AMIB). A SBA instituiu o “Prêmio Dr. José Luiz Gomes do Amaral”, prêmio conferido ao médico em especialização (ME) em Centro de Ensino e Treinamento (CET) credenciado pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), que durante o terceiro ano de sua especialização obteve a maior nota na prova nacional para ME elaborada pela SBA.

Currículo Lattes

Memória: “Controle da Hipertermia Maligna no Brasil”

Discursos da Cerimônia de Posse

Fabio Biscegli Jatene

Nasceu em 20 de março de 1955, em São Paulo.

Possui graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina da Fundação Universitária do ABC (1978), Doutorado e Livre-docência pela Faculdade de Medicina da USP (1991).

Professor Titular da Disciplina de Cirurgia Cardiovascular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP); membro do Conselho Deliberativo HCFMUSP; Vice-Chefe do Departamento de Cardiopneumologia da FMUSP. Vice-Presidente do Conselho Diretor e Diretor Geral do InCor HCFMUSP.

Tem atuação assistencial e de pesquisa em Cirurgia Torácica e Cardiovascular.

Idealizou e Fundou (1996) a Liga de Cirurgia Cardiotorácica (LCCT), que é um órgão pertencente ao Departamento Científico do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). A Liga tem como finalidades apresentar a cirurgia cardiovascular e torácica aos acadêmicos de várias faculdades de Medicina do Estado de São Paulo, além de promover diversas atividades científicas.

Participa como revisor ou membro dos seguintes órgãos: Conselho Editorial do Heart Surgery Forum; Arquivos Brasileiros de Cardiologia; Revista Brasileira de Pneumologia e Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Coordenador da Câmara Técnica do Projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira. Consultor Parecerista da FAPESP e CNPq.

Currículo Lattes

Mônica Roberto Gadelha

Nasceu em 23 de julho, no Rio de Janeiro.

Filha de Meton Porto Gadelha, advogado, e Nilza Roberto Gadelha, psicóloga. 

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ em 1989, quando obteve o prêmio estetoscópio de ouro (primeiro lugar da turma). Estagiária do Laboratório de Professor Fernando Steele da Cruz e do Ambulatório de Endrocrinologia do Professor Mário Vaissman, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF).

Médica residente dos Serviços de Endocrinologia e Nutrologia do HUCFF (1990-1993) e especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (título concedido em 1992). Mestrado (1995) e Doutorado (1999) em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da UFRJ, tendo realizado Doutorado sanduíche com bolsa concedida pelo CNPq na University of Illinois Chicago (UIC), sob orientação do Prof. Lawrence Frohman.

Professora Adjunta do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Professora Visitante da Queen Mary University of London. É membro da Diretoria do Departamento de Neuroendocrinologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e da European Neuroendocrine Association.

Coordenadora do Centro de Pesquisa em Neuroendocrinologia do Serviço de Endocrinologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), da UFRJ, e chefe do Ambulatório de Adenomas Hipofisários do HUCFF. É chefe do Laboratório de Biologia Molecular do Instituto Estadual do Cérebro (IEC) Paulo Niemeyer.

Na ocasião de sua posse na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Evolução Translacional do Tratamento Clínico da Acromegalia: Papel do MicroRNA miR-34a”.

Autora de mais de 100 artigos completos publicados em periódicos científicos. Membro do corpo editorial e revisora de diversos periódicos nacionais e internacionais. Suas principais linhas de pesquisa são: bases moleculares dos adenomas hipofisários e aspectos do diagnóstico e tratamento dos adenomas hipofisários (acromegalia, prolactinoma, doença de Cushing e adenomas hipofisários clinicamente não funcionantes).

Currículo Lattes

Ruy Garcia Marques

Nasceu em 21 de fevereiro de 1955, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ).

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em 1978.

Realizou Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário Pedro Ernesto – HUPE-UERJ, entre 1979 e 1981. É especialista em Cirurgia Geral pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC).

É Mestre em Cirurgia Gastroenterológica pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutor em Técnica Cirúrgica e Cirurgia Experimental pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Realizou pós-doutorado na Medical University of South Carolina, em Charleston, SC – EUA (2002-2003), no Serviço de Transplante de Órgãos, com ênfase no transplante de pâncreas e de ilhotas pancreáticas.

Entre janeiro de 2007 e janeiro de 2015, foi Presidente da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ).

Recebeu da Sociedade de Medicina e Cirurgia (SMCRJ) o título de Médico do Ano – 2014 e o de Doutor Honoris Causa da Universidade do Grande Rio – UNIGRANRIO.

Atualmente é Reitor da UERJ, tendo iniciado sua gestão em janeiro de 2016. É Professor Associado do Departamento de Cirurgia Geral da UERJ e coordenador da Disciplina de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental – FCM-UERJ. Coordena a área de concentração em Técnica Operatória e Cirurgia Experimental do Programa de Pós-Graduação em Fisiopatologia e Ciências Cirúrgicas (PG-FISIOCIRURGIA). Aprovado em concurso para Professor Titular do Departamento de Cirurgia Geral (FCM-UERJ) – Área de Cirurgia Experimental.

É Membro do Comitê de Ética em Pesquisa do HUPE-UERJ; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Membro da Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia (SOBRADPEC); Membro Titular da Academia Nacional de Medicina (ANM); Membro Titular da Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (ACAMERJ); Membro Titular da Associação Americana de Cirurgiões de Transplante (ASTS), Consultor e Parecerista Ad-hoc da Capes, do CNPq e da FAPERJ, Membro do Grupo Assessor da Diretoria de Programas e Bolsas no País da CAPES; Editor Associado da Revista Acta Cirúrgica Brasileira.

Atua na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Geral / Técnica Operatória e Cirurgia Experimental. Desenvolve linhas de pesquisa em: baço e sepse; nutrição experimental em Cirurgia; cicatrização e matriz extracelular; diabetes mellitus e transplante de pâncreas e de ilhotas pancreáticas; tumores no sistema digestivo. É bolsista nível 2 de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Currículo Lattes

Discurso de Saudação

Arno von Buettner Ristow

Nasceu em 13 de abril de 1949, em Brusque, Santa Catarina.

Filho de Arno Ristow e Ally e de Odette von Buettner Ristow. Mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo sido aprovado em 8º lugar em 1966. Realizou Internato em Cirurgia Geral no Hospital de Ipanema, em 1972.

Em 1973, ingressou no Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital Central do IASERJ, onde permaneceu por dois anos. Foi bolsista do Deutscher Akademischer Austauschdiesnst no Serviço de Cirurgia Vascular e Torácica da Universidade de Ulm, na Alemanha, e tem especialização em Cirurgia Vascular na mesma universidade.

Arno von Ristow é angiologista, cirurgião vascular, endovascular e especialista em angiorradiologia e em radiologia intervencionista pela AMB-CBR.

Em 1976, começou a trabalhar no Hospital Miguel Couto, no Serviço de Cirurgia Vascular, dirigido por Rodolpho Perissé. Três anos depois, passou a Chefe de Serviço, cargo exercido por quatro anos.

Em 1977, foi aprovado em concurso para médico do INAMPS em Cirurgia Vascular; devido à incompatibilidade de horários, pediu demissão do IASERJ, indo trabalhar na Casa de Portugal.

Em 1983, publicou seu primeiro livro, “Urgências Vasculares”, com a experiência acumulada no Hospital Miguel Couto. No mesmo ano, foi nomeado para a chefia de Angiologia e Cirurgia Vascular do Hospital da Beneficência Portuguesa.

Após convênio em 1984, tornou-se Professor Associado no Curso de Pós-Graduação em Cirurgia Vascular da Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Hoje o curso possui atuação na Clínica Sorocaba.

Diretor científico da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) e possui filiação em 11 sociedades médicas internacionais e 9 nacionais. Além de sua vasta produção bibliográfica, é membro do Conselho Editorial de diversas revistas especializadas.

Na ocasião de sua posse como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Evolução e o Estado da Arte no Tratamento do Aneurisma da Aorta Abdominal – Experiência com 1.444 Casos”.

Discurso de Saudação

Discurso de Posse

Celso Ferreira Ramos Filho

Nasceu em 01 de outubro de 1945, no Rio de Janeiro (RJ).

Graduou-se em Medicina pela UFRJ (1971). Pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior (Departamento de Educação da PUC-Rio), Mestrado em Doenças Infecciosas e Parasitárias (UFRJ) e Especialização em Epidemiologia Clínica pela Universidade de Newcastle (Austrália).

Professor Adjunto da UFRJ; Docente da Faculdade Souza Marques; Titular da Faculdade de Ciências Médicas de Volta Redonda (1975-1978) e Professor Auxiliar da Escola de Medicina e Cirurgia da UniRio (1975-1978). Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) e da Associação Médica Brasileira; Presidente das Sociedades de Infectologia do Rio de Janeiro, Brasileira de Infectologia, de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Na área internacional, foi representante da América Latina e do Caribe no Governing Council da International AIDS Society (IAS) e no Executive Committee da mesma associação. É Chair do Board of Trustees da International Association of Providers of Aids Care (IAPAC) e Sócio Correspondente da Associação Médica de Cooperação Lusófona e Iberoamericana (Lisboa).

Entre os prêmios e distinções, recebeu o prêmio Integración Latinamericano 2002, pela Câmara Internacional de Pesquisas e Integração Social; The World Medal of Freedom, (2007) concedida pelo American Biographical Institute. Recebeu diploma de Mérito Cultural 2011, da Academia Brasileira de Médicos Escritores, e também o Certificate of Appreciation and Recognition for Cooperation and Leadership in Planning and Implementing the Brazil-CDC Collaborative Aids Study, entre outros, aí incluídos premiações pela IAS e a concessão de uma Lifetime Membership, pela IAPAC. Em 2014 e 2015 foi homenageado pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde do Brasil, por ocasião do Dia Mundial de Luta Contra a Aids, em ambos os anos. Em 2016, foi incluído pela IAPAC entre 150 personalidades consideradas influentes da área de HIV/Aids no mundo, nos últimos 30 anos.

Membro do comitê científico de diversos periódicos nacionais e internacionais, consultor de vários órgãos internacionais e nacionais como OPAS, OMS, UNAIDS, Caribbean Epidemiology Centre (CAREC), Finep, Anvisa, entre outras instituições, além de ter chefiado três missões de cooperação técnica sobre HIV/Aids do Ministério da Saúde do Brasil junto a países da América Central e do continente africano. É coordenador da Câmara Técnica de Infecções Hospitalares e de Doenças Infecciosas e Parasitárias do CREMERJ, e Membro do Comitê Técnico Assessor para Terapia Antirretroviral de Adultos do Ministério da Saúde.

Palavras como Presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro sobre o falecimento do Acad. Ricardo Cruz

Antonio Egídio Nardi

Nasceu em 15 de dezembro de 1959, no Rio de Janeiro. 

Graduado em Medicina pela UFRJ (1984) e com Mestrado (1989) e Doutorado (1992) em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental pela mesma Universidade.

Realizou Pós-doutorado no Laboratório de Fisiologia da Respiração, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, durante 1997 e 1998. Obteve o título de Livre-Docente em Psiquiatria em 2004 pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio).

Professor Titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da UFRJ, coordenando a sede no Rio de Janeiro do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Translacional em Medicina (INCT-TM).

Fundador e coordenador do Laboratório de Pânico & Respiração do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro; International Fellow of the American Psychiatric Association; Editor-Chefe da Revista Brasileira de Psiquiatria; Editor-Chefe do Jornal Brasileiro de Psiquiatria (Scielo) e Editor Associado de inúmeras revistas científicas brasileiras e internacionais.

Publicou mais de 500 artigos científicos, mais de 79 capítulos de livros, 9 livros publicados e organizador de 12 livros.

Uma de suas diversas linhas de pesquisa envolve o estudo do transtorno de pânico, com o objetivo de identificar alterações fisiológicas à exposição em ambiente de realidade virtual. Em complementação, também se dedica à pesquisa de neuroimagem do transtorno do pânico associado à valência e ativação dos estímulos visuais. Também são estudados temas como transtorno de pânico com agorafobia (fobia de estar em multidão ou o medo de ter medo, antecipando sensações de pânico) e terapia cognitiva para desordens de pacientes com bipolaridade.

Currículo Lattes

Patricia Rieken Macêdo Rocco

Nasceu em 10 de outubro, no Rio de Janeiro.

Patricia é pesquisadora 1A do CNPq e Cientista do Nosso Estado da FAPERJ. No antigo ginasial e científico, Patricia foi aluna do Colégio de Aplicação da UERJ. Graduou-se em Medicina pela UFRJ em 1987, fez Mestrado (1992) e Doutorado (1995) em Ciências Biológicas (Biofísica) na mesma Universidade.

Trabalhou no Hospital Naval Marcílio Dias por quatro anos. Entretanto, como sua meta era ingressar no meio acadêmico, em 1992, foi aprovada como Professora Assistente do IBCCF.

Professora Titular da UFRJ e chefe do Laboratório de Investigação Pulmonar no IBCCF/UFRJ, onde realiza estudos experimentais e clínicos que objetivam a melhora da qualidade de vida dos pacientes com doenças respiratórias. Foi representante do Centro de Ciências da Saúde no CPPD, coordenadora da Graduação e Pós-graduação do IBCCF/UFRJ, bem como Chefe do Programa de Terapia Celular e Bioengenharia.

Já publicou mais de 200 artigos em revistas de impacto, 90 capítulos de livros, um livro de fisiologia respiratória e proferiu mais de 200 conferências em congressos nacionais e internacionais. Professora Visitante de diversas Universidades do Brasil e no Exterior (University of Vermont, University of Genoa, University of Upsalla, University of Insubria, University of Toronto, Technische Universität Dresden, The University of Munich, and University of Amsterdam).

É consultora ad hoc de várias agências de fomento nacionais e internacionais. Membro do Standing Evaluation Committee for the Review of Fellowship & Professorship Applications da European Respiratory Society, do Health Research Board (HRB) and Science Foundation Ireland (SFI) e Austrian Science Fund (FWF). Participa do projeto TARKINAID da European Union’s 7th research framework programme. Membro Titular do Comitê Assessor BF-CNPq e da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança – CTNBio (Ministério da Ciência e Tecnologia), Presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Fisiologia, e Vice-Presidente da Associação Brasileira de Terapia Celular (ABTCEL). Foi editora associada do Intensive Care Medicine (IF: 7,214) e participa como revisora de importantes revistas tais como: American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, American Journal of Cell and Molecular Biology, Lancet Respiratory Medicine, British Journal of Anaesthesia, Anesthesiology, Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, dentre outras.

Recebeu mais de 50 prêmios em função da qualidade de seu trabalho. Recebeu prêmio da Sociedade Alemã de Anestesia em função de sua grande contribuição científica na área, sendo a primeira pesquisadora da América do Sul a receber tal honraria. É Membro Titular de importantes sociedades: American Thoracic Society, European Respiratory Society, American Physiological Society, Sociedade Brasileira de Pneumologia, Sociedade Brasileira de Fisiologia, Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Associação Brasileira de Terapia Celular.

Tem experiência na área de Fisiologia, com ênfase em Fisiologia e Fisiopatologia Respiratórias, atuando principalmente nos seguintes temas: Remodelamento e Reparo de doenças respiratórias; Consequências respiratórias da desnutrição e obesidade; Lesão pulmonar induzida pelo ventilador mecânico; Desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para doenças respiratórias como: asma, silicose, síndrome do desconforto respiratório agudo, hipertensão arterial pulmonar e enfisema; e Desenvolvimento de estratégias ventilatórias na síndrome do desconforto respiratório agudo e enfisema.

Currículo Lattes

Samir Rasslan

Nasceu em 5 de abril de 1944 em Dourados, Mato Grosso do Sul.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 1968. Realizou residência em Cirurgia Geral em 1969,1970 e 1971, nos Hospitais da Santa Casa de São Paulo – Faculdade de Ciências Médicas. Mestre em Medicina em 1977, pela Escola Paulista de Medicina. Grau de Doutor em Medicina em 1978, pela Faculdade de Ciências Médicas-Santa Casa de São Paulo. Foi aprovado em concurso para obtenção do Título de Livre-Docente em Cirurgia Geral em 1982, na Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Professor Associado do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo de 1982 a 1991 e Professor Titular por Concurso do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, de 1992 a 2004. Professor Titular por Concurso do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, de 2005 a 2014; Professor Titular Sênior do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da USP desde 2015.

Diretor do Pronto Socorro da Santa Casa de São Paulo de 1990 a 2004; Presidente da Comissão de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1996-2003); Supervisor da Residência Médica em Cirurgia Geral-Programa Avançado da FMUSP (2006-2014); Vice-Presidente do Conselho Diretor do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP (2007-2010); Diretor da Divisão de Clínica Cirúrgica III (Cirurgia Geral + Emergência) do Hospital das Clínicas da FMUSP; Diretor do Departamento de Cirurgia da FMUSP, de 2009 a 2013.

Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Honorary Fellow of the American College of Surgeons; Honorary Fellow of American Association for the Surgery of Trauma; Membro da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Trauma; Membro da Sociedade Panamericana de Trauma; Membro Honorário da Sociedade de Cirurgiões Gerais do Peru; Membro Honorário da Associação de Emergência e Trauma do Uruguai; Membro Honorário da Associação Colombiana de Cirurgia; Membro da Sociedade Latino-Americana de Infecção em Cirurgia; Membro Honorário da Força Aérea Brasileira.

Mestre do Capitulo de São Paulo do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1989-1991); Presidente do Diretório Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1995-1997) e Membro do Conselho Superior do Colégio Brasileiro de Cirurgiões desde 1995. Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), de 1999 a 2002; Presidente da Sociedade Panamericana de Trauma (2003 a 2004). Governador do Capítulo Brasileiro do American College of Surgeons (2008-2013).

Foi, por diversas vezes, escolhido como Professor Homenageado por alunos da graduação médica. Foi também homenageado como Professor Paraninfo e Patrono por alunos da graduação médica. Na sua cidade natal, foi homenageado como Membro Benemérito em reconhecimento aos serviços prestados à comunidade. Homenageado pelo Comando Geral da Aeronáutica com a Ordem do Mérito Aeronáutico.Recebeu do Capítulo de São Paulo do Colégio Brasileiro de Cirurgiões o Premio Benedito Montenegro pela contribuição prestada à Cirurgia Brasileira.

​​​​​​​Suas áreas de interesse e atuação são: Cirurgia Geral; Cirurgia de Emergência e Trauma e Infecção em Cirurgia.

Currículo Lattes

Discursos da Cerimônia de Posse

Jerson Lima da Silva

Nasceu em 29 de fevereiro de 1960, no Rio de Janeiro (RJ).

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ (1984) e Doutorado pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ (1987).

Professor Titular no Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ; Diretor do Centro Nacional de Ressonância Magnética Nuclear Jiri Jonas e Coordenador do Instituto nacional de Ciência e Tecnologia de Biologia Estrutural em Bioimagem (INBEB). Atua também como Diretor Científico da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) desde 2003.

É chefe do Laboratório de Termodinâmica de Proteínas e Vírus da UFRJ, e, de 1994 a 1997, foi chefe do Departamento de Bioquímica Médica. É Coordenador do Centro Nacional de Ressonância Magnética Nuclear de Macromoléculas da UFRJ, onde estão instalados equipamentos de RMN de alto campo (600 e 400 MHz). Este centro, o primeiro a ser instalado no Brasil, tem como meta dar um salto qualitativo na pesquisa na área de Biologia Estrutural de Macromoléculas.

Pesquisador nível 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) desde 1987, já conquistou inúmeros prêmios e auxílios, como os da Fundação John Simon Guggenheim (1991); da International European Economic Community (1991); Prêmio Sendas em Doenças Infecciosas de Crianças (compartilhado, em 1995); Howard Hughes Medical Institute (1997-2002); Prêmio Nacional Unibanco em Medicina (compartilhado, em 1998); Auxílio Núcleos de Excelência do Ministério da Ciência e Tecnologia (1998); Cientista do Estado do Rio de Janeiro (em 2000, 2003, 2005, 2007, 2009); Ordem Nacional do Mérito Científico concedido pela Presidência da República do Brasil na classe de Comendador (2002) e na classe de Grã-Cruz (2009); Prêmio da Academia de Ciências para o Mundo em Deselvolvimento (TWAS) de Biologia (2006); Prêmio FCW 2009 em Ciência e Cultura da Fundação Conrado Wessel (2010).

É Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS); e da COPEA (Coordenação de Programas de Estudos Avançados), da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Autor de mais de 140 artigos completos. Sua pesquisa tem sido publicada em revistas de alto índice de impacto. Presta assessoria para agências de fomento nacionais e internacionais, e para periódicos nacionais e internacionais. Seu laboratório tem prestado contribuição expressiva ao campo da biologia estrutural, enovelamento proteico, montagem viral e no entendimento dos mecanismos responsáveis pelo dobramento errado de proteínas, importante em muitas doenças humanas, que incluem Câncer, doenças de príons e doença de Parkinson.

Currículo Lattes

Carlos Alberto Mandarim-de-Lacerda

Português

Carlos Alberto Mandarim-de-Lacerda é médico (UERJ, 1978), Mestre em ciências (Histologia e Embriologia, UFRJ, 1981) e doutor em biologia humana (Docteur d’Etat, Biologie Humaine, Paris V – Université René Descartes, 1985). Ele é classificado pela equipe da Universidade de Stanford (EUA) entre os 100.000 melhores cientistas do mundo, e 600 cientistas brasileiros mais influentes (Journal Plos Biology, outubro de 2020 – pesquisa intitulada “Updated science-wide author databases of standardized citation indicators” – https://doi.org/10.1371/journal.pbio.3000918. Mandarim-de-Lacerda também é Professor Honorário da Faculdade de Medicina da Universidad de la Frontera (Temuco, Chile, 2013), Membro Titular do Academia Nacional de Medicina do Brasil (cadeira nº 82, 2011), e Membre Associé Étranger da Académie Nationale de Médicine da França (2018). Ele iniciou o Departamento de Anatomia da UERJ (1986) e foi Chefe do Departamento em vários períodos. Professor Titular do Departamento de Anatomia da UERJ (desde 1988). Coordena o Programa de Pós-Graduação em Biologia Humana e Experimental (www.bhex.uerj.br). Coordena o Grupo de Pesquisa do CNPq “Nutrição, obesidade, metabolismo, doenças crônicas e farmácia ações ecológicas. ”Trabalha no Laboratório de Morfometria, Metabolismo e Doenças Cardiovasculares da UERJ (www.lmmc.uerj.br), com projetos nas áreas de Citologia, Biologia Celular e Molecular. Projetos recentes visam estudar alterações em órgãos-alvo da síndrome metabólica em modelos experimentais com tratamento farmacológico ou nutricional. Ele tem experiência em microscopia e métodos quantitativos em morfologia, principalmente estereologia, morfometria e alometria.

English

Carlos Alberto Mandarim-de-Lacerda is M.D. (UERJ, 1978), Master (Histology and Embryology, UFRJ, 1981), and Ph.D. (Docteur d’Etat, Biologie Humaine, Paris V – Université René Descartes, 1985). He is ranked by the team from Stanford University (USA), included in the 100,000 top scientists in the world, and the 600 most influential Brazilian scientists (Journal Plos Biology, October 2020 – research entitled “Updated science-wide author databases of standardized citation indicators ” – https://doi.org/10.1371/journal.pbio.3000918. Mandarim-de-Lacerda is also Honorary Professor at the Faculty of Medicine, Universidad de la Frontera (Temuco, Chile, 2013), Titular Member of the National Academy of Medicine of Brazil (chair No. 82, 2011), and Membre Associé Étranger of the Académie Nationale de Médicine of France (2018). He has initiated the Department of Anatomy at UERJ (1986) and was the Department’s Head for several terms. Full Professor of the Department of Anatomy at UERJ (since 1988). Coordinates the Graduate Program in Human and Experimental Biology (www.bhex.uerj.br). Coordinates the CNPq Research Group entitled “Nutrition, obesity, metabolism, chronic diseases, and pharmacological actions.” He works at the Morphometry, Metabolism, and Cardiovascular Disease Laboratory at UERJ (www.lmmc.uerj.br), with projects in Cytology, Cellular, and Molecular Biology. Recent projects aim to study changes in target organs of the metabolic syndrome in experimental models with pharmacological or nutritional treatment. He has expertise in microscopy and quantitative methods in morphology, mainly stereology, morphometry, and allometry.

Français

Carlos Alberto Mandarim-de-Lacerda est médecin (UERJ, 1978), Maître en Sciences (Histologie et embryologie, UFRJ, 1981) et Docteur d’État en Biologie Humaine (Paris V – Université René Descartes, 1985). Il est classé par l’équipe de l’Université de Stanford (États-Unis), parmi les 100000 meilleurs scientifiques du monde et les 600 scientifiques brésiliens les plus influents (Journal Plos Biology, octobre 2020 – recherche intitulée “Mise à jour des bases de données d’auteurs scientifiques de citation standardisée indicateurs “- https://doi.org/10.1371/journal.pbio.3000918. Mandarim-de-Lacerda est également professeur honoraire à la faculté de médecine de l’Université de la Frontera (Temuco, Chili, 2013), membre titulaire de la Académie nationale de médecine du Brésil (chaire n° 82, 2011), et membre associé étranger de l’Académie nationale de médecine de France (2018). Il a initié le département d’anatomie de l’UERJ (1986) et a été le directeur du département à plusieurs reprises. Professeur Titulaire du Département d’anatomie de l’UERJ (depuis 1988). Coordonne le programme d’études supérieures en biologie humaine et expérimentale (www.bhex.uerj.br). Coordonne le groupe de recherche de recherche du CNPq intitulé « Nutrition, obésité, métabolisme, maladies chroniques et actions pharmacologiques ». Il travaille au Laboratoire de Morphométrie, Métabolisme et Maladies Cardiovasculaires de l’UERJ (www.lmmc.uerj.br), avec des projets en Cytologie, Biologie Cellulaire et Moléculaire. Des projets récents visent à étudier les changements dans les organes cibles du syndrome métabolique dans des modèles expérimentaux avec traitement pharmacologique ou nutritionnel. Il possède une expertise en microscopie et en méthodes quantitatives en morphologie, principalement en stéréologie, morphométrie et allométrie.

(​orcid.org/0000-0003-4134-7978ResearcherID: P-2360-2019).

Currículo Lattes

Memória: “Avaliação Quantitativa da Esteatose Hepática”

Discurso de Saudação

Discurso de Posse

Publicação decorrente da Memória apresentada à ANM

PubMed

ORCID

Omar Lupi da Rosa Santos

Nasceu em 31 de julho de 1967, no Rio de Janeiro.

Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1990). Possui Mestrado em Medicina (Dermatologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 1995), Doutorado em Medicina (Dermatologia), pela mesma universidade (1998) e pela University of Texas Medical Branch (Galveston/TX entre 2001 e 2002).

É Professor Livre-Docente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) desde 2004. Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Pesquisador Colaborador do BioVasc da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Docente Permanente do Curso de Pós-Graduação em Clínica Médica da UFRJ, e Professor Titular do Curso de Pós-graduação Médica do Instituto Carlos Chagas, sendo Chefe do Serviço de Dermatologia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro (PGRJ).

Foi Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) no biênio 2009-2010, após ocupar diversos cargos em sua estrutura societária. É membro do corpo editorial e parecerista (peer reviewer) de diversos periódicos nacionais e estrangeiros, com destaque para o International Journal of Dermatology, Anais Brasileiros de Dermatologia, Mycoses (Berlin), Clinical and Experimental Dermatology e o Journal of the American Academy of Dermatology. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Dermatologia, com atuação nas seguintes áreas: herpes simples, câncer cutâneo, infecção por herpesvirus, dengue, viroses hemorrágicas, dermatovirologia, microcirculação cutânea e doenças relacionadas às conformações protéicas.

Em 2007 foi agraciado com o Members Making a Difference, do American Academy of Dermatology. Também foi reconhecido pelo trabalho em Síndrome de Gorlin-Goltz, pelo Colégio Ibero-latino-americano de Dermatologia (CILAD), e durante o XI World Congress of Dermatology, International Society Scholarship. O Acadêmico tem mais de 80 trabalhos publicados em periódicos nacionais e internacionais.

Foi Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), entre 2007 e 2008. Delegado representante do Brasil na International League of Dermatological Societies (ILDS) entre abril de 2007 e outubro de 2011. Vice-Presidente da Associação Brasileira de Pesquisa com Células-Tronco e Engenharia Tecidual, entre janeiro de 2008 a dezembro de 2009. Foi ainda Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), entre janeiro de 2009 a dezembro de 2010 e Membro do History Comittee da American Academy of Dermatology (AAD), entre novembro de 2004 e julho de 2009. Acadêmico Titular da Academia Fluminense de Medicina, a partir de setembro de 2007.

Currículo Lattes

José Gomes Temporão

Nasceu em 20 de outubro de 1951, na freguesia de Merufe, na vila de Monção, no norte de Portugal.

Seus pais, Sara Gomes e José Temporão, emigraram para o Brasil quando ele tinha apenas um ano de idade, e fixaram-se no Rio de Janeiro.

O Acadêmico graduou-se em Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1977. Especializou-se em Doenças Tropicais na mesma Universidade. Fez Mestrado em Saúde Pública na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz e Doutorado em Medicina Social no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Ao se especializar em Doenças Infecciosas e Tropicais, teve o contato inicial com a área de Saúde Pública. Posteriormente, destacou-se ao participar do movimento sanitarista, que resultou na criação do Sistema Único de Saúde (SUS).

O Acadêmico foi Ministro da Saúde do Ministério da Saúde e Membro do Cancer Control Advisory Committee, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Pesquisador Titular da Fundação Oswaldo Cruz; Presidente do Instituto Nacional do Câncer (INCA) de 2003 a 2005; Secretário de Planejamento do INAMPS de 1985 a 1988; Subsecretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro em 1991; Presidente do Instituto Vital Brazil de 1992 a 1995; Assessor-chefe de planejamento da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro em 1999; Subsecretário de Saúde do Município do Rio de Janeiro em 2001 e Presidente da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde da Fiocruz (FIOTEC) de 2002 a 2003.

Foi também Membro do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro; Presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES) e da Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil (ALFOB).

Durante sua gestão no INCA, foi implantado modelo de gestão participativa e compartilhada. Também foram desenvolvidos o Projeto de Humanização e o processo de Acreditação Hospitalar em todas as unidades assistenciais. Outros avanços foram a criação do Banco Nacional de Tumores e DNA, e do BrasilCord, além do lançamento da Campanha de Doação de Medula Óssea em todo o território nacional, que em apenas 1 ano duplicou o número de cadastramentos no Registro de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Estimulou a colaboração com outras instituições como a Fundação Oswaldo Cruz, a Anvisa, a Escola Americana de Saúde Pública Johns Hopkins, a OMS, entre outras.

Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Gestão e Planejamento Em Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: Sistema Único de Saúde (SUS), saúde, vacinas, tuberculose e medicamentos. 

Currículo Lattes

Marcus Tulio Bassul Haddad

Nascido em 24 de setembro de 1943 em Cachoeiro de Itapemirim (ES).

Filho de Alfredo Pádua Haddad e Amélia Bassul Haddad.

Graduou-se em Medicina pela UFRJ (1968). Logo em seguida, fez internato em Clínica Médica na 1ª Cadeira de Clínica Médica da mesma instituição.

Ainda na UFRJ, foi Auxiliar de Ensino (1971), Professor Assistente do Departamento de Clínica Médica (disciplina de Gastroenterologia [1975]) e tornou-se Adjunto em 1983, após concluir o Mestrado em Gastroenterologia (em 1979). Coordenou diversos cursos de Fisiologia, Gastroenterologia Pediátrica, Endoscopia Digestiva e Dietoterapia. Organizou e lecionou em dezenas de cursos de Pós-graduação Lato Sensu, além de ter participado de diversos congressos, simpósios e jornadas.

Publicou 39 capítulos de livros, colaborou na coordenação de dois livros e foi co-autor em quase 30 periódicos nacionais e quatro internacionais. Além disso, foi tradutor da obra “Physiology of the digestive tract” de Davenport, H.W. 3ª ed, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1978-238p. Atuou também como Assessor Clínico do grupo de Oncologia (1969 -1972), como Assistente-auxiliar da Clínica Gastroenterológica (1969-1972) e como Clínico do Centro de Tratamento Intensivo (1969–1977) do Hospital Central da Marinha. É Professor Visitante do Hospital Naval Marcílio Dias.

Foi Tesoureiro da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (1982-1983), onde também atuou como Secretário da Comissão de Ética e Defesa Profissional (1992–1993). Presidente de Seção Especializada da Associação Internacional de Gastroenterologia, em 1999. Também é Membro do American College of Gastroenterology, da Sociedade de Medicina Psicossomática do Rio de Janeiro e Honorário da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn.

Titular da Sociedade Brasileira de Hepatologia, da Sociedade Franco-Brasileira de Medicina, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva; Titular Colaborador do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (Gastroenterologia) e Titular Fundador da Sociedade Brasileira de História da Medicina.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Colangite Esclerosante Primária”.

Carlos Roberto Telles Ribeiro

Nascido em 5 de novembro de 1944, em Recife (PE).

Filho de Ayrton Telles Ribeiro e Lutecia Corrêa Ribeiro. Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1969. Concluiu Residência médica em Neurocirurgia pelo Hospital Distrital de Brasília (1974). Fez Doutorado (1980) e Pós-doutorado (1992) em Neurocirurgia pela Freie Universität Berlin, Alemanha. Especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e em Tratamento da Dor pela Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor.

Professor Adjunto da UERJ e Chefe do Serviço de Neurologia e da Clínica de Dor do Hospital Universitário Pedro Ernesto da UERJ, de onde foi Diretor de Serviços Técnicos (1984-1985), Coordenador de Assistência Médica (2002) e Diretor Geral (2002-2004), além de Diretor-presidente da Clínica Neurodor. Representante dos Professores Adjuntos no Corpo Deliberativo do Departamento de Especialidades Cirúrgicas da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ, no biênio 1983-1984; Subchefe do Departamento de Especialidades Cirúrgicas da FCM da UERJ (1991-1993; 1993-1996); Chefe da UDA de Neurocirurgia, em substituição ao Professor Pedro Monteiro Sampaio (1990-1992). Presidente da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Funcional e Estereotaxia (1986-1990) e da Sociedade de Neurocirurgia do Rio de Janeiro (1988-1990).

Fundador da Sociedade de Neurocirurgia do Cone Sul. Membro Honorário do Centro de Estudos da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte (1997). Presidente de Honra e Membro Fundador da Liga de Neurotraumatologia do Mercosul (1998). Membro Efetivo da Liga Brasileira contra a Epilepsia, da Sociedade Alemã de Neurocirurgia e da IASP (International Association for the Study of Pain).

Possui cerca de 40 publicações na literatura especializada, cinco capítulos de livros de neurocirurgia, 300 trabalhos apresentados em congressos e 400 palestras proferidas no Brasil e exterior.

Na ocasião de sua posse como Membro Titular, apresentou memória intitulada “O Uso da Biópsia Estereotáxica no Diagnóstico das Lesões Intracranianas”.

Currículo Lattes

Rui Haddad

Nasceu em 12 de junho de 1948, em Lavras (MG).

Filho de Orlando Haddad e Rosa Haddad. Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1972, fez Residência Médica em Cirurgia Geral e Cirurgia Torácica no Hospital da Polícia Militar (HPM-RJ) e Beneficência Portuguesa do Rio de Janeiro respectivamente (1973-1977). Mestrado em Cirurgia pelo Programa de Pós-Graduação em Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFRJ (1983). Especialização (Clinical and Research Fellow) em “Thoracic Surgery and Thoracic Surgical Oncology” pela Faculty of Medicine – University of Toronto, Toronto, Ontario, Canadá (1983-1984) e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da UFRJ (1996).

Professor Titular do Curso de Cirurgia Torácica da Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) desde (2004). Membro da Comissão de Ética e Pesquisa da Escola Médica de Pós-graduação da PUC e da Câmara Técnica de Oncologia (coordenador) do CREMERJ. Foi Conselheiro Efetivo do CREMERJ por 10 anos, sendo Vice-presidente por dois períodos de 15 meses.

Revisor de artigos científicos da McMaster Online Rating of Evidence (MORE). Colaborador do Jornal Brasileiro de Pneumologia, da Revista Latino-Americana de Enfermagem, do Interactive Journal of Cardiothoracic Surgery, Membro do Editorial Board do European Journal of Cardiothoracic Surgery, Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Revista Brasileira de Vídeo-cirurgia e do Pulmão – RJ.

Membro Efetivo do Conselho de Ética da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica; Membro Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Membro Titular Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, onde foi Secretário Geral e Vice-Presidente por dois mandatos em cada posto.

É também Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica, American Thoracic Society (ATS), Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, International Association for the Study of Lung Cancer, Cardiothoracic Surgery Network, Chest Wall Interest Group, Fellow do American College of Chest Physicians, International Academy of Chest Physicians and Surgeons, European Association of Cardiothoracic Surgery e Society for Thoracic Surgeons.

Foi Professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFRJ por 32 anos, aposentando-se por tempo de serviço em 2011.

Desde 01 de Julho de 2014 é membro do Editorial Board do European Journal of Cardiothoracic Surgery. É colaborador do Jornal Brasileiro de Pneumologia, da revista Clinics (USP), da Revista Latino-Americana de Enfermagem e do Interactive Cardiovascular and Thoracic Surgery.

Currículo Lattes

Discurso de Posse

Miguel Carlos Riella

Nasceu em 11 de abril de 1945, em Blumenau (SC).

Filho de Carlos Riella e Edith Gracher Riella, descendentes de italianos e alemães, respectivamente. Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná (1968). Após a graduação, continuou seus estudos nos Estados Unidos onde se especializou em Clínica Médica (Mount Sinai Hospital, New York) e, posteriormente, em Nefrologia (enfermidades renais), na Universidade de Washington, na área de Hemodiálise Crônica.

Em 1976, retornou ao Brasil para continuar suas atividades no Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (HUEC), onde estabeleceu o Serviço de Nefrologia e de Nutrição Parenteral e Enteral. No ano seguinte, iniciou o programa de Hemodiálise Crônica neste mesmo hospital, onde, em 1980, foi realizado o primeiro transplante renal. No mesmo ano, iniciou o primeiro programa de Diálise Peritoneal Ambulatorial Domiciliar do Brasil.

Em setembro de 1980, publica seu primeiro livro, “Princípios de Nefrologia e Distúrbios Hidroeletrolíticos” (Guanabara Koogan – atualmente na 4ª edição). Em 1985 publica seu segundo livro, “Suporte Nutricional, Parenteral e Enteral” (Guanabara Koogan – atualmente na 2ª edição). No 1º semestre de 2001 publicou, juntamente com a nutricionista Cristina Martins, da Fundação Pró-Renal, seu 3º livro, “Nutrição e o Rim” (Editora Guanabara Koogan – 1ª edição). Em 2004, o livro Nutrição e o Rim passou a ser editado também em espanhol pela Editora PanAmericana.

Colaborou na organização da Fundação Pró-Renal, entidade de caráter social e dedicada à pesquisa em enfermidades renais e metabólicas. A Fundação atende hoje mais de 1800 pacientes com enfermidades renais, distribuindo medicamentos, vale-transporte e suplementos nutricionais, e recentemente instituiu o Centro de Pesquisa RDH (Rim, Diabete e Hipertensão) que atua na Fundação.

Membro do Conselho do COMGAN (Committee for the Advancement of Global Nephrology) da Sociedade Internacional de Nefrologia e em 2004 foi indicado para ser o Chairman do recém-criado comitê em Nefrologia Intervencionista da Sociedade Internacional de Nefrologia.

Membro do Board of Directors da International Federation of Kidney Foundations e em abril de 2007 foi eleito Presidente (biênio 2009-2011) da mesma Federação; Board Certified em Medicina Interna pelo American College of Physicians (1973) e Fellow do American College of Physicians-FACP (1998). Presidente da Sociedade Latino-Americana de Diálise Peritoneal e Presidente da Federação Latino-Americana de Nutrição Parenteral e Enteral (1987). Em 1995, foi eleito presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia e, em 1999, Membro do conselho da Sociedade Internacional de Nefrologia.

Professor Titular de Clínica Médica da Universidade Católica do Paraná; Titular de Clínica Médica da Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná; Diretor do Serviço de Nefrologia do HUEC.

Editor Associado da revista Hemodialysis International (2003) e Editor Internacional da revista Seminars in Dialysis.

Cavaleiro da Ordem de Malta (1988) e Cidadão Honorário da Cidade de Curitiba (2004) e do Paraná (2007). Recebeu a Distinguished International Medal da National Kidney Foundation-USA (1996).

Idealizou o Laboratório de Isolamento de Ilhotas Pancreáticas do Centro de Engenharia e Transplante Celular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. O Laboratório iniciou, em fevereiro de 2004, o isolamento de células produtoras de insulina (ilhotas) a partir de pâncreas de doadores com morte cerebral e fez o primeiro implante clínico em dezembro de 2005, constituindo-se no primeiro transplante de células pancreáticas do sul do Brasil.

Em outubro de 2004, estabeleceu em Curitiba o Instituto Scribner, em homenagem ao seu mentor, Belding H.Scribner, pioneiro da hemodiálise crônica no mundo e que dedica-se à educação, ensino e pesquisa na área nefrológica.

Currículo Lattes

José Eduardo Moraes Rego Sousa

Nasceu em 30 de janeiro de 1934, em Pedreiras (MA).

Luiz Cordeiro de Sousa e Raimunda Rios de Moraes Rego Sousa. Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina, da Universidade Federal de Pernambuco (1958). Concluiu a especialização em Cardiologia Pediátrica, pela Harvard Medical School, em 1963; fellow em Arteriografia Coronária na Cleveland Clinic, USA, em 1966; e Doutorado em Cardiologia pela Universidade de São Paulo, três anos mais tarde. Tem livre-docência pela Universidade Federal de São Paulo (1974).

Diretor Técnico do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia entre 1983 e 2004; Diretor do Centro de Intervenções em Doenças Estruturais do Coração do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e Chefe do Serviço de Cardiologia Intervencionista do Hospital do Coração da Associação do Sanatório Sírio.

Professor de Pós-Graduação e Orientador da Universidade de São Paulo desde 1993.

Publicou mais de 550 artigos em periódicos especializados, como autor e/ou coautor e apresentou mais de 750 trabalhos em congressos internacionais e mais de 1700 em nacionais. Possui mais de 210 capítulos de livros publicados. Participou como palestrante convidado em mais de 350 conferências, 430 mesas redondas, no país, nos Estados Unidos, na Europa, no Japão, Índia, China, Austrália, Coreia do Sul e em países Sul-americanos e ainda recebeu dezenas de prêmios e homenagens. Participou de mais de 120 projetos de pesquisa.

Pioneiro da Cardiologia Intervencionista (hemodinâmica) no Brasil e considerado um dos pioneiros da Cardiologia Intervencionista mundial., o Acadêmico fez as primeiras cineangiocoronariográficas no Brasil (1966) e é o criador da técnica (2001) de revestimento do stent a ser implantado na artéria coronária com rapamicina, o que reduz a reestenose, isto é, impede que a artéria desenvolva novamente estreitamento no sítio tratado. Tem experiência na área de medicina, com ênfase em cardiologia intervencionista. Atua principalmente nos seguintes temas: stents, stents coronários, reestenose e infarto agudo do miocárdio.

Currículo Lattes

Octavio Pires Vaz

Nasceu em 28 de dezembro de 1944, no Rio de Janeiro.

Filho de Octavio Freitas Vaz e Maria de Lourdes Pires de Castro Vaz. Graduou-se em Medicina em 1972 pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Mestrado pela University of Illinois em Chicago (1987). Especialista em Cirurgia Geral pelo CBC em 1976 e pelo CRM. Especialista em Cirurgia Oncológica na Área de Cirurgia Geral (1997). Especialista em Cirurgia Vídeoendoscópica (1997), pela European Accreditation Council for continuing Medical Education e pelo European Institute of TeleSurgery (2010).

Durante o curso médico, trabalhou como Interno da 1ª Cadeira de Clínica Médica da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (Serviço do Professor Jacques Houli) e como estagiário no Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Municipal Miguel Couto.

Em 1976, foi efetivado como médico no atual Hospital Federal de Ipanema, por meio de concurso realizado pelo DASP. Nesse hospital foi Chefe do Serviço de Cirurgia Geral, Diretor da Divisão Médica e Diretor Geral.

Livre Docente de Clínica Cirúrgica pela UNIRIO em 1992. Pesquisador pela University of Illinois (Chicago) de 1985 a 1987.

Recebeu o Diplôme D’Université de Chirurgie Laparoscopique pela Université de Strasbourg; Certificado em Cirurgia Robótica em 2012 da Vinci System Training – Console Surgeon e Nicholson Center Florida Hospital.

Recebeu a Medalha de Honra ao Mérito por relevantes serviços prestados à Medicina brasileira no XXI Simpósio Internacional de Atualização em Gastroenterologia e XIV Gastroproctologia em 2012.

Foi Professor Assistente (1992) e Adjunto (1996) do quadro regular do corpo docente da Universidade Gama Filho.

Fellow do American College of Surgeons; Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Membro da Surgical Society of Oncology; Membro da Warren H. Cole Society (Chicago- 1987) e da Sociedade de Vídeolaparoscopia do Rio de Janeiro. Foi Vice-presidente e Presidente da Associação dos Médicos Residentes do Hospital de Ipanema do Ministério da Saúde.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular, apresentou memória intitulada “Tratamento Cirúrgico da Disfagia Orofaríngea”.

Currículo Lattes

Carlos Antonio Mascia Gottschall

Nascido em 18 de abril de 1939, em Santa Maria (RS).

Filho de Carlos Gottschall e Cecy Assumpta Mascia Gottschall. Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1963. Primeiro Mestre em Pneumologia e primeiro Livre-Docente em Cardiologia da UFRGS. Pós-doutorado nas Universidades de Edimburgo e Londres e da Califórnia. Pioneiro no ensino pós-graduado da UFRGS e da Fundação Universitária de Cardiologia (IC/FUC), da qual é Professor Emérito. Orientou 39 teses de Pós-graduação. Julgou em 128 bancas universitárias e especializadas.

Organizou e dirige o Laboratório de Hemodinâmica do IC/FUC, o maior da especialidade no sul do Brasil. Pioneiro da angioplastia coronariana no RS, formou 56 hemodinamicistas e cardiologistas-intervencionistas atuantes no país e exterior. Atual Diretor Científico do IC/FUC.

Titular e honorário de entidades nacionais e internacionais, com inúmeras distinções. Participou de 636 congressos médicos, como presidente, organizador, congressista e conferencista. Tem 1238 publicações entre resumos, artigos, capítulos, divulgações, três teses, sete livros uniautorais sobre Cardiologia e História da Medicina, 454 conferências proferidas a convite. Consultor do CNPq, da CAPES e da FAPERGS.

Um pioneiro em campanhas anti-tabagismo. Ex-Presidente da Sociedade de Cardiologia do RS, Fundador e ex-Secretário Geral da Sociedade Brasileira de Pneumologia, Fundador e ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), Fundador e Membro Pleno da Sociedad Latinoamericana de Cardiologia Intervencionista, Fundador e Presidente de Honra da Associação Gaúcha de História da Medicina. Ex-conselheiro titular do CREMERS. Ex-presidente da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina. Na Society for Cardiac Angiography and Interventions e na International Andreas Grunting Society foi o primeiro brasileiro convidado a ingressar.

Alguns prêmios: Excelência Acadêmica (Estado do RS), Sociedade de Medicina de Porto Alegre (AMRIGS), Irmão Benfeitor (Santa Casa-Porto Alegre), Medalha Mascarenhas de Moraes (FEB), Mérito Clínico (Sociedade Brasileira de Clínica Médica), Presidente Imortal (SBHCI), Médicos mais Admirados do Brasil (Análise Medicina), Personalidade da Cardiologia (Sociedade Brasileira de Cardiologia), Carlos Lacaz (Sociedade Brasileira de História da Medicina).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Análise dos Resultados a Curto e Longo Prazo do Implante de Stents Coronariano”.

Currículo Lattes

Ivo Abrahão Nesralla

Nasceu em 18 de agosto de 1938, no Rio de Janeiro.

Filho de Abrahão José Nesralla e Nazime Nesralla, de origem libanesa. Ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1957, graduando-se em 1962.

Como acadêmico (1960-61), fundou e organizou atendimento médico nas vilas populares – o primeiro serviço do gênero. Durante o curso, foi convidado a compor a primeira equipe de cirurgia torácica e cardiovascular. Logo após a conclusão do curso, classificou-se em concurso público para atuar no recém-criado serviço de cirurgia torácica e cardiovascular da Universidade, tornando-se o primeiro médico residente do Serviço.

Em meados da década de 60, foi residente do Instituto Dante Pazzaneze de Cardiologia de São Paulo, sob a orientação do professor Adib Jatene. Em 1968, estagiou em sete serviços de cirurgia cardíaca nos Estados Unidos, entre os quais, Stanford University Medical Center, Baylor College of Medicine, Texas Heart Institute, Mayo Clinic, Universidade do Estado de New York (Buffalo), The Children’s Hospital Medical Center – Harvard Medical School.

Posteriormente, em Porto Alegre, assumiu a chefia do Serviço de Cirurgia Cardiovascular do Departamento de Cirurgia da UFRGS e, em paralelo, idealizou e colocou em funcionamento o serviço de cirurgia cardiovascular do Instituto de Cardiologia do RS, onde até hoje é chefe. O Acadêmico realizou mais de 45.000 cirurgias do coração e dos grandes vasos, e mais de uma centena de transplantes cardíacos.

Em 1970, realizou cirurgia de revascularização do miocárdio, com ponte de veia safena, uma das primeiras no Brasil e a primeira no Rio Grande do Sul. Em 1973, empregou, pela primeira vez no país, a técnica da hipotermia profunda e parada circulatória total, para correção de defeito congênito complexo, em crianças de baixo peso. Em 1984, realizou o primeiro transplante cardíaco do Rio Grande do Sul, retomando o programa de transplante cardíaco no país. Foi ainda o responsável pela colocação do primeiro coração elétrico implantável no Brasil, com grande repercussão em toda a América Latina (1999). No ano seguinte, fez a primeira cirurgia com uso da técnica robótica na América Latina.

Foi ainda presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (1985-1987) e da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (1989 e 1990). Foi eleito também, por duas vezes consecutivas, Diretor-presidente da Fundação Universitária de Cardiologia, entre 1993 e 1999. Em março de 1997, foi eleito presidente da Academia Sul Rio Grandense de Medicina.

De 1983 a 1991, presidiu, a convite governador do RS, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Recebeu, em 1985, o título de Sócio Benemérito da Associação dos Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, cargo que voltou a ocupar em 2003.

Na área da cultura, também assumiu, em 1998 a presidência da II Bienal de Artes Visuais do Mercosul realizada pela Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul em parceria com os ministérios da Cultura, Educação e Relações Exteriores, do Governo do Estado do RS e prefeitura de Porto Alegre. Em agosto de 2000, foi reconduzido à presidência da III Bienal de Artes Visuais do Mercosul.

Foi agraciado com o título de cidadão emérito de Porto Alegre, pela Câmara Municipal de Vereadores, 1991. Recebeu ainda, em 2001, a Comenda da Ordem do Mérito Cultural e, em 2002, a medalha Cidade de Porto Alegre.

Faleceu no dia 16 de dezembro de 2020 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Currículo Lattes

José Carlos do Valle

Nasceu em 04 de junho de 1940, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Francisco Felício do Valle e Maria de Lourdes Barros do Valle. Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado da Guanabara (atual UERJ), em 1964.

Em 1966, ingressou no Instituto Nacional de Câncer (Ministério da Saúde), onde exerceu os cargos de Presidente do Centro de Estudos, Chefe do Serviço de Clínica Médica, Coordenador da Residência Médica, Chefe do CTI, entre outros. Professor Livre Docente e Doutor em Clínica Médica por concurso na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), em 1972.

Teve intensa atividade na Baixada Fluminense, onde exerceu as funções de Secretário Municipal de Saúde de São João do Meriti (1970-1971), Secretário Municipal de Saúde de Nova Iguaçu (1976-1977), Presidente fundador do Rotary Club Nova Iguaçu Leste, Presidente da Associação Médica de Nova Iguaçu, e, ao lado do Acadêmico Professor Fioravanti Di Piero, e outros ilustres médicos, criaram a Faculdade de Ciências Médicas da atual Universidade de Nova Iguaçu (Unig), onde, por 13 anos, foi professor Titular de Clínica Médica e Oncologia.

De 1979 a 1985, foi diretor do Hospital de Oncologia do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS – Ministério da Saúde), quando reestruturou o hospital, dando novas diretrizes e sendo, por isso, considerado como padrão de excelência na América do Sul pela União Internacional de Combate ao Câncer (UICC), com sede em Genebra. Com a extinção do INAMPS, o Hospital de Oncologia passou a integrar o Instituto Nacional de Câncer (Inca), sendo denominado Hospital do Câncer II. De 1991 a 1996, chefiou o Serviço de Oncologia do Hospital de Câncer II. Após sua gestão como diretor no Hospital de Oncologia, retornou ao Hospital de Câncer I, situado na Praça da Cruz Vermelha, quando, na sua sugestão, foi criado o Núcleo de Normas e Procedimentos, tendo sido seu estruturador e primeiro dirigente.

Foi Presidente da Sociedade de Cancerologia do Estado do Rio de Janeiro (1988 a 1991); Presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (1989 a 1991), quando presidiu o 7⁰ Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica; Honorário da Associação dos Ex-Médicos Residentes do Inca; Vice-presidente da Pan American Medical Association – Seção Câncer (1988). Membro Titular Emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia; Membro Titular Emérito da Sociedade Brasileira de Mastologia; Titular do American Society of Clinical Oncology; Titular do American College of Chest Physicians; da New York Academy of Sciences, entre outras sociedades. Frequentou centenas de congressos no Brasil e no exterior, assim como cursos no MD Anderson Cancer Center (Texas – EUA, 1978), no Memorial Sloan-Kettering Cancer Center (Nova York – EUA, 1978); no Instituto de Câncer da União Soviética (Moscou – URSS, 1986), no Istituto Europeo di Oncologia (Milão – Itália, 1999).

Tem inúmeros artigos publicados sobre câncer no Brasil e no exterior, além dos livros: Câncer Locorregional Avançado; Controle de Câncer: Uma Proposta de Integração Ensino-Pesquisa (coautor em três edições); A Semiologia e a Clínica nos Tempos dos Exames Complementares (em colaboração com os Acadêmicos Mário Barreto Corrêa Lima e José Galvão Alves), além de dezenas de capítulos em livros médicos.

Entre premiações e distinções, foi agraciado com os prêmios: Amadeu Fialho do Centro de Estudos do Inca (1967); o prêmio nacional Cyanamid-Lederle de 1991; prêmio Costa Junior da Academia Nacional de Medicina (1987); medalha de Mérito Dr. Sales Teixeira do Município de Nova Iguaçu; Comenda Colar Grã-Cruz Professor Dr. Oswaldo Cruz e Comenda Albert Sabin do Mérito Médico, ambas outorgadas pela Sociedade Cívica Cultural Brasileira; a distinção de Cavaleiro Magistral da Ordem Imperial Constantiniana Militar de São Jorge – outorgada pelo Príncipe Conmène-Paléologue (Grão Mestre), entre outras.

Paulo Marchiori Buss

Nascido em 25 de abril de 1949, em Jaguari (RS).

Filho de Carlos Orestes Buss e Cecília Marchiori Buss. Graduou-se em Medicina na Universidade Federal de Santa Maria (1972) e Mestre em Medicina Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1980). Tem residência médica em Pediatria, no Hospital dos Servidores do Estado (HSE) do Rio de Janeiro, em 1974. Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria (1975) e em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública (1975). É pesquisador titular da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) da Fundação Oswaldo Cruz, onde ingressou em 1976.

Diretor do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz. Foi presidente da Instituição no período 2001-2008 e seu vice-presidente de 1993 a 1996. Foi vice-diretor (1985-1988) e diretor Ensp em dois mandatos (1989-1992 e 1998-2001). Foi secretário executivo da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (1979-1983). Foi Vice-presidente de Ensino e Informação da Fundação Oswaldo Cruz (1992-1996), quando criou o “Canal Saúde”, um canal de televisão destinado à difusão de informações e à educação em Saúde.

Em maio de 2008, assumiu a presidência da Federação Mundial de Saúde Pública, a mais importante associação de saúde pública no mundo, para um mandato que se estendeu até 2010. Representou o Brasil no Comitê Executivo da Organização Mundial da Saúde (2008-2011) e foi membro do Comitê Executivo do Fórum Global de Pesquisa em Saúde (2008-2011) e do Comitê Executivo da Associação Internacional de Institutos Nacionais de Saúde Pública (2006-2009). Membro do Comitê sobre Saúde Global do Instituto de Medicina da Academia de Ciências dos Estados Unidos (2008-2009).

Foi Presidente da Associação Latino-americana e do Caribe de Educação em Saúde Pública (ALAESP) (1998-2000) e da Federação Internacional de Cooperação entre Centros de Pesquisa em Sistemas e Serviços de Saúde (1990-1994). Foi Fundador (1979) e primeiro Secretário Executivo da Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletiva (ABRASCO) – hoje a maior sociedade científica de Saúde Pública da América Latina – na qual foi eleito Vice-presidente para o período 2000-2003.

É consultor habitual da Organização Mundial da Saúde, Organização Panamericana da Saúde, National Institutes of Health (NIH/USA), Instituto Pasteur (Paris/França), International Development Research Center (IDRC/Canadá), Canal Futura (TV educativa brasileira a cabo) e de diversas Universidades e entidades nacionais, estrangeiras e internacionais.

É membro atuante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Sociedade Brasileira de Pediatria, Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), Centro de Estudos Brasileiros de Saúde (CEBES), International Association of National Institutes of Public Health (IANPHI), International Association for Health Policy (IAHP), Federação Internacional para a Cooperação entre Centros de Pesquisa em Sistemas e Serviços de Saúde (FICOSSER ), Asociación Latino-americana de Medicina Social (ALAMES), Associação Latino-americana e do Caribe de Educação em Saúde Pública (ALAESP) e da Canadian Public Health Association (CPHA). O Acadêmico é também Membro Honorário da Academia Portuguesa de Medicina.

Organizador e autor dos livros Saúde, Ambiente e Desenvolvimento (1992); Sistemas de Saúde (1995); Vacinas, soros e imunização no Brasil (2005); e Medicamentos no Brasil: Inovação e acesso (2008). Entre prêmios e outras distinções, recebeu a Ordem do Mérito Médico, na classe de Grande Oficial (2002) e a Ordem do Rio Branco, na classe de Comendador (2007); as medalhas Oswaldo Cruz (2000), Vital Brasil (2003) e Cidadão Carioca (2003); o Prêmio Leavell de Liderança em Saúde Global da Federação Mundial das Associações de Saúde Pública (2006) e o Prêmio Internacional da Associação Canadense de Saúde Pública (2009).

Currículo Lattes

José Aristodemo Pinotti

Nascido em 20 de dezembro de 1934, na cidade de São Paulo.

Filho do dentista Alfredo Pinotti e da educadora sanitária Anna Bove Pinotti. Fez curso primário no Grupo Escolar Marechal Floriano da Fonseca e o secundário no Colégio Nossa Senhora do Carmo.

Graduou-se em 1958 pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), onde construiu grande parte de sua carreira. Fez residência no Hospital Pérola Byington. Especializou-se em câncer ginecológico e mamário na Università Di Firenze (Itália); no Istituto Nazionale dei Tumori de Milão com o professor Veronesi, e no Institute Gustave Roussy de Paris com o professor Denoix.

Obteve grande destaque na vida acadêmica, tendo sido Presidente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (1969-1971); Professor Titular e chefe do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp, 1972-1982); Consultor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp, 1975-1985); Presidente da Associação Brasileira de Reprodução Humana e Nutrição Materno-Infantil (Renumi, 1975-1988); Diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp em duas gestões: 1970-1971 e 1976-1980; Diretor executivo do Centro de Assistência Integral à Saúde da Mulher (CAISM) da Unicamp (1985-1986), onde também foi Reitor (1982-1986), nomeado pelo governador Paulo Maluf.

Foi Membro do Conselho de Curadores da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura, 1986-1995); presidente da Comissão Científica do Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM) da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (1988-1992); Coordenador do Centro de Referência da Saúde da Mulher e de Nutrição, Alimentação e Desenvolvimento Infantil (Hospital Pérola Byington, 1991-1998) e Presidente da Fundação Pedroso Horta (1997-1998).

Ao longo de sua gestão como reitor da Unicamp, logrou a instalação da prefeitura do campus; o estabelecimento oficial do Instituto de Geociências e a criação do Instituto de Economia e da Faculdade de Educação Física.

Diretor executivo do Instituto da Mulher do Hospital das Clínicas de São Paulo. Teve passagens pelos hospitais Pérola Byington e Sírio-Libanês, e foi Professor Adjunto da Universidade La Sapienza (Itália).

Ao longo de sua vida, escreveu mais de 1300 publicações, entre elas 37 livros científicos, mais de 450 artigos em revistas e jornais especializados nacionais e estrangeiros; duas teses publicadas, monografias, dois livros de poemas; colunas sobre saúde assinadas em jornais, além da participação em congressos nacionais e internacionais.

Também merece destaque sua atuação política, tendo sido Secretário de Educação do Estado de São Paulo entre 1986 e 1987; Secretário Estadual da Saúde e Coordenador do Sistema Unificado e Descentralizado de Saúde (SUDS, 1987-1991); Secretário de Saúde da Prefeitura de São Paulo (2000); Secretário Municipal de Educação de São Paulo (2005-2006); Secretário Estadual de Ensino Superior (2007) e Secretário Municipal Especial da Mulher, na gestão de Gilberto Kassab.

Em 1995, assumiu o cargo de deputado federal pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi reeleito em 2002 e reeleito em 2006, agora, pelo Partido Democrata (DEM), ex-PFL – Partido da Frente Liberal. Foi candidato à Prefeitura de São Paulo em 1996 pelo PMDB. Licenciou-se do terceiro mandato como deputado federal em 4 de março de 2009, devido a problemas de saúde.

Faleceu na cidade de São Paulo em decorrência de câncer pulmonar, em 1º de julho de 2009, aos 74 anos.

Raul Cutait

Nasceu em 18 de março de 1950, em São Paulo, Capital.

Começou seus estudou nos Colégios Elvira Brandão, São Luís e Bandeirantes. Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1973). Mestrado em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da USP (1979). Doutorado em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da USP (1987).

Fez Residência em Cirurgia Geral no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (1974-1975); residência em Cirurgia Digestiva e Coloproctologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (1976-1977); Research Fellow em Cirurgia Oncológica, University of Maryland Hospital (1980); Research Fellow em Cirurgia Oncológica, Memorial Sloan Kettering Cancer Center (1981).

Livre Docência em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da USP (1991). Professor Associado do Departamento de Cirurgia da USP.

Possui Título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Iasi, Romênia (2003) e pela Universidade de Aquino, Bolívia (2014).

Médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e do Hospital Sírio Libanês.

Dentre suas publicações científicas, destacam-se 86 artigos científicos publicados no Brasil e no exterior; 128 capítulos de livros publicados no Brasil e no exterior. Publicou/editou 15 Livros (no Brasil e no exterior), versando sobre câncer colorretal, câncer colorretal hereditário, outros temas cirúrgicos e temas de saúde. Dentre publicações em jornais de circulação nacional, possui mais de 80 artigos em jornais (Folha de São Paulo em especial), versando sobre temas de saúde. Proferiu mais de 300 palestras no Brasil e mais de 200 palestras no exterior.

Presidente da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (2004); Vice-Presidente da Academia Nacional de Medicina (2011-2013); Diretor Geral do International Society of University Colon and Rectal Surgeons (2014-2016); 2º Vice-Presidente da Associação Latinoamericana de Coloproctologia (2015-2017).

Foi Secretário de Saúde do Município de São Paulo (1993); Presidente do Conselho Médico do Hospital Sírio Libanês (2001 a 2004) e Fundador e Diretor do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês (1998 a 2005).

Foi agraciado com mais de 15 prêmios nacionais e internacionais, destacando-se o do ISI (Institute for Scientific Information) conferido em 2001 por publicação de artigo de pesquisa dos mais citados na literatura mundial na década de 90 em todas as áreas da ciência realizado no Brasil. Este mesmo artigo foi o artigo mais citado na literatura mundial nos últimos 40 anos na área de Cirurgia Geral realizado no Brasil.

Membro de 19 sociedades médicas nacionais e 17 internacionais; co-fundador da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica. Membro da Academia Paulista de Letras, cadeira 30 (2010).

É cidadão de cinco estados brasileiros e recebeu a honraria Commande D’Or do Líbano.

Tem importante participação em Conselhos de Responsabilidade Social, como Comunidade Solidária (1995); Fundação Itaú Social (1993); Conselho de Responsabilidade Social da FIESP (membro e presidente 2015-2017); Conselho da Cadeia Produtiva da Saúde da FIESP (2008); Fundação Telefonica (1999); Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (1999-2008); Fundação Mario Covas (2002); Associação Amigos do Museu de Arte Sacra de São Paulo (1998); Patronos do Teatro Municipal (1994-2005); Fundação Bachiana (maestro João Carlos Martins) (2006); Fundação OSESP (2014).

Currículo Lattes

Nestor Schor

Nasceu em 09 de dezembro de 1946, em São Paulo.

Filho do médico romeno Hirsch Schor e de Tuba Laser Schor.

Graduou-se em Medicina pela Escola Paulista de Medicina (EPM) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em 1972, faculdade pela qual receberia o título de doutor em Nefrologia cinco anos mais tarde. Possui pós-doutorado (1978) pela Harvard Medical School e pela Cornell Medical School (1993).

Livre-docente pela Unifesp em 1989. Três anos depois, foi aprovado em concurso para a função de Professor Titular dos cursos de Graduação e Pós-graduação do Departamento de Medicina. Ministra as disciplinas de Rim e Hormônios, Litíase Renal, Fisiologia e Fisiopatologia e Infecção do Trato Urinário.

No início de 1990, desenvolveu o Laboratório de Biologia Celular, voltado para o estudo dos mecanismos fisiopatológicos nas células renais, agora em cultura, especialmente na célula mesangial.

Ao lado desta atividade voltada a fisiologia e fisiopatologia renal, desenvolveu o primeiro Serviço voltado a estudar o metabolismo envolvido na formação de litíase renal tanto em adultos como em crianças.

No ano de 1999, participou da Comissão de Trabalho e Reformulação do Curso de Ciências Biológicas da Universidade. Exerceu os cargos de Chefe do Departamento de Medicina (1996-99) e Chefe da disciplina de Nefrologia (1999-2000). Foi Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da Unifesp (2002-2008). Desenvolveu diversos projetos de pesquisa, incluindo fisiopatologia renal, litíase urinária, biologia celular e células tronco em nefrologia. Foi presidente da Fundação Oswaldo Ramos/Hospital do Rim e Hipertensão (2004-2006).

Foi Presidente do Congresso Internacional de Nefrologia (2007), Presidente das Sociedades Paulista de Medicina (1982-84), da Brasileira de Nefrologia (1988-90), da Brasileira de Investigação Clínica (1990-92) e Vice-Presidente da Sociedade Latino-americana de Nefrologia e Hipertensão1991-96). Participou do Conselho da Sociedade Internacional de Nefrologia (1994-99) e, nesta Sociedade, é membro de vários departamentos como de Insuficiência Renal Aguda, de Ensino, Eleitoral etc.

Parte do corpo editorial de 40 periódicos, dentre eles o American Journal of Kidney Diseases, Clinical Jounal of American Society of Nephrology, Current Opinion in Nephrology and Hypertension, Renal Failure, Kidney International, Einstein e International Brazilian Journal of Urology dentre outros. Publicou mais de 200 artigos em revistas científicas, mais de 280 capítulos em livros e foi editor principal em mais de 50 livros. Teve mais de mil resumos publicados em anais de congresso.

Recebeu dezenas de prêmios, incluindo: Melhor Artigo Científico da Einstein (2006), do Instituto de Ensino Pesquisa Albert Einstein; o Best Basic Science Abstract (2005), concedido pela International Continence Society; o primeiro lugar da categoria de trabalhos originais (2005); Award and Title of “Comendador” of National Order for Scientific Merit from Science and Technology Minister and from the Republic President (2002); International Medal from National Kidney Foundation-USA (2003); Lifetime Achievement Award for “Recognition of Outstanding Lifetime Contributions to the Field of Urolithiasis Research” (2012); Prêmio do Presidente da Sociedade Latino-americana de Nefrologia e Hipertensão Arterial (2014); Prêmio Lide Saúde 2015: “Grandes Nomes da Medicina Brasileira” (2015), etc.

Experiência na área de Medicina, com ênfase em Nefrologia, atuando principalmente nos seguintes temas: hemodinâmica glomerular e microcirculação renal, fisiopatologia renal, insuficiência renal aguda, litíase renal, nefrotoxicidade, infecção urinária, produtos naturais, biologia celular e molecular de células mesangiais glomerulares e células tronco e rim.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Exercício Físico e Ingestão de Líquidos Isotônicos na Urolitíase”.

Nestor Schor exerceu atividades médicas no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e atendeu em sua clínica particular até seus últimos dias.

Faleceu em 3 de fevereiro de 2018.

Currículo Lattes

Eliete Bouskela

Nasceu em 15 de fevereiro em Uberlândia (BH).

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1973). Possui Mestrado em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975) e Doutorado em Fisiologia também pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1978).

Começou sua carreira científica em 1969, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, testando soluções de perfusão, em fluxo constante, para a manutenção de coração isolado de mamíferos (preparação de Langendorff).

Trabalhou no Department of Physiology and Biophysics, University of Lund, Sweden, em março de 1987, inicialmente como Professora Visitante e mais tarde, após seu exame de Docência, em maio de 1992, como Professora Associada.

Professora Titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Coordenadora Adjunta (área de Pesquisa Clínica) do curso de Pós-graduação em Fisiopatologia Clínica e Experimental (nível 7 da CAPES, Medicina I); Diretora de Tecnologia e Cientista do Nosso Estado da FAPERJ.

Integra o corpo editorial da Microvascular Research (Elsevier, San Diego, CA, USA, fator de impacto 2.126) e da Microcirculation (Wiley-Blackwell, Hoboken, NJ, USA, fator de impacto 2.565). Consultora dos Ministérios da Saúde (MS) e Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pesquisadora 1B do CNPq e coordenadora do Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade (CEMPO). Fundou, em 1994, o Laboratório de Pesquisas em Microcirculação (LPM) da UERJ e coordena o Laboratório de Pesquisas Clínicas e Experimentais em Biologia Vascular (BioVasc), onde trabalha com pacientes e modelos experimentais a hipótese de que a disfunção microvascular e endotelial precede a disfunção macrovascular.

Membro Titular (Sessão Saúde) da Academia Brasileira de Ciências e Membro Titular (área Medicina) da European Academy of Sciences and Arts. Foi eleita em 2008 Membro da Academia de Medicina da França, consagrada como primeira mulher brasileira na história a lograr este título – fundada no ano de 1820, a agremiação francesa é a mais antiga e uma das mais tradicionais do gênero no mundo todo.

Revisora de artigos para Intensive Care Medicine; American Journal of Physiology: Heart and Circulatory Physiology; Atherosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology; Brain Research; European Journal of Pharmacology; British Journal of Pharmacology; Journal of Cardiovascular Pharmacology; Journal of Vascular Research; Critical Care; Hypertension; Neurotoxicity Research e outros.

Tem experiência na área de Fisiologia Cardiovascular (Microcirculação) e Pesquisa Clínica, atuando principalmente nos seguintes temas: regulação da reatividade microvascular na obesidade, resistência à insulina, choques séptico e hemorrágico e detecção precoce de risco cardiovascular usando métodos não-invasivos.

Presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro Carlos Chagas Filho FAPERJ (nomeada pelo Governador do Estado do Rio de Janeiro eleita para o período 2013-2016).

Currículo Lattes

Gerson Canedo de Magalhães

Nasceu em 26 de outubro de 1938, no Rio de Janeiro.

Filho de Gerson Augusto Canedo de Magalhães e Maria Geralda Fonseca de Magalhães.

Graduou-se pela Faculdade Nacional de Medicina em 1962, quando recebeu o prêmio Universidade do Brasil, reservado aos 10 melhores alunos da turma, pela sua classificação com distinção.

Interno da 5ª Cadeira de Clínica Médica da Faculdade Nacional de Medicina (Professor Luiz Gentil Feijó), de 1959 a 1962.

Concluiu curso de pós-graduação no Instituto de Neurologia da Universidade de Londres. Realizou estágios por concursos na Prefeitura do Rio de Janeiro e no antigo SAMDU, consagrando-se à Clínica Médica, particularmente à Neurologia Clínica, ligando-se ao corpo docente da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ desde 1963, por onze anos.

Foi selecionado para bolsas de estudos do Conselho Britânico para a posição de Post-Graduate Fellow, no National Hospital for Neurology and Neurosurgery, onde frequentou diversos setores: Neurologia Clínica, Neuropatologia, Eletro-Encefalografia, Eletromiografia (Middlese Hospital) e Neuro-Otologia, por um período de 14 meses.

Obteve brilhante aprovação para Docente-Livre de Clínica Neurológica da UERJ (1970). Dedicou-se amplamente ao exercício da Clínica Neurológica, ligando-se aos serviços de Neurologia do Hospital Pedro Ernesto (1963-74), do Corpo de Bombeiros (1965-77), dos Servidores do Estado (1972-88), Hospital Geral de Bonsucesso (1988-91) e da Beneficência Portuguesa (1972-2003) que dirigiu por três décadas.

Também por meio de concurso, foi aprovado como Médico da Polícia Militar do Estado da Guanabara (1964) e como neurologista da Força Aérea Brasileira (1969) e da Suseme (1969).

É membro da Academia Brasileira de Neurologia (1970), da American Academy of Neurology (1994) e da Royal Society of Medecine (2000).

Professor Titular do Curso de Neurologia do Instituto de Pós-graduação Carlos Chagas (1981). Prestou concurso para Professor Titular da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO (1984) sendo aprovado em 2º lugar, merecendo o título de livre-docente. Prestou novo concurso para Professor Titular na Faculdade de Ciências Médicas da UERJ em 1993, sendo indicado por unanimidade, havendo assumido a função e a direção do Serviço no Hospital Universitário Pedro Ernesto. Professor da Cadeira de Neurologia da Faculdade de Medicina de Valença.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Morte Súbita e o Sistema Nervoso”.

Currículo Lattes

Gilberto De Nucci

Nascido em 18 de março de 1958, em Campinas (SP).

Filho de Mário Nicola Justino De Nucci e Agueda Sarto De Nucci.

Graduou-se em 1981 pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, onde também realizou seus primeiros estudos científicos, no Departamento de Farmacologia, sob a orientação do Prof. Dr. Sérgio Henrique Ferreira. Graduou-se também em Farmácia pela Universidade Federico II de Nápoles em 2010.

Logo após a graduação em Medicina, mudou-se para Londres, onde trabalhou no Prostagladin Research Department do Wellcome Research Laboratories (1982-1986) sob a supervisão do Dr. Salvador Moncada, FRS. Defendeu tese de Doutorado (PhD) no Royal College of Surgeons da Universidade de Londres (1986). Na sequência, fez estágio de Pós-doutorado no William Harvey Research Institute do St Bartholomew’s Hospital Medical College (1986-1989) sob a supervisão de Sir John Vane (Prêmio Nobel de Medicina 1982). Neste mesmo período, foi Professor Visitante do Dipartimento di Farmacologia da Universidade de Nápoles.

Em 1989, voltou ao Brasil e ingressou como Professor Livre-docente no Departamento de Farmacologia da Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade Estadual de Campinas. Seus estudos sobre a resposta inflamatória permitiram o desenvolvimento de novas estruturas químicas, que culminaram, em 1999, com o depósito da primeira patente de um anti-inflamatório sintetizado no Brasil e desenvolvido por uma indústria farmacêutica nacional.

Professor Titular dos Departamentos de Farmacologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

Criou, em 1997, a Unidade Analítica Cartesius no Departamento de Farmacologia da USP, responsável por aproximadamente 60% dos estudos de bioequivalência realizados no país.

Em 12 de setembro de 1999, foi classificado como o 4º pesquisador da área de bioquímica com maior número de citações internacionais, segundo registros do CNPq.

Membro titular da Academia Nacional de Farmácia desde 2009 e da Academia Brasileira de Ciências (secção Ciências Biomédicas) desde 2011. Em 2009, recebeu o título de Cidadão Emérito pela Câmara Municipal de Campinas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Depois do Óxido Nítrico”.

Currículo Lattes

Sérgio Paulo Bydlowski

Nascido em 01 de abril de 1951 em São Paulo.

Filho de Abraham Bydlowski e Alta Bydlowski.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1976). Mestrado (1980) e doutorado (1984) em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade Federal de São Paulo. Realizou Pós-doutorado na University of Cincinnati School of Medicine e no Karolinska Institute. Livre-docente em Terapêutica Clínica pela Faculdade de Medicina da USP (1995).

Professor Titular de Fisiologia da Faculdade Adventista de Enfermagem (1982-1984); Professor Titular de Fisiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Santo Amaro (UNISA) (1988-1991). Professor Associado Fisiologia e Fisiopatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1987-1991); Professor Associado de Hematologia e Hemoterapia da Faculdade de Medicina, da Universidade de São Paulo.

Presidente da Associação Brasileira de Terapia Celular; Coordenador da Pós-Graduação em Ciências Médicas da Faculdade de Medicina da USP; Diretor do Laboratório de Genética e Hematologia Molecular, Faculdade de Medicina da USP; Chefe do Laboratório de Investigação Médica 31 (LIM31) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Editor convidado da “Proceedings of the Society for Experimental Biology and Medicine” (1984-1985); Revisor convidado da “Brazilian Journal of Medical and Biological Research” (1988); Assessor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) (1992); Membro do Corpo Editorial da “Hematologia e Hemoterapia” (1996); Consultor da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) (1999).

Possui experiência nas áreas de hematologia, bioquímica e fisiopatologia e em pesquisa clínica. Também atua na área de genética, focando temas como proliferação e diferenciação celulares, terapia gênica e celular, neoplasias, metabolismo lipídico e do colesterol, hemostasia e farmacologia molecular.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Fatory Leiden: Mutação Associada a Complicações que Conduzem ao Transplante Hepático? Um Estudo Prospectivo”.

Currículo Lattes

Henrique Murad

Nascido em 17 de agosto de 1943 em Recife (PE).

Filho de Alberto Murad e Helena de Oliveira Murad.

Graduou-se em Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1967, tendo recebido o Prêmio Universidade do Brasil atribuído aos 10 melhores alunos da turma. Fez Residência em Cirurgia Geral na UFRJ, sob a orientação do Professor Mariano Augusto de Andrade, de 1968 a 1969 e Residência em Cirurgia Cardiotorácica na Universidade de Illinois, em Chicago-USA, de 1973 a 1976, sendo seus principais mentores os professores W. Dudley Johnson e Hiram T. Langston. Concluiu o Mestrado em 1978 e o Doutorado em 1982, ambos em Medicina (Cirurgia Geral- Setor Tórax) pela UFRJ.

Fez sua vida acadêmica na UFRJ iniciando como Professor Assistente em 1978, chegando a Professor Titular de Cirurgia Cardiotorácica por concurso em 1996 e se aposentando por atingir a data limite de permanência no serviço público em 2013. Professor Emérito da UFRJ em 2016.

Foi Chefe do Serviço de Cirurgia Cardíaca do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho por mais de vinte anos, tendo sido o responsável pelo treinamento de vários residentes em cirurgia cardiotorácica. Foi Chefe do Departamento de Cirurgia de 2009 a 2013 e Vice-Diretor da Faculdade de Medicina da UFRJ de 1998 a 2002. Orientou alunos de Mestrado e de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Medicina (Cirurgia Geral-Setor Tórax) da UFRJ.

Participou ativamente de Bancas Examinadoras de Mestrado, Doutorado e de concursos públicos na área do magistério superior na UFRJ e em outras Universidades. Tem grande experiência em Cirurgia Cardiovascular, com especial interesse no tratamento cirúrgico de doenças da aorta, doenças valvares e na revascularização miocárdica.

Professor Titular de Cirurgia Cardíaca da Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) (2003).

Criou o Serviço de Cirurgia Vascular no Hospital da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro onde trabalhou de 1978 a 1993 e chefia o Serviço de Cirurgia Cardiovascular do Hospital São Vicente de Paulo, no Rio de Janeiro desde 1982.

Participa de várias Sociedades Médicas, no Brasil e no exterior e tem importante contribuição científica. É membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, do American College of Surgeons, da Society of Thoracic Surgeons of North America e da European Association for Cardiothoracic Surgery, entre outras.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Tumores Benignos do Coração”. Participou da Diretoria da Academia Nacional de Medicina em três mandatos, ocupaando diversos cargos.

Currículo Lattes

Luiz de Paula Castro

Nasceu em 26 de maio de 1932, em Caeté, Minas Gerais.

Primogênito de 12 irmãos, filho de Francisco de Paula Castro e Carmem de Lima Ferreira de Castro.

Graduou-se pela Universidade de Minas Gerais em 1955. Foi interno do Hospital Municipal de Belo Horizonte e da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, especializando-se em Gastroenterologia. Fez Pós-graduação no Serviço de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, em 1966. Em 1958, recebeu o título de Doutor em Medicina pela UFMG, apresentando tese intitulada “Venografia Costal Intraóssea: Técnica e Aplicação na Hipertensão Portal”, onde em 1962, recebeu também o título de Docente-livre.

Por três vezes estagiou fora do Brasil. Em 1959 trabalhou no Serviço de Gastroenterologia do Veterans Administration Hospital, em Los Angeles, sob a orientação do grande mestre da fisiologia gástrica humana, Prof. Morton Grossman. Em 1965, recebeu da CAPES uma bolsa para estágio no exterior, desta vez, no General Hospital em Birmingham, Inglaterra. Contemplado pelo Governo Britânico (British Council) com uma bolsa de estudos, em 1972 visitou vários serviços de excelência em gastroenterologia.

Entre as atividades didáticas, ministrou o curso teórico de Clínica Propedêutica Médica (parte referente ao aparelho digestivo) na então recém-criada Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Católica de Minas Gerais, ainda na década de 50. Foi instrutor da 2ª Cadeira de Clínica Médica, da Faculdade de Medicina da UFMG, cargo desempenhado até 1965.

Como Professor Adjunto de Clínica Médica, ministrou aulas teóricas e práticas sobre patologia do esôfago, hipertensão arterial, nefropatias e doenças periféricas, além de assuntos relacionados com patologia digestiva.

Em 1970, com a instituição do regime departamental na Universidade, optou pela disciplina de Gastroenterologia e Nutrição, do Departamento de Clínica Médica. Ainda nesse ano, foi Chefe do Departamento de Clínica Médica, recém constituído, cargo que só deixou quatro anos depois.

Foi nomeado Professor Titular da UFMG em 1975, criando, em 1981, o Ambulatório de Úlcera Péptica na Faculdade de Medicina, através de uma parceria entre o Hospital das Clínicas da UFMG, o então INPS e o INAMPS, que se transformou no maior centro referência do país nos estudos das doenças gástricas, de forma especial.

Entre 1976 a 1980, assumiu, sucessivamente, a direção da Faculdade de Medicina da UFMG, a chefia do Departamento de Clínica Médica e, em seguida, a Direção do Hospital das Clínicas da UFMG.

Dentre os cargos ocupados na área médica, destacam-se as presidências da Federação Brasileira de Gastroenterologia (de 1984 a 1986), da Associação Brasileira de Educação Médica (de 1986 a 1988) e da Associação Interamericana de Gastroenterologia – AIGE (1997-1999). Foi eleito Governador para o Brasil do American College of Gastroenterology – ACG (1998-2002) e Membro da AGA (American Gastroenterological Association).

Foi, ainda, colaborador dos seguintes periódicos: Sinopse em Gastroenterologia; Arquivos de Gastroenterologia; Revista Pernambucana de Gastroenterologia; Revista Brasileira de Medicina; Arquivo Brasileiro de Cirurgia Digestiva; Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva; Revista Brasileira de Clínica e Terapêutica; Revista Brasileira de Nutrição Clínica; Revista Médica de Minas Gerais; Revista da Associação Médica Brasileira. Foi editor de Gastroenterologia (2002-2004). No exterior, colaborou com Acta Gastroenterológica Latinoamericana; Gastric Câncer; Hepato Gastroenterology.

Publicou mais de 350 artigos em revistas nacionais e estrangeiras e proferiu mais de 500 palestras, dentro e fora do Brasil.

Professor Emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Sócio Benemérito da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), além de ter recebido, da Organização Mundial de Gastroenterologia, o merecidíssimo título de Mestre da Gastroenterologia Latino-Americana, prêmio concedido pela sua inestimável contribuição à especialidade.

Faleceu em 12 de julho de 2011.

Currículo Lattes

Daniel Goldberg Tabak

Nasceu em 05 de dezembro de 1955, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Gerson Lejb Tabak e Rywka Goldberg.

Foi aprovado em primeiro lugar para o curso de Medicina da Universidade Federa do Rio de Janeiro e em segundo lugar na classificação geral do vestibular unificado, em 1974. Foi, por isso, agraciado com o Prêmio Halles Vestibular. Graduou-se pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1979, concluindo residência médica na UFRJ (1981).

Foi aprovado no Visa Qualifying Examination, em 1980 e aceito pelo Programa Latino Americano para Treinamento em Medicina, da Universidade de Miami, Flórida. Especializou-se em Medicina interna pela Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami (1984), pela Educational Commission for Foreign Medical Graduates (1982) e pela American Board of Internal Medicine (1984). Também se especializou em Oncologia pela Washington University School of Medicine (1986).

Ao retornar para o Brasil em 1986, foi convidado pela Professora Mary Evelyn Flowers, idealizadora e responsável pelo Centro Nacional de Transplante de Medula Óssea (CEMO) do Instituto Nacional do Câncer (INCA) a permanecer naquele Serviço. Foi contratado em agosto de 1986 pela Campanha Nacional de Combate ao Câncer e assumiu, na mesma época, a chefia do Serviço de Oncologia do Hospital São Vicente de Paulo. Foi

Diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do Instituto Nacional de Câncer (CEMO-INCA), de 1987 a 2003.

Em setembro de 1987, participou do atendimento às vítimas do acidente com Césio-137, em Goiânia.

Em 1990, assumiu a gerência do Programa de Imunogenética e Transplante de Órgãos (PITO) da Campanha Nacional de Combate ao Câncer, em substituição ao Dr. Francisco Barbosa Netto.

Em 1992, coordenou os estudos que resultaram na realização do primeiro transplante autogênico de precursores hematopoéticos de sangue periférico no Brasil.

Em 1993, foi agraciado com o Título de Cidadão Benemérito da Cidade do Rio de Janeiro e condecorado com a Medalha Santos Dumont, por serviços prestados à Aeronáutica Brasileira.

Iniciou, em 1997, estudos visando o estabelecimento do primeiro Banco de Células de Cordão Umbilical no Brasil. A responsabilidade pela implantação no programa no INCA foi dividida com o Prof. Luis Fernando Bouzas. Ao lado do Prof. José Roberto Moraes, garantiu também a expansão do REDOME – Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea.

Em 1998, assumiu a Presidência da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO), sendo reeleito para um segundo mandato de dois anos, em 2000.

Membro do Conselho Editorial da revista “Bone Marrow Transplantation e da Revista Brasileira de Cancerologia; Editor Associado da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e um dos editores do livro “Transplante de Precursores Hematopoéticos”, primeiro livro texto da especialidade em língua portuguesa.

Atua nas áreas de oncologia e transplante de medula óssea. Atua como Chefe do Serviço de Terapia Celular da Clínica São Vicente e Diretor Médico do Centro de Tratamento Oncológico (Centron).

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Transplante de Medula Óssea em Síndromes Mielodisplásicas – Experiência do Centro de Transplante de Medula Óssea do Instituto Nacional do Câncer”.

Currículo Lattes

Ricardo Renzo Brentani

Nasceu em 21 de julho de 1937, em Trieste, Itália.

Filho de Segismundo e Gerda Brentani, foi naturalizado brasileiro. Graduou-se em Medicina, pela Universidade de São Paulo (1962) e obteve Doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica), pela mesma Universidade (1966).

Publicou seu primeiro artigo na Revista Nature, uma das mais conceituadas revistas científicas do mundo, quando ele ainda estava no quarto ano da faculdade, em 1960. Repetiu o feito mais três vezes: em 1964 e 1966, em parceria com sua mulher, e em 1990, com sua filha.

Foi o primeiro Professor Titular de Oncologia da Faculdade de Medicina da USP, cadeira que criou em 1980 e dirigiu até 2007, quando se tornou Professor Emérito da instituição. Idealizou e implementou o primeiro curso de pós-graduação em um hospital privado brasileiro, o Hospital do Câncer A.C. Camargo.

Dentre as láureas conquistadas, destacam-se: Prêmio Costa Júnior da Academia Nacional de Medicina (1982); Prêmio Governador do Estado de São Paulo (1982); Prêmio Múcio Athayde de Combate ao Câncer da Academia Nacional de Medicina (1983); Prêmio Rheinboldt-Hauptmann de bioquímica do Instituto de Química da USP (1995); Prêmio Nacional de Seguridade Social (2001); Prêmio Ciência e Cultura (2006); Prêmio Scopus em Medicina (2007); Prêmio Ciência e Cultura da Fundação Conrado Wessel (2007); e três meses antes de seu falecimento recebeu o Prêmio Octavio Frias de Oliveira na categoria “Personalidade de Destaque” (2011), promovido pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) em parceria com o Grupo Folha.

Foi Presidente da Fundação Antônio Prudente e do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer, onde estudou a biologia celular: proliferação, diferenciação e metástase e biologia molecular das macromoléculas e transdução de sinal. Membro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, tendo sido também seu Presidente.

Foi um dos expoentes no Projeto Genoma do Câncer Humano, que trouxe novos rumos para a pesquisa oncológica. Foi membro do conselho da Capes e, entre 2000 e 2011, foi membro do corpo editorial do Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention (1055-9965).

Dedicou-se às áreas de bioquímica, com ênfase em biologia celular, atuando principalmente nos seguintes temas: doenças de príon, laminina, câncer de mama e microarrays.

Considerado um dos mais importantes cientistas do Brasil na área de pesquisas oncológicas, o Acadêmico Brentani teve mais de 300 trabalhos publicados em periódicos importantes, como Nature e Science.

Faleceu em 29 de novembro de 2011, aos 74 anos.

Anibal Gil Lopes

Nascido em 18 de julho de 1948, em Araraquara, São Paulo.

Graduou-se em Medicina pela Universidade de São Paulo (1973). Iniciou o programa de iniciação científica sob a orientação do Prof. Gerhard Malnic no segundo ano do curso médico.

Tem doutorado em Fisiologia de Órgãos e Sistemas pela Universidade de São Paulo (1976) e Pós-doutorado pela Yale University (1984). De volta ao Brasil, iniciou na Universidade de São Paulo o estudo dos mecanismos de transporte iônico envolvidos na regulação do volume celular em epitélios renais.

Completou os estudos de Teologia no Seminário Arquidiocesano de São Paulo, tendo sido ordenado sacerdote católico em 1973.

Entre 1986 e 1994 foi membro do “Working Group on AIDS” da Caritas Internacionalis, Vaticano. Nesta condição participou ativamente da organização de Reuniões e Simpósios sobre as diferentes implicações da Pandemia da AIDS tanto nas diferentes regiões brasileiras como na Europa, África, Ásia e Américas.

Em 1993 tornou-se Professor Titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ, onde instalou um novo laboratório de Fisiologia Renal, que hoje reúne um grande número de estudantes de iniciação científica e Pós-graduação. Foi Diretor do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Membro da Comissão de Ética em Pesquisa em Seres Humanos do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa do Conselho Nacional de Saúde e da Comissão Interministerial de Ciência e Tecnologia do Conselho Nacional de Saúde.

Possui experiência na área de fisiologia, com ênfase em fisiologia renal, área na qual estuda os mecanismos moleculares da regulação dos processos de transporte Iônico ao longo do néfron, tendo cerca de 80 trabalhos científicos publicados em periódicos de circulação internacional.

Entre os prêmios recebidos, destacam-se o Michel Jamra, da Sociedade Brasileira de Investigação Clínica (2006); Prêmio Roberto Alcântara Gomes, da Sociedade Brasileira de Biofísica (2006); Prêmio Cientista do Nosso Estado, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (2005 e 2003); Prêmio de Excelência em Ensino Médico da Faculdade de Medicina da UFRJ, AMIL e Faculdade de Medicina da UFRJ (2005); Homenagem por atuação profissional e contribuição inestimável, Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da USP (2005), entre outros.

Membro Titular da Academia Latino-Americana de Ciências; da Pontifícia Academia para a Vida do Vaticano; Academia Brasileira de Medicina de Reabilitação; Associado da Academia Brasileira de Ciências; Correspondente da Académie Européenne des Sciences, des Arts et des Lettres e Correspondente brasileiro da Academia das Ciências de Lisboa.

Currículo Lattes

Ronaldo Damião

Nascido em 10 de dezembro de 1950, em Araguari (MG).

Filho de Álvaro Américo Damião e Marfisa Canassa Damião.

Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1975), com especialização em Urologia. Tem Doutorado em Medicina (Urologia), pela Universidade Federal de São Paulo (1991).

Professor Titular do Departamento de Especialidades Cirúrgicas, da Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde ministra as disciplinas de transplante renal e uro-oncologia. Coordenador do curso de Pós-graduação lato sensu em Urologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em cirurgia. Coordenador do Serviço de Urologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) e Membro da Câmaras Técnicas de Urologia do CREMERJ. Chefe da 14ª. Enfermaria do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia e Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia.

Investigador Principal e Coordenador geral do Centro de Pesquisa em Urologia Sérgio Aguinaga (CEPUSA), fundado em 2003. O CEPUSA conta com infra-estrutura completa para realização de pesquisas clínicas. Ao longo dos anos vem participando de inúmeros protocolos nacionais e internacionais nas diversas áreas, tais como disfunção erétil, hiperplasia prostática benigna, câncer de próstata, biópsia de próstata, ejaculação precoce, incontinência urinária, hiperatividade detrusora, infecção urinária, etc.

Coordenador do Centro de Assistência à Saúde do Homem, alocado na Policlínica Piquet Carneiro, em São Francisco Xavier, Zona Norte carioca.

Entre os prêmios recebidos, destaca-se a Medalha Pedro Ernesto, da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Recebeu também homenagens da Sociedade Brasileira de Urologia, da Associação Portuguesa de Urologia, Medalha Almirante Tamandaré da Marinha do Brasil, entre outras. Foi homenageado com o Citoscópio de Ouro em 2013.

Atua na área de Cirurgia Urológica, com ênfase nos seguintes temas: câncer de próstata, uretra, estereologia, pênis e hipospádia.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Memória Nefrectomia Parcial – Indicações Técnicas Cirúrgicas e Resultados”.

Currículo Lattes

Gilberto Schwartsmann

Nasceu em 18 de agosto de 1955, em Passo Fundo (RS).

Filho de Simão Schwartsmann e Maria Safra Schwartsmann.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), em 1980. Possui especialização em Oncologia Clínica pela Middlesex Hospital University College Royal Marsden Hospital (1983), doutorado em Farmacologia de Drogas Anticâncer pela Free Universtity Hospital (1988), pós-doutorado pela Organização Européia para Pesquisa e Desenvolvimento de Drogas Anticâncer (1991), aperfeiçoamento em especialização pela European Organization for Research and Treatment of Cancer (1991) e aperfeiçoamento em especialização pelo US National Cancer Institute (1992).

Professor pesquisador do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e da UFRS, instituições nas quais trabalha para o desenvolvimento de drogas anticâncer. No HCPA, ministra a disciplina de Oncologia Básica na graduação e dá aulas no curso de pós-graduação. É Professor Permanente no Programa de Pós-Graduação em Farmacologia e Terapêutica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O oncologista ainda acumula as funções de diretor do Instituto de Oncologia Kaplan do Rio Grande do Sul e a de presidente da Fundação SOAD de Pesquisas do Câncer. Desde 1993, faz parte do Conselho do Instituto do Câncer Infantil do RS, do qual é Membro Fundador.

Publicou três livros e possui cerca de 200 artigos originais listados no PubMed, além de cerca de 2000 citações no ISI Citation Índex. Detentor de sete patentes na área de novos medicamentos e testes diagnósticos em Oncologia.

Orientou mais de 60 dissertações e/ou teses de doutorado em Oncologia pela UFRGS.

Recebeu diversos prêmios e títulos, entre eles, o Prêmio Carmen Prudente (2004), da Sociedade Paulista de Oncologia Clínica; o Prêmio Walter Guezzi (2003), durante a Jornada Gaúcha de Coloproctologia e o Prêmio Destaque em Pesquisa (2001), da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

Faz parte do corpo editorial das seguintes publicações: The Lancet Oncobiology, Recent Patents in Anti-Infective Agents, Session of Oncology, Revista da Associação Médica Brasileira. É membro de inúmeras instituições nacionais e internacionais, como a Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina, a European Society of Medical Oncology, a American Society of Clinical Oncology, a Real Academia de Medicina da Espanha, a Sociedade Argentina de Oncologia Clínica e a Sociedade Latino-Americana de Oncologia Médica (membro fundador). Membro do Conselho da Fundação Iberê Camargo e Vice-Presidente da 10ª Bienal do Mercosul.

Diretor Médico e Sócio Fundador do Instituto de Oncologia Kaplan. Foi o primeiro latino-americano a ser diretor do New Drug Development Office da European Organization for Research and Treatment of Cancer (EORTC). Faculty Member da European Society of Medical Oncology; Doutor Honoris Causa pela USAL, Buenos Aires, Argentina, e Médico do Centro do Câncer do Hospital Ernesto Dornelles. É cidadão honorário das cidades de Porto Alegre, Canoas e Barra do Ribeiro, Rio Grande do Sul.

No dia 25 de março de 2014, a Direção da Fundação Médica do RS, órgão representativo dos docentes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), realizou cerimônia comemorativa à criação da bolsa de estudos Professor Gilberto Schwartsmann.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Experiência com Uso de Talidomia em Pacientes com Mielanoma Múltiplo e Tumores Sólidos Avançados Refratários”.

Currículo Lattes

Paulo Niemeyer Soares Filho

Nascido em 09 de abril de 1952, no Rio de Janeiro.

Filho de Paulo Niemeyer Soares e Maria Pia Rafaela Guilhermina Alice Torres Guimarães.

Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1975. A seguir iniciou sua residência em Neurocirurgia na Clínica Neurocirúrgica Dr. Paulo Niemeyer, na Casa de Saúde Dr. Eiras. Dedicou seu primeiro ano de Residência ao estudo da Neurologia e Neurorradiologia, no The National Hospital for Nervous Diseases, Institute of Neurology, University of London, Queen Square, onde estagiou como Post-Graduate Fellow.

Em 1977 foi nomeado Chefe do Serviço de Neuro-Tomografia Computadorizada da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. Em 1978 foi contratado como médico Neurocirurgião do Hospital Municipal Souza Aguiar. Em 1979 introduziu no Brasil, nova técnica microcirúrgica para tratamento de nevralgia do trigêmio, que teve a oportunidade de aprender na University of Gainsville, na Flórida. Ao final de 1979 foi nomeado Diretor do Instituto de Neurocirurgia da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Em 1980 após exame de seleção, obteve o Título de Especialista em Neurocirurgia, outorgado pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

Em 1982, foi aprovado em exame de seleção, como Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Em 1983 foi nomeado Professor Adjunto e Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Neurocirurgia da Fundação Carlos Chagas. Neste mesmo ano, foi nomeado Chefe do Serviço de Neurocirurgia da Escola Paulista de Medicina, aprovado pela banca examinadora.

Em 1984 completou o curso “The Use of Lasers in Neurological Surgery”, realizado no Mayfield Neurological Institute, Cincinnati, Ohio, sob a direção do Prof. John Tew. Em 1984, como Membro Fundador, foi eleito Presidente da Sociedade de Neurocirurgia do Rio de Janeiro e membro do Conselho Superior da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Foi eleito Irmão da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro em 1985.

Em 1986 realizou concurso para Professor Titular de Neurocirurgia da Escola Médica de Pós-Graduação da PUC-Rio, tendo sido aprovado em 1º lugar. Em 1987, foi aprovado como Membro Internacional da Sociedade Norte-Americana Congress of Neurological Surgeon. Em 1989 foi eleito Membro do Neurotraumatology Committee do Word Federation of Neurological Societies.

Vice-Diretor da Escola Médica de Pós-Graduação da PUC-Rio, nos biênios 1992-1994 e 1994-1996. Diretor da Escola Médica de Pós-Graduação da mesma instituição nos biênios 1996-1998 e 1998-2000.

É Diretor Médico do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Membro do Conselho da Fundação do Câncer.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Experiência com a Cirurgia dos Aneurismas Intracranianos da Fossa Posterior”.

Currículo Lattes

Azor José de Lima

Nasceu em 25 de março de 1934, em Ituverava (SP).

Filho de José de Lima e Rosa Ramos de Lima.

Graduou-se em Medicina em 1958, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde também concluiu seu doutorado, em 1967. Como interno, frequentou o Departamento de Clínica Pediátrica da Policlínica Geral do Rio de Janeiro. Ainda na UFRJ, recebeu o título de Livre-docente no ano de 1967. Foi Professor Adjunto da instituição de 1965 a 1985 e ministrava a disciplina de Pediatria.

Após a formatura, prestou concursos públicos para a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Foi avaliado pelo professor José Martinho da Rocha que, diante de seu desempenho no exame, o convidou para integrar sua equipe no Instituto Martagão Gesteira, no período de 1963 a 1969.

Em Vitória, foi convidado para organizar a implantação do Serviço de Pediatria no Espírito Santo. Além disso, organizou um Centro de Estudos, a Residência Médica em Pediatria e a Sociedade Espiritossantense de Pediatria, entidade que se tornou responsável pelo exame para obtenção do Título de Especialista em Pediatria (TEP).

Em 1965, voltou ao Rio de Janeiro, onde fez concurso para a UniRio. Inicialmente rudimentar, com um único ambulatório, sem enfermaria, berçário ou sala de aula, a instituição foi aos poucos transformada pelo Acadêmico. Com o tempo, montou uma equipe de assistentes, construiu um amplo espaço de formação de pediatras com UTI bem equipada, organizou a primeira Residência da Universidade e cursos de especialização.

Professor Titular da Unirio (1978), ministrando diversas disciplinas relacionadas à área de Pediatria. Desde 1984, dá aulas no curso de Pós-graduação para especialização em Pediatria e é responsável pelo treinamento de residentes da Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade.

Entre 1994 e 1996, ocupou a chefia do departamento de Medicina Geral. Diretor do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (Unirio – 2000) e Instituidor da Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Professor Emérito da Escola de Medicina e Cirurgia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da UniRio (2008).

Ajudou a criar e foi o primeiro presidente do Congresso Brasileiro de Nutrição e Metabolismo Infantil, em 1981. Membro das Academias Brasileira de Pediatria e Latino-Americana de Nutrologia. Já ocupou os cargos de Vice-presidente e Presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria e Presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Realiza pesquisas na área da gastroenterologia e nutrição, escrevendo diversos artigos e capítulos sobre o tema. Publicou o livro Pediatria Essencial, destinado a graduandos e residentes em Pediatria. O livro já se encontra em sua quinta edição.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Contribuição ao Estudo da Constipação Intestinal na Criança: Detecção de um Prenúncio nos Primeiros Seis Meses de Vida”.

Faleceu em 22 de agosto de 2020 na cidade do Rio de Janeiro. 

João Pedro Escobar Marques-Pereira

Nascido em 13 de março de 1933, em Porto Alegre (RS).

Filho de Francisco de Castilhos Marques-Pereira e Zilda Maria Escobar Marques-Pereira.

Graduou-se em Medicina, em 1956, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Após sua formatura, inscreveu-se como candidato ao Curso de Pós-Graduação em Histologia e Embriologia da Universidade do Estado de São Paulo (USP), como bolsista da CAPES, sendo aprovado. Ali permaneceu por dois anos, sob orientação do Prof. Dr. Luiz Carlos Uchôa Junqueira. Em 1958, prestou concurso para concorrer à vaga de Professor Auxiliar de Ensino da Disciplina de Histologia e Embriologia da UFRGS, aprovado com distinção, iniciando então, oficialmente, sua carreira docente.

Obteve o título de Doutor em Medicina, mediante defesa de tese, realizada em 1959, intitulada: Localização intracelular da 5-fosfororibosilpirofosfatase em fígado de pombo, sendo aprovado com grau 10 (dez) – com distinção.

Em 1960, como bolsista da CAPES, teve oportunidade de frequentar o Curso de Embriologia Humana, ministrado pelo Prof. Dr. Jan Langman, na Universidade Federal de Pernambuco, Recife. Através do relacionamento com o Prof. Langman, ficou estimulado a inscrever-se na McGill University, no Curso de Pós-Doutorado em Histologia e Embriologia. Concorreu e obteve, através da CAPES – Rockefeller Foundation, bolsa de estudos, o que lhe permitiu realizar: estágio na Tulane University Medical School – New Orleans, USA, para médicos estrangeiros, onde teve oportunidade de cursar várias disciplinas de Ciências Básicas (1961-1962). Estagiou no Departamento de Anatomia da McGill University – Montreal, Canadá, (1962-1964). Como aluno matriculado na Faculty of Post Graduate Studies and Research, sob a direção do Prof. Charles Philipe Leblond, frequentou vários cursos, obtendo créditos necessários para o título de PhD, publicando vários trabalhos. Nesse Departamento, participou de vários seminários e exerceu a função de Professor Assistente das aulas práticas de Histologia e Embriologia.

Retornando ao Brasil, em 1965, continuou suas atividades docentes na disciplina de Histologia e Embriologia, do Departamento de Ciências Morfológicas, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e contribuiu como Professor Titular de Histologia e Embriologia na implementação das seguintes Faculdades do Estado do Rio Grande do Sul: Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Faculdade de Medicina da cidade de Rio Grande e Faculdade de Medicina da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Em 1971, frequentou o Curso de Especialização de Imunohematologia no Centre National de Transfusion Sanguine de Paris, sob a coordenação do Prof. Jean Moulec, quando obteve o título de Chef de Centre de Transfusion Sanguine, sendo o 2º médico brasileiro a conquistar este título. Nesse mesmo ano, teve o privilégio de ser aluno do Prof. Jean Dausset – prêmio Nobel de Medicina – no curso teórico-prático sobre antígenos leucocitários humanos (sistema HLA).

Retornou a Porto Alegre, em 1972, seguindo suas atividades docentes, associadas ao Setor de Hemoterapia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), por ele organizado e fundado. Exerceu, desde então, a função de Chefe do Serviço de Hemoterapia do HCPA, até 1º de maio de 2007.

Em 1977, realizou concurso para Livre-Docência em Histologia e Embriologia, obtendo esse título, associado ao de Doutor em Ciências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, defendendo a tese: “Ritmo Circadiano das Células em Síntese de DNA no Epitélio Esofagiano do Rato”.

De 1980 a 1982, com bolsa de estudos concedida pelo Conselho Nacional de Pesquisas, teve oportunidade de estagiar por dois anos na Escuela de Hematologia Farreras Valenti, no Hospital Clínico y Provincial de Barcelona, sob orientação do Prof. Dr. Ciryl Rozman, quando publicou trabalhos e aprendeu técnicas de microscopia eletrônica de transmissão e varredura, aplicadas em biópsias de medula óssea humana.

Em 1989, realizou concurso público de títulos e provas para provimento da vaga de Professor Titular de Citologia, Histologia e Embriologia na Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, sendo aprovado, e permanecendo em atividade até março de 2003.

Em 1990, realizou concurso público de títulos e provas para provimento da vaga de Professor Titular de Histologia e Embriologia do Instituto de Ciências Básicas da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, sendo aprovado, e permanecendo em atividade até março de 2003.

De 1996 a 1998, foi Presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, eleito por unanimidade de votos.

Em 15 de dezembro de 2000, foi eleito Chefe do Departamento de Ciências Morfológicas do Instituto de Ciências Básicas da Saúde da UFRGS, Porto Alegre – RS, cargo exercido até 2003.

Em março de 2003, foi aposentado como Professor Titular de Histologia e Embriologia, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pela Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, após 45 e 14 anos de atividades, respectivamente.

Em 2004, elaborou o projeto para instalação de um Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário, para o governo do Estado do Rio Grande do Sul, como representante do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. O referido projeto foi aprovado e localizado no Serviço de Hemoterapia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, sendo eleito Diretor Técnico do referido Banco de Sangue, através da Portaria nº 386/2005, exarada pelo Secretário de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul.

Ao longo de 35 anos de chefia do Serviço de Hemoterapia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, foi responsável pela formação hemoterápica de 79 (setenta e nove) médicos residentes de Hematologia e Hemoterapia, em nível de pós-graduação, hoje responsáveis por serviços em diversas cidades brasileiras. Paralelamente, foi responsável pelo treinamento de 41 estagiários da área da Saúde, oriundos de várias cidades do Estado do Rio Grande do Sul e de outras Universidades.

Em 2006, foi eleito para a Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e, neste ano de 2007, foi escolhido por seus pares para assumir a Vice-Presidência da mesma.

Professor Regente da disciplina de Hematologia Laboratorial e Procedimentos Hemoterápicos, no novo Curso de Biomedicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Na Pós-graduação, participa como docente do Curso de Especialização (lato sensu) em Análises Clínicas, da Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na disciplina de Hemoterapia.

Diretor Técnico do Laboratório Marques Pereira, prestando serviços de Medicina Transfusional ao Instituto de Cardiologia e ao Hospital Ernesto Dornelles.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Estudos Históricos das Fibras do Sistema Elástico na Matriz Extracelular da Mucosa do Bulbo Duodenal Humano Normal”.

Faleceu em 06 de junho de 2017, em Porto Alegre.

Delta Madureira Filho

Nascido em 07 de setembro de 1949, em Cachoeiro de Itapemirim (ES).

Filho de Delta Madureira e de Maria Glória Machado Madureira.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Campos (1973). Possui especialização em Cirurgia Geral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975). Concluiu Mestrado (1977) e Doutorado (1978) em Cirurgia Geral pela UFRJ e Livre-docência em Cirurgia Geral na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1990).

Coordenador do Internato de Cirurgia do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1987-1990).

Professor do curso de Pós-graduação em Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988). Professor Titular do curso de Pós-graduação em Cirurgia Geral da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e Professor Associado em Cirurgia Geral na UFRJ.

Coordenador do Setor da Medicina da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (FAPERJ) (1993-1994).

Chefe do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ) (2003-2006), onde também foi Coordenador do Programa de Cirurgia Videolaparoscópica (1994-2002 e 2002-2006).

Cirurgião Geral no Hospital Samaritano, na Casa de Saúde São José e no Centro Médico Sorocaba, no Rio de Janeiro. Foi Médico-Cirurgião do INAMPS. Sua área de interesse e pesquisa é cirurgia da vesícula biliar e o tratamento do refluxo gastroesofágico.

Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões do Rio de Janeiro; do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva de São Paulo; do International College of Surgeons de Chicago (EUA); do Society American of Gastrointestinal Endoscopic Surgeons de Los Angeles (EUA); da Federação Brasileira de Gastroenterologia e da Sociedade de Gatroenterologia do Rio de Janeiro. Presidente da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (1988-1989; 1990-1991). Sócio-Titular da SOCIVERJ – Sociedade de Cirurgia Video-Endoscópica do Estado do Rio de Janeiro (1994).

Membro Correspondente Estrangeiro da Sociedad de Gastroenterologia del Peru (1992); da Academia Peruana de Cirurgía (1996) e da Sociedad Boliviana de Gastroenterologia (1991). Miembro de Honor de la Sociedad Cubana de Gastroenterologia (1991).

Recebeu a comenda Newton Braga, outorgada pela municipalidade de Cachoeiro de Itaperimim (1992). Diploma de “Cidadão Campista”, outorgado pela Prefeitura Municipal de Campos (1998).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Megaesôfago: Resultados do Tratamento Cirúrgico por Videolaparoscopia”.

Currículo Lattes

Claudio Cardoso de Castro

Nascido em 05 de fevereiro de 1944 no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de João Cardoso de Castro e Yedda Pereira de Castro.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil (UFRJ) em 1966. Durante o curso médico, interessou-se pela cirurgia, mantendo estreito contato com a cadeira de Anatomia. Foi monitor voluntário de 1962 a 1966. Depois da Residência Cirurgia Geral, no Hospital Estadual Getúlio Vargas, optou pela Pós-graduação em Cirurgia Plástica, na PUC-RJ, onde também foi instrutor. Em 1985, recebeu o título de Mestre em Cirurgia Plástica na mesma Universidade.

Em 1969, foi nomeado Auxiliar de Ensino na Cadeira de Anatomia Humana, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Em 1973, foi transferido para a Cadeira de Cirurgia Geral do Hospital Universitário Pedro Ernesto. Nesta ocasião, foi criado o setor de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Pedro Ernesto, onde exerceu chefia.

Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Estado do Rio de Janeiro desde 1986. Depois de 13 anos, com a criação das unidades de docentes assistências, foi nomeado para Chefe da Unidade de Cirurgia Plástica. Foi ainda Diretor da sessão de Cirurgia Plástica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Possui mais de 100 trabalhos publicados em revistas nacionais e internacionais e é autor de 15 capítulos em livros e autor de dois livros: Cirurgia do Rejuvenescimento Facial e Ritidoplastia – Arte e Ciência.

Pertence a várias sociedades médicas, tais como o Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, American College of Surgeons, American Society for Plastic and Reconstructive Surgeons, American Society for Aesthetic Plastic Surgeons, International Society of Aesthetic Plastic Surgery.

Recebeu o prêmio José de Mendonça, concedido pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões, em 1982. Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional do Rio de Janeiro (1994 – 95). Editor científico da Revista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. (1998 – 2004).

Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Plástica e Restauradora, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia plástica, ritidoplastia, rhytidoplasty, face lift e plastic surgery, cirurgia plástica das mamas e abdômen.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cirurgia do Terço Inferior da Face e do Pescoço: Conotações Anato-Cirúrgicas”.

Currículo Lattes

Discurso de Saudação

Discurso de Posse

Carlos Alberto de Barros Franco

Nasceu em 19 de maio de 1946, no Rio de Janeiro.

Filho de Carlos Pimentel de Barros Franco e Elsa Costa de Barros Franco.

Graduou-se pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), à época chamada de Universidade do Brasil, em 1971. Durante a Graduação, foi aprovado em concurso para Bolsista Auxiliar Acadêmico da Secretaria de Saúde, exercendo suas funções no Hospital Municipal Souza Aguiar. Após a Graduação, fez Residência em Pneumologia na 1ª Clínica Médica da UFRJ e no serviço de Pneumologia do Hospital Estadual IASERJ.

Possui Mestrado em Tisiologia e Pneumologia pela UFRJ (1980), tendo sido Médico Visitante de vários hospitais no exterior, entre eles: Mount Sinai Hospital (Nova York, EUA), Toronto General Hospital (Toronto, Canadá), Los Angeles County (Los Angeles, EUA), MD Anderson Hospital (Houston, EUA), e Centro de Laser do Hospital Espanhol (Buenos Aires, Argentina).

Professor da Faculdade de Medicina da UFRJ (1975-2006) e Professor Titular de Pneumologia da Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) (2002).

Desde 1972, vem mantém intensa atividade, o que lhe granjeou as funções de Bolsista do Conselho Nacional de Pesquisa (1974).

Chefe de Leito em Enfermaria de Clínica Médica, na 1ª Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Médico do Serviço de Tisiologia e Pneumologia do Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Rio de Janeiro (1972-1978). Médico do Serviço de Pneumologia do Hospital Universitário da UFRJ (1978).

Fundou, no ano de 1981, a Clínica Barros Franco, da qual é Diretor Médico. Chefe do Serviço de Pneumologia, Endoscopia Respiratória e Distúrbios do Sono da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro.

Em 1987, foi nomeado membro da Associação Internacional para o Estudo do Câncer de Pulmão (ASSLC) e, em 1988, tornou-se membro da American Thoracic Society (ATS). Em 1993, foi eleito Membro da International Academy of Chest Physicians and Surgeons, do American College of Chest Physicians. Sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT); Sócio Fundador da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro (SOPTERJ) (1991) e da Sociedade Sul-Americana de Broncologia (1995). Presidente da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro de 1991 a 1993.

Em 1998, recebeu o Certificado de Mérito por relevantes serviços prestados ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, e, em 1999, a Medalha Tiradentes, oferecida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Recebeu o Prêmio Análise Medicina. Em 2015, recebeu o Título de Cidadão Benemérito e a Medalha Pedro Ernesto da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Diagnóstico de Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica com Ênfase em Etiologia”.

Currículo Lattes

Karlos Celso de Mesquita

Nascido em 24 de março de 1941, em Castelo (ES).

Filho de José Maria de Mesquita e Maria Dolores Bersan de Mesquita.

Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1964). Em 1971, tornou-se Livre-docente de Ortopedia e Traumatologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), com o trabalho intitulado “Osteotomia de Mc Murray no Tratamento da Coxartrose”. Pós-Doutorado pela University of London (1988-1990) com bolsa pela CAPES.

Professor Adjunto da Disciplina de Ortopedia e Traumatologia (UERJ) (1975-1977). Professor Axuliar da mesma disciplina, de 1977 a 1980, quando alcançou o cargo de Professor Titular de Ortopedia e Traumatologia da FCM (1980).

Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (1978-1996), afastado para assumir o cargo de Presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (1997 – 1998). Chefe do Departamento de Especialidades Cirúrgicas da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ (1986-1989 e 1992-1993).

Membro Titular Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Membro do Board of Directors da Association for Rational Treatment of Fractures (1998). Membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Ortopedia da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em ortopedia e atua principalmente nos seguintes temas: artroplastia, quadril, fraturas, fratura e trauma.

Entre menções e prêmios, foi agraciado com o diploma de Membro Benfeitor da Policlínica do Rio de Janeiro e da Nova Sede do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Diploma de Honra ao Mérito da Sociedade Brasileira de Ortopedia. E Medalhas da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (1984); Associação Argentina de Ortopedia e Traumatologia (1997) e Sociedade Peruana e Ortopedia e Traumatologia (1998).

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Osteossíntese com Deambulação Precoce nas Fraturas Transtrocanterianas”.

Currículo Lattes

Wanderley de Souza

Nascido em 13 de janeiro de 1951 na Bahia.

Filho de Ismael de Souza e Arani Santos Souza.

Graduou-se em 1974 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desde os primeiros anos da graduação, dedicou-se ao estudo da organização celular de protozoários patogênicos.

Mestre pelo Instituto de Biofísica da UFRJ (1976). Defendeu a dissertação “Estudo ultra-estrutural de microtúbulos em Trypanosoma cruzi e Herpetomonas sp”. Doutor pelo Instituto de Biofísica da UFRJ (1978), defendendo a tese de doutoramento “Estudo ultra-estrutural, citoquímico e por criofratura da superfície celular do Trypanosoma cruzi”.

Desenvolveu atividades nos laboratórios do Instituto Politécnico Nacional do México; nas Universidades do Colorado, de Glasgow e na Universidade de Washington, em St. Louis, nos Estados Unidos.

Professor Titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da UFRJ desde 1993. No ano seguinte, assumiu a posição de Pesquisador Titular do Centro de Biociências e Biotecnologia da Universidade. Também desempenhou atividades administrativas, como Vice-diretor e Diretor do Instituto de Biofísica e Primeiro-reitor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf).

Membro de várias sociedades científicas nacionais e internacionais, entre as quais a Academia de Ciências do Terceiro Mundo (TWAS, na sigla em inglês) e a Academia Brasileira de Ciências. Membro da New York Academy of Sciences (1987); do International Cell Research Organization (1988) e Membro Correspondente da Academia de Medicina de Buenos Aires.

Membro do corpo editorial do Molecular and Biochemical Parasitology, Journal of Protozoology, Journal of Eukaryotic Microbiology, Biocell, Acta Microscópica e Memórias do Instituto Oswaldo Cruz.

Consultor de agências de fomento brasileiras como CNPq, Capes, Faperj, Fapesp e FAP-DF, tendo sido nomeado Presidente da Finep em 2015.

Diretor de Projetos do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia e Chefe do Laboratório de Ultraestrutura Celular Hertha Meyer.

Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Protozoologia Parasitária Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: trypanosoma cruzi, tritrichomonas foetus, toxoplasma gondii, t cruzi e herpetomonas samuelpessoai.

Recebeu o prêmio Santista Jovem Cientista em 1980; o prêmio Manoel Noriega Moralez da OEA, em 1987; e o prêmio Sendas de Saúde, em 1991. É autor de mais de 340 artigos em revistas com corpo editorial. Entre 2003 e 2004, foi Secretário-executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia e da Ordem Nacional do Mérito Científico. Foi ainda Secretário de Ciência e Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Interação Protozoário-Célula Hospedeira como um Processo de Reconhecimento Celular: Trypanosoma e Toxoplasma Gondii como Modelos Experimentais”.

Currículo Lattes

Eduardo Lopes Pontes

Nasceu em 13 de outubro de 1947, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de José de Paula Lopes Pontes e Ruth Coelho de Almeida Lopes Pontes. Faz parte da terceira geração de médicos de sua família.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1975. Obteve Doutorado em Clínica Médica pela Universidade de Oxford (1982), defendendo tese intitulada “Local Immune Responses in Ulcerative Colitis”.

Médico Residente da Disciplina de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Serviço do Professor J. P. Lopes Pontes, de 1976-1977.

Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Professor Titular da Fundação Técnico-Educacional Souza Marques Escola de Medicina; Professor Adjunto da Universidade Gama Filho e Membro da Diretoria do Grupo de Estudos em Doenças Inflamatórias Intestinais no Brasil (GEDIIB).

Coordenador da Residência Médica em Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986-1989); Coordenador do Curso de Especialização em Doenças do Aparelho Digestivo do Serviço de Gastroenterologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (1985-1986).

Associado Honorário da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn; Membro da Comissão de Ética da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (2013-2014) e Membro Estrangeiro da Sociedade Britânica de Gastroenterologia (1995).

Atua também como Diretor da 9ª Enfermaria (clínica médica) do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Realiza pesquisas sobre doenças inflamatórias intestinais, com ênfase em síndrome do intestino irritável e doença do refluxo gastro-esofágico.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Complicações Intestinais e Extra-intestinais nas Doenças Inflamatórias Intestinais: Uma Visão Pessoal”.

Currículo Lattes

Paulo Henrique Murtinho Couto

Nasceu em 02 de fevereiro de 1950, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Bernardo Henrique de Nunes Couto e Maria Murtinho Couto.

Foi aprovado em 2º lugar no vestibular para da Faculdade de Medicina e Cirurgia em 1969. Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio – 1974). Obteve Mestrado em Medicina (Ortopedia e Traumatologia), pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979) e Doutorado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1987).

Professor Adjunto Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina, da UFRJ, além de ter atuado como Professor Assistente da Universidade de Paris (1978) e Associado da Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Aprovado, em 1º lugar, para Chefe da Equipe de Ortopedia e Traumatologia, no setor de Emergências do Hospital Miguel Couto (1975-1976). Chefe do Serviço de Traumato-Ortopedia do Hospital Universitário da UFRJ (entre 1990 e 1997); Coordenador do Curso de Pós-graduação da área de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da UFRJ (1997); Coordenador do Programa de Residência Médica – Ortopedia e Traumatologia (entre 1984-1986 e 1989-1990) e Chefe de Clínica do Serviço de Traumato-Ortopedia do Professor Nova Monteiro, durante seis anos. Professor Titular de Ortopedia e Traumatologia do Instituto de Pós-graduação Médica Carlos Chagas (1991).

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia; Sociedade Brasileira de Quadril – onde também foi Secretário (1992); Assistant Étranger des Hôpital de Paris; Fellow na British Orthopaedic Association at the Roylal Collegge of Surgeons-London; da American Academy of Orthopaedic Surgeons e do International Society of Orthopaedic Surgery and Traumatology.

É autor de quatro Teses, autor e coautor de 70 trabalhos científicos, dezenas de exposições em Congressos; participou de 46 Bancas Examinadoras.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Luxação Cervical Unifacetária: Tratamento pela Técnica de Roy-Camille com Abordagem por via Posterior de Coluna Cervical e Osteossíntese com Placas e Parafusos”.

Currículo Lattes

José Augusto da Silva Messias

Nasceu em 31 de maio de 1949, no Rio de Janeiro.

Filho de Tarcísio Torres Messias e Marina Tati da Silva Messias.

Fez os estudos pré-universitários no Colégio Marista São José, na cidade do Rio de Janeiro. Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Ciência Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em 1973. Após completar a Residência em Clínica Médica (1975), no serviço do Professor Jayme Landman, ingressou na carreira docente.

Mestrado em Medicina (1983) – Gastroenterologia (UFRJ). Obteve também a Livre Docência (1989) na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e o título de Professor Titular (1994) na área de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ.

Foi Clínico da Unidade de Terapia Intensiva da Casa de Saúde São Miguel (1974-1989) e do Hospital Universitário Pedro Ernesto (1976-1984).

Chefe do Serviço de Residentes, Estagiários, Internos e Bolsistas (SREI) do Hospital Universitário Pedro Ernesto (1976-1977), onde participou dos princípios da sua pioneira Unidade Clínica de Adolescentes (UCA-1976), hoje Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (NESA/UERJ), do qual é Diretor desde 1995. Exerceu vários cargos da administração acadêmica na Faculdade de Medicina, na Universidade e no Hospital Universitário. Exerceu a representação do Centro Biomédico no Conselho Universitário por três vezes. Foi, ainda, no mesmo Hospital: Chefe dos Ambulatórios (1980-1981); Diretor da Divisão de Serviços Médicos Gerais (1981-1983); Membro da Comissão de Residência Médica (1989-1990) e Membro da Comissão Científica Permanente.

Coordenador de Pós-graduação Lato Sensu para os Programas de Residência Médica da FCM/UERJ, em um total de 36 Programas.

Presidente da Associação de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (AGRJ) no biênio 2009-2010; Membro Titular e Especialista da Sociedade de Gastroenterologia do Estado do Rio de Janeiro; Membro Fundador Titular e Especialista da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva; Membro da Associação Médica Brasileira; Membro da Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC); Membro da New York Academy of Sciences, da American Association for the Advancement of Science (AAAS) e da National Geographic Society (NGS).

Consultor ad hoc da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (FAPERJ) onde exerceu a Coordenação da Área de Pesquisa em Medicina de 2001-7.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Câncer Gástrico: Entre o Desejo e a Relidade”. Na instituição, participou de três diretorias, em duas delas como seu Orador Oficial.

Currículo Lattes

Discursos da Cerimônia de Posse

Jacob Kligerman

Nasceu em 05 de maio de 1940, em Nilópolis (RJ).

Filho de Leybus Kligerman e Bertha Kligerman.

Graduou-se pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, em 1964. Já no início de sua vida profissional, optou pela Oncologia. De 1960 a 1964, estagiou no Departamento de Cabeça e Pescoço do Instituto Nacional do Câncer (Inca), onde foi residente entre 1964 e 1967. Em 1972, foi Médico Visitante no Departamento de Cabeça e Pescoço do M.D. Anderson Cancer Center.

Especialista em Cancerologia pela Sociedade Brasileira de Cancerologia (1968) e em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (1981).

De volta ao Brasil, foi pioneiro na cirurgia de base de crânio, nos estudos randomizados e na sofisticada técnica de reconstrução e preservação de órgãos.

Na Escola Médica de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), foi Professor Auxiliar (1972), Professor Assistente (1969-1974) e Professor Associado (1984-1994).

Membro do Conselho do Journal of the American Medical Association, no Brasil e Editor da revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Em 1993, após mais de 18 anos como chefe do Departamento de Cabeça e Pescoço, tornou-se diretor do Hospital do Câncer do Inca, cargo que ocupou até 1996. Posteriormente, foi nomeado Diretor do Inca pelo Ministro da Saúde.

Membro da American Head and Neck Societye e do American College of Surgeons; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia; Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cancerologia; Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Cabeça e Pescoço e da Sociedade de Cancerologia do Estado do Rio de Janeiro. Foi Presidente (1982 e 1986) e Vice-presidente (1977-1979) da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Em 2005, foi nomeado Secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Recebeu o Diploma de Honra Pioneiras Na’amat; Diploma do Mestre da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1982); Medalha Santos Dumont de Honra ao Mérito Aeronáutico (1983); Medalha Almirante Tamandaré de Honra ao Mérito Naval (1982). É Benemérito do Estado do Rio de Janeiro – Resolução nº 077 de 1977.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Tumores da Glândula Parótida”.

Antonio Hélio Barros de Figueiredo

Nasceu em 01 de abril de 1939, em Natal, Rio Grande do Norte.

Filho de Cornélio Galvão de Figueiredo e Maria Dulce Barros de Figueiredo.

Graduou-se em Medicina pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro – Unirio (1963), tendo atuado como graduando no Laboratório de Patologia Clínica (1958), Hospital Universitário Gaffreé e Guinle (1962-1963).

Concluiu sua Pós-graduação em Angiologia (1970), sob a coordenação do Professor Rubens Carlos Mayall, onde participou de cursos e demonstrações cirúrgicas.

Sua carreira de docência foi iniciada com sua atuação como Auxiliar de Ensino da 2ª Cadeira de Clínica Cirurgia da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1966), mesmo local onde iniciou sua vida acadêmica. Nesse período participou de seis congressos de cirurgia, jornadas e simpósios. Publicou trabalhos científicos e foi aprovado em concurso Público de Docência Livre de Clínica Cirúrgica da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1971). Em 1975, tornou-se Professor Assistente, através de concurso público, do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Em 1978, foi nomeado como Professor Adjunto da Disciplina de Clínica Cirúrgica B e Professor Titular (1981) da Disciplina de Cínica Cirúrgica I da Faculdade de Ciências Médicas de Nova Iguaçu, aprovado pelo parecer do Conselho Federal de Educação.

Em 1967, convidado por colegas radicados no Município de São João de Meriti, associou-se e fundou com os médicos Athaide Lobo Fabiano Alves, Ruy Lobo e Newton da Silva Carvalho Leme a Casa de Saúde e Maternidade Terezinha de Jesus, desenvolvendo ali suas atividades profissionais e administrativas até 1987.

Participou da Diretoria Provisória da Associação de Docentes da UNIRIO como Presidente, no período de junho a setembro de 1979.

Foi responsável pela criação do curso de Especialização em Cirurgia Geral, ficando responsável pela Disciplina de Clínica Cirúrgica B da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1981-1987). Foram formadas, ao todo, seis turmas nessa especialidade.

Publicou os livros: Pré e Pós-Operatório (1967); Atlas de Cirurgia Ambulatorial (1985); Intercorrências Cirúrgicas em Cirurgia Ginecológica (1988); Rotinas de Pré e Pós-Operatório (1988); Conduta Cirúrgica na Oclusão Intestinal, capítulo de Gastroenterologia (1988).

Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Efetivo da Sociedade Brasileira de Angiologia, da Associação Brasileira de Educação Médica e da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Abordagem Cirúrgica do Bócio Uninodular”.

Faleceu em 20 de maio de 2000.

Eduardo Moacyr Krieger

Nascido em 27 de junho de 1928, em Cerro Lago (RS).

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1953.

Participou do programa para formação de fisiologistas criado iniciativa do Professor Rubens Maciel em 1954, criado por meio de um convênio entre a CAPES e a escola de fisiologia do Prof. Bernardo Houssay, prêmio Nobel de Medicina de 1947. Completou sua formação científica em Fisiologia Cardiovascular com o Professor W. Hamilton em Augusta, Geórgia (1956-1957).

No retorno para o Brasil, foi trabalhar na recém-criada Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP, no Departamento de Fisiologia, dirigido pelo neurofisiologista Professor Miguel Covian. Aí desenvolveu toda a sua carreira universitária, de Professor Assistente a Titular (1974), criando um grupo de fisiologia cardiovascular responsável pela formação de novos grupos.

Após a aposentadoria na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto FMRPUSP, em 1985, trabalhou no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, dirigindo uma equipe multidisciplinar de pesquisa até 2010. Em seguida, coordenou um Programa de Cardiologia Translacional do InCor.

Sua principal linha de pesquisa é o estudo dos mecanismos de regulação da pressão arterial em modelos de hipertensão experimental, principalmente os mecanismos neurogênicos. Descreveu um método de desnervação sino-aórtica no rato, que é empregado universalmente. Além disso, seus estudos sobre a adaptação dos pressorreceptores na hipertensão e na hipotensão são amplamente conhecidos.

Foi pioneiro na utilização do rato como modelo para estudos de regulação da pressão arterial no sono e no exercício, bem como no registro da atividade simpática, em condições fisiológicas.

Recebeu o título de Professor Emérito da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP e de Professor honoris causa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi Presidente da Academia Brasileira de Ciências de 1993 a 2007.

Entre os prêmios e condecorações que recebeu estão Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, 1994; Comenda da Legião do Mérito do Engenheiro Militar, 1999; TWAS Medal Lectures – Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento, 2005; Prêmio Anísio Teixeira – CAPES/MEC – 2001; Prêmio Almirante Álvaro Alberto (Medicina e Saúde Pública) – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, 1998; prêmio Lifetime Achievement – Interamerican Society of Hypertension, 1997; Mühlbock Award 2007. Laboratory Animal Science-ICLAS; prêmio SBC de Dedicação à Pesquisa – Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2005.

Diretor de Relações Internacionais da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e Vice-presidente da Fundação de Pesquisa de São Paulo – FAPESP.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Regulação Exercida pelos Pressorreceptores sobre a Atividade Física e Tônica do Simpático”.

Currículo Lattes

Cláudio Buarque Benchimol

Nascido em 29 de outubro de 1947, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Aarão Burlamaqui Benchimol e Yole de Paula Buarque Benchimol.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), em 1971. Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (1976). Após a graduação, adquiriu os títulos de Mestre (1974) e Doutor (1981) em Cardiologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Chefe da Seção de Hemodinâmica e Angiocardiografia do Hospital de Clínicas da UERJ (1977). Após 11 anos nessa Chefia, passou para a Disciplina de Clínica Médica HC-UERJ (Departamento de Medicina).

Atua como Professor Adjunto da UERJ desde 1974, onde ministra a disciplina de Cardiologia/Epidemiologia Cardiovascular, além de dar aulas nos cursos de Pós-graduação. Em 1990, entrou para o quadro docente da UFRJ.

É cardiologista do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, onde também ocupa o cargo de chefe do Laboratório de Hemodinâmica e Angiocardiografia e Cardiologia Invasiva. Atende também em consultório particular.

Recebeu, em 1982, o Prêmio Carlos Chagas da Academia Nacional de Medicina com a apresentação do trabalho “O Eletrograma do Feixe de His na Cardiopatia Chagásica Crônica. Contribuição ao Estudo dos Distúrbio da Condução”. Também pela Academia Nacional de Medicina, recebeu o Prêmio Pedro de Almeida Magalhães (1986), com o trabalho “Padrões Ecocardiográficos Normais em Crianças Brasileiras”.

Convidado a ser Membro do Conselho Editorial da Revista Investigación Medica Internacional (México, 1984) e da Folha Médica (Editora Científica) – Rio de Janeiro, 1986.

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia; da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro, além de Fellow na Universidade de Londres. Em 1999, foi nomeado membro benfeitor da Policlínica Geral do Rio de Janeiro.

Participou em diversos Congressos e Encontros Científicos no Brasil e no Exterior, apresentando temas livres e conferências. Foi autor de diversos artigos em revistas nacionais e internacionais, além de capítulos de livros. Foi coeditor da Enciclopédia Brasileira de Cardiologia, juntamente com o Acadêmico Aarão Burlamaqui Benchimol e o Prof. Paul Schlesinger, com três edições e complementações.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Correlação Clínica e Angiográfica na Insuficiência Coronária Aguda (Angina Instável). Estudo de 50 Casos”.

Currículo Lattes

Hiram Silveira Lucas

Nascido em 24 de março de 1937, em Palmeiras (RJ).

Filho de Laudelino Lucas e Maria da Glória Silveira Lucas.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1960), com Especializações em Cancerologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Cancerologia (1968); em Medicina do Trabalho, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1977); em Mastologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Cancerologia (1983) e em Saúde pelo Ibmec Business School (2001).

A base de sua formação em Cancerologia foi desenvolvida no Instituto Nacional do Câncer, onde trabalhou no período compreendido entre 1957 e 1980. Em 1968 foi agraciado com a Direção do Serviço Nacional de Câncer e do Instituto Nacional de Câncer, além do Prêmio Amadeu Fialho pela autoria de “Revisão no Estudo do Sistema Linfático: Algumas Aplicações na Cancerologia”, considerado o melhor trabalho científico apresentado naquele ano.

Fez parte do quadro de médicos do “MD Anderson Cancer Institute”, em 1977, e do “Mount Sinai Comprehensive Cancer Center”, no ano de 1992, nos Estados Unidos.

Foi Secretário Geral e Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, quando realizou o 1º Concurso para concessão do Título de Especialista em Mastologia (TEMa) no Brasil, em convênio com a Associação Médica Brasileira, da qual foi Presidente do Conselho de Especialistas e, posteriormente, Diretor Científico. Vice-Presidente (três mandatos) e Presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia, quando adquiriu a sede própria em Salvador, criando a “Casa do Oncologista Brasileiro”. Dirigiu, durante três mandatos, o Departamento de Cancerologia do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, do qual é Membro Emérito. Presidente da Associação de Assistência aos Cancerosos do Hospital Mário Kroeff.

Livre-docente pela Universidade Gama Filho (1999). Professor Titular do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, onde também atuou como Chefe do Departamento de Cirurgia.

Cavaleiro da Ordem do Mérito da Liga Bahiana Contra o Câncer. Detentor da Medalha de Mérito Gama Lobo; da Medalha dos 40 anos da Academia de Ciências Médicas da URRS; da Medalha do Sesquicentenário da Beneficência Portuguesa (RJ); da Medalha Pedro Ernesto pela Cidade do Rio de Janeiro e da Medalha Tiradentes pelos elevados serviços prestados ao Estado, além de ser Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro.

Membro fundador da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica e da Federación de las Sociedades de Cancerología del Mercosur. Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina de Reabilitação; Membro Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Fellow do American College of Surgeons; Membro Fundador da Academia de Medicina do Rio de Janeiro; Membro Titular da Academia Fluminense de Medicina e Coordenador Acadêmico de Oncologia do Hospital Central do Exército.

Na ocasião de sua candidatura como Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Câncer de Mama: 5 Anos Depois”.

Faleceu em 17 de setembro de 2020 na cidade do Rio de Janeiro.

Currículo Lattes

José Manoel Jansen

Nasceu em 08 de junho de 1943, em São Luiz (MA).

Filho de Domingos Luiz da Silva e Hedy Jansen da Silva.

Graduou-se em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1966). Mestrado em Medicina (Pneumologia), pela Universidade Federal Fluminense (1977) e Doutorado em Pneumologia, Escola Paulista de Medicina (1983). Realizou residência médica na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1968) e possui Especializações em Pneumologia pela Université de Nancy I (1979) e em fisiopatologia respiratória pela Université de Nancy I (1979). Curso de pós-graduação em Clínica Médica, pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1968).

Professor Titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Universidade Federal Fluminense. Livre-docente de Pneumologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor do curso de Mestrado em Pneumologia da UFF e do curso de Mestrado do ITP, da UFRJ. Coordenador do curso de Especialização em Pneumologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Disciplina de Pneumologia. Coordenador do Centro de Referência de Pneumopatias Ocupacionais e do Serviço de Pneumologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto, onde foi, por duas vezes, Diretor da Divisão de Serviços Médicos Gerais.

Perito do Ministério da Saúde e colaborador da Secretaria de Estado de Saúde. Pesquisador do CNPq e da CEME e Assessor Técnico-Científico da FAPERJ.

É Membro de várias sociedades científicas, entre as quais, Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro; Associação Nacional de Médicos Residentes; Associação Brasileira de Educação Médica; Societé Europeéne de Physiopathologie Respiratoire e da Associação Ítalo-Latino-Americana de Pneumologia e Alergia Respiratória; das Sociedades Fluminense e do Estado do Rio de Janeiro de Tisiologia e Pneumologia; da Sociedade de Médicos pelo Meio Ambiente. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Pneumologia.

Recebeu o Prêmio “Pulmão de Ouro”, pelo Melhor Trabalho Publicado no Jornal de Pneumologia (1988); Diploma de Honra ao Mérito, pela Editora Cultura Médica (1990); Prêmio Smith-Kline (1991 e 1993); Prêmio Moysés Feldman (1993); Diploma de 25 Anos de Exercício do Magistério, UERJ (1993) e Diploma de Mérito da UERJ por 25 anos de Serviços Prestados (1994).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Falsos Tumores no Pulmão”.

Curriculo Lattes

Maurício Rocha e Silva

Nascido em 30 de dezembro de 1936, em São Paulo (SP).

Filho de Maurício Oscar da Rocha e Silva e Maria Ignez da Rocha e Silva.

Graduou-se em Medicina pela Universidade de São Paulo, em 1961. Doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1963). Livre Docente pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1968). Professor Titular da Universidade de São Paulo (1982). Professor emérito da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Membro do Senior Scientific Staff, Medical Research Council, The National Institute for Medical Research (Londres, 1970-1973). Diretor da Divisão de Experimentação do Instituto do Coração (1987). Professor Honorário da Southern Medical University, da República Popular da China (2005).

Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências; da Academia de Medicina de São Paulo, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (1988); da Sociedade Brasileira de Fisiologia; da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental; da Sociedade Brasileira de Choque, de onde foi Presidente; da Physiological Society (Reino Unido); da American Physiological Society e da Shock Society (EUA).

Integrou o Comitê Editorial das publicações “Circulatory Shock”; “Brazilian Journal of Medical & Biological Research” e “Shock”. Editor do periódico MedicalExpress e perito na disciplina de escrita científica.

Recebeu o Prêmio Lafi de Ciências Médicas, na categoria Ciências Básicas (1980). Em 2000, recebeu a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico. Tem 115 artigos completos publicados em periódicos nacionais e internacionais e dois livros editados sobre Fisiopatologia cardiovascular.

Tem experiência na área de Fisiopatologia do sistema circulatório, com ênfase em controle de pressão arterial, neurossecreção e choque circulatório. Seu artigo mais citado conta com mais de 400 citações e seus 6 artigos mais citados contam com mais de 100 citações.

Na ocasião de sua posse como Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Soluções Hipertônicas”.

Currículo Lattes

Donato D’Angelo

Nasceu em 23 de abril de 1919, em Petrópolis (RJ).

Filho de João D’Angelo, imigrante italiano, e Catharina Kling D’Angelo.

Ingressou na Faculdade de Medicina com apenas 15 anos, graduando-se pela Faculdade Fluminense de Medicina em 1939. Doutor pela Faculdade Nacional de Medicina (UFRJ).

Em sua vida profissional, exerceu os cargos de Chefe do Serviço de Ortopedia do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Comerciários do Hospital de Ipanema (1950-1977), do Hospital São Zacharias (1949-1952) e do Hospital Santa Tereza de Petrópolis (desde 1951).

Professor Titular de Ortopedia da Faculdade de Medicina de Petrópolis e, durante a década de 70, foi também Professor Titular da Escola de Reabilitação da Universidade Católica de Petrópolis e da Faculdade de Medicina de Teresópolis, onde exerceu a chefia do Serviço da Disciplina de Ortopedia (1973-1976). Entre os anos de 1971 a 1998, foi Editor-Chefe da Revista Brasileira de Ortopedia.

Membro da Sociedade Médica de Petrópolis (1951); Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (1950); Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Reumatologia; Membro Efetivo do Instituto Brasileiro da História da Medicina (1950); Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1955); Membro Senior do Colégio Internacional de Cirurgiões (1956); Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (1960); Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia do Pé (1975); Membro da Sociedade de Medicina Física e Reabilitação (1977); Membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1993) e Membro Honorário da Academia Petropolitana de Ciências Neurológicas (1992). Exerceu a presidência da Sociedade de Medicina de Petrópolis (1963-1964) e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (1977-1979).

Recebeu diversos prêmios ao longo de sua carreira, com destaque para a Medalha da Ordem do Mérito Naval, concedido pela Escola Naval (1975); o título de Médico Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, conferido pela Alerj (1991) e algumas Moções Congratulatórias pela Câmara Municipal de Petrópolis, nos anos de 1971, 75, 89 e 95. 

Foi responsável por trazer ao Brasil técnicas inovadoras na traumatologia mundial, tendo sido reconhecido internacionalmente por seu trabalho.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Capsulite Adesiva do Ombro”.

Faleceu em 24 de abril de 2014, aos 95 anos.

Halley Pacheco de Oliveira

Nasceu em 21 de junho de 1925, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Filho de Aristides Henriques de Oliveira e Noemis Pacheco de Oliveira.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina (1948). Diplomado em Hematologia pelo Instituto Oswaldo Cruz (1949) e estagiário oficial remunerado na Seção de Hematologia Experimental. Doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Na Santa Casa de Misericórdia, realizou trabalhos de pesquisa clínica com Clementino Fraga Filho, sobre “Anemias Megaloblásticas de Causa Nutritiva”, e com J. P. Lopes Pontes e A.L. Boavista Nery, sobre “Determinações do Volume Sanguíneo em Doentes de Cirrose Hepática”.

Ainda em seu primeiro ano de formado, prestou concurso para médico do IPASE, e lá trabalhou no Laboratório de Hematologia até 1955, quando foi convidado para o recém-criado Setor de Hematologia Clínica do Hospital dos Servidores do Estado, que era então o maior hospital da América Latina. Em pouco tempo tornou-se chefe do setor e exerceu a chefia por vinte anos.

Na University of Rochester School of Medicine, estudou “Hematology for Internists With Emphasis on Recent Advances” (1976). Livre-docente da Disciplina de Hematologia pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1971).

Professor Assistente do Departamento de Clínica Médica (Disciplina de Hematologia) (1977); Professor Adjunto do Departamento de Clínica Médica do Hospital Universitário da UFRJ (Disciplina de Hematologia); Professor Titular do Departamento de Clínica Médica (Disciplina de Hematologia) na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Chefe do Serviço de Hematologia do recém-inaugurado Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (1980).

Formou 29 residentes; foi homenageado diversas vezes pelo corpo discente, sendo Paraninfo em 1981, e Patrono em 1992 e 1997. Participou de 41 Bancas Examinadoras de concursos universitários; foi co-autor de inúmeros trabalhos publicados e apresentados em congressos pelo Serviço de Hematologia. Deu início ao programa de transplantes de medula óssea, e teve papel essencial na criação do laboratório de biologia molecular e celular do Hospital Universitário.

Em razão de sua aposentadoria compulsória em 1995, foi elevado a Professor Emérito por decisão unânime da Congregação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Fez parte das seguintes Sociedades Médicas: Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (Sócio Fundador) em 1950; Sócio Fundador do Colégio Brasileiro de Hematologia (1958);“Fellow” da The Internacional Society of Hematology em 1958; Sociedade Brasileira de Pediatria-Comitê de Hematologia (Sócio); Internacional Society of Hematology (Conselheiro do Brasil) de 1971 a 1972; Colégio Brasileiro de Hematologia (Conselheiro Científico) de 1965 a 1979.

Na ocasião de sua candidatura na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Um Modelo de Terapia Biológica das Afecções Malignas: o Interferon-Alfa na Tricoleucemia”.

Faleceu em 22 de maio de 2000.

Gilberto Mendes de Oliveira Castro

Nasceu em 20 de agosto de 1940, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Horácio Mendes de Oliveira Castro Filho e Elsa Machado Bittencourt de Oliveira Castro.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1964). Doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1968) e Pós-doutorado pela Columbia University (1970). Professor Titular (1987) e Diretor (1994) da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Na carreira de docência atuou como: Instrutor de Ensino da cadeira de Biofísica da Faculdade de Medicina na Universidade do Brasil (1964 a 1966); Professor Assistente da Cadeira de Biofísica da Faculdade de Medicina UFRJ (1967 a 1968); Professor Assistente do Departamento de Biofísica e Fisiologia do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ (1969-1976); Professor Adjunto do Departamento de Biofísica e Fisiologia do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ (1976 a 1983); Professor Adjunto do Instituto de Biofísica da UFRJ (1983 a 1986) e Professor Titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.

Fez parte das seguintes instituições científicas: Academia Brasileira de Ciências de 1975 a 1984 (Membro Associado); Academia Brasileira de Ciências em 1984 (Membro Titular); New York Academy of Sciences (Membro); Sociedade Brasileira de Fisiologia (Membro Efetivo); Sociedade Brasileira de Biofísica (Membro Efetivo); Sociedade Brasileira de Imunologia (Membro Titular); Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Membro Titular); Colégio Brasileiro de Patologia Experimental, Comparada e Ambiental (Membro); Departamento de Fisiologia Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia (Membro Titular) e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (Membro Titular).

Dedicou-se intensamente ao ensino, tendo sido Chefe de Departamento (por quatro mandatos), Coordenador de Pós-graduação, Vice-diretor e Diretor do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho.

Atuou como presidente da Sociedade Brasileira de Biofísica e foi bolsista 1A do CNPq por 15 anos, tendo cancelado sua bolsa ao assumir o cargo de Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa na UFRJ. Em 1997, tornou-se reitor da Universidade Estácio de Sá.

Em 1998, recebeu da Presidência da República, o título de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Foi Presidente da Fundação Universitária José Bonifácio, entidade de direito privado interveniente na prestação de serviços, assistência médica, projetos de pesquisa, ensino e administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Publicou seus trabalhos em revistas de política editorial rígida, entre as quais destacam-se Journal of Membrane Biology, Biochimica et Biophysica Acta, American Journal of Physiology, Journal of Immunology e Cell Calcium. Foi editor da Seção de Biofísica do Brazilian Journal of Medical and Biological Research. Proferiu sete dezenas de conferências no Brasil e no exterior, organizou uma dezena de simpósios, além de apresentar cerca de três dezenas de trabalhos em Congressos Internacionais.

Seu interesse em comunicação celular levou-o à colaboração com o Acadêmico Marcello Barcinski demonstrando a formação de junções comunicantes em linfócitos estimulados por lecitinas. Passou a estudar a membrana fagocítica, tendo caracterizado as bases iônicas de sinais elétricos da membrana de macrófagos e macrófagos policariontes.

As contribuições de Gilberto Mendes de Oliveira Castro fazem dele um dos construtores do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e parte essencial de sua história. Seu pioneirismo científico e seu comprometimento com a instituição seguem presentes nas linhas de pesquisa que derivaram de seus estudos e atuação institucional. Sua experiência como pesquisador contou com passagem por importantes instituições mundiais como Marine Biological Laboratory, N.I.A.I.D.-NIH/Bethesda, Centro de Biologia da Fundação Calouste Gulbenkian, Universidade de Kioto e Universidade de Hiroshima.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Aspectos da Comunicação entre Cédulas Imunocompetentes”.

Faleceu em 05 de agosto de 2015.

Anadil Vieira Roselli

Nasceu em 9 de dezembro de 1918, em Natal, Rio Grande do Norte.

Filha de Anilda Vieira Roselli e de Alberto Roselli, líder católico, deputado, advogado e jornalista (Diretor do jornal Diário de Natal). Perdeu a mãe antes de completar um ano de idade e foi criada pela tia Maria Cristina. A educação básica primária se fez em casa, com professores particulares. Em 1934, terminado o ginásio, transferiu-se com seu irmão para o Rio de Janeiro.

Em março de 1935, iniciou o curso pré-médico e, em 1936, foi aprovada no exame vestibular. Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil (1941).

Durante o curso médico, frequentou o Serviço de Dermatologia e a Enfermaria de Cirurgia Geral, do Hospital Estácio de Sá, hoje, Hospital da Policlínica Militar. No quarto ano da Faculdade, interessou-se pela Anatomia Patológica, sendo nomeada monitora da disciplina. Em 1941, prestou concurso para Laboratorista Auxiliar e passou em primeiro lugar. Permaneceu nessa função até 1947, quando foi trabalhar no Hospital do Servidores do Estado, recém-inaugurado.

Passou parte de sua vida nos Estados Unidos, onde trabalhou no Serviço de Patologia Infantil e Ginecológica do Chicago Lying-in Hospital da Universidade de Chicago; na Clínica Mayo, nos hospitais Methodist e St. Mary. Durante sua estadia nos Estados Unidos, visitou vários serviços de Patologia em diferentes cidades.

Atuou como Patologista do Hospital dos Servidores do Estado (1948-1970), tendo exercido de 1949 a 1958 o cargo de Chefe de Clínica do Serviço de Anatomia Patológica; da Casa de Saúde São Miguel (1959-1964), sendo Diretora e Chefe de Departamento de Cirurgia e do Hospital Ipanema (1970-1984). Foi Visitante do Hospital São Marcos, em Londres (Serviço do Dr. Basil Morson).

Sócia Efetiva da Sociedade Brasileira de Patologistas, 1957; Membro da American Society of Pathologists, 1960; Membro Titular Colaborador em Patologia do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Sócia Benfeitora da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, 1990.

Foi Membro do Conselho da Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, a partir de 1996.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Patologia da Gastrite Crônica por Helicobacter pylori”. Na instituição, atuou como Editora Chefe dos Anais da Academia Nacional de Medicina,

Faleceu em 15 de abril de 2012.

Fernando Pires Vaz

Nasceu em 16 de fevereiro de 1943, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Octávio Freitas Vaz e Maria de Lourdes Pires de Castro Vaz.

Graduou-se em Medicina em 1967, pela Escola de Medicina e Cirurgia, atual Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e seguiu a especialidade de Urologia. Realizou residência médica em Boston, Massachuttes, entre 1969 e 1974. Especialista pela Sociedade Brasileira de Urologia e pelo Conselho Federal de Medicina.

Em julho de 1973, foi escolhido responsável pelo Serviço de Urologia do Hospital dos Veteranos de Chelsea, sob a supervisão do corpo clínico da Lahey Clinic, do New England Deaconess e da Tufts University. Participou ativamente do programa de transplantes renais, fazendo parte do time cirúrgico, e foi, durante esse ano, responsável pelos pareceres do Serviço de Urologia.

Resolvendo voltar ao Brasil, submeteu-se e foi aprovado na prova do “American Board of Urology”. Foi agraciado com o Physiscians Award (1974), pela American Medical Association, como prêmio pelo grande número de horas dedicadas ao aperfeiçoamento profissional.

Atuou como médico do Hospital Souza Aguiar entre 1974-1976 e como Chefe do Serviço de Urologia do Hospital dos Servidores do Estado (HSE RJ), instituição onde atua desde 1974. Diretor de duas clínicas privadas de Urologia, além de urologista do Hospital Samaritano e responsável por equipes urológicas dos Hospitais Copa D’or, Barra D’or e da Casa de Saúde Santa Lúcia.

Autor de vários capítulos de livros de sua especialidade assim como de outras temáticas. Também foi responsável pela formação de mais de 40 residentes de Urologia espalhados por todo o Brasil.

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), de onde foi Diretor Técnico de departamentos e Membro da comissão de ética. Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Titular da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, da American Urological Association e do American Colege of Surgeons. Sócio Fundador e Membro do Conselho Técnico da “Urotech”.

Na ocasião de sua candidatura da Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Tratamento Cirúrgico do Carcinoma Localizado na Próstata”.

Orlando Marques Vieira

Nasceu em 29 de novembro de 1932, no Rio de Janeiro.

Filho de Antônio Marques Vieira e Maria Rosa de Almeida Vieira.

Graduou-se em 1956, aos 24 anos, pela Faculdade de Medicina da UFRJ. Nesta Faculdade, fez Residência em Cirurgia Geral e recebeu o título de Doutor em Medicina, no ano de 1965. Livre-docente em Cirurgia Geral pela UFRJ em 1965 e em Clínica Cirúrgica em 1969.

Foi nomeado Médico do Ministério da Saúde, por concurso, onde exerceu diversos cargos na Divisão de Organização Hospitalar.

Especializou-se em Cirurgia Geral e Cirurgia Gastroenterológica, áreas em que publicou inúmeros trabalhos experimentais, inclusive e o livro “Clínica Cirúrgica – Fundamentos Teóricos e Práticos”, em 2 volumes. Construiu carreia na mesma Faculdade em que se formou. Lá ocupou, até o ano de 2002, os cargos de Professor Titular de Clínica Cirúrgica e Chefe do Departamento de Cirurgia.

Foi Chefe do Serviço de Cirurgia de dois importantes Hospitais da rede pública, o Paulino Werneck, de 1986 a 1992, e Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, de 1994 a 2002. Aposentou-se em 2002 por imperativo estatutário e foi conduzido pelo Conselho Universitário da UFRJ em junho de 2005 a Professor Emérito da Escola de Medicina.

Presidente da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (1976-1977) e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1992-1999). Membro Fundador do Colégio Brasileiro de Angiologia; Membro Titular da Sociedade Brasileira de Gastroenterologia; Membro Titular do Collegium Internationale Chirurgiae Digestivae; Membro Honorário da Academia de Medicina do Amazonas; Membro Correspondente da Real Academia de Medicina da Espanha; Membro do International College of Surgeons.

Recebeu o Prêmio “Colégio Brasileiro de Cirurgiões” (2004), maior honraria oferecida pela instituição, concedida àqueles que tenham contribuído para o ensino, progresso e desenvolvimento da Cirurgia. Nesta mesma instituição recebeu o Prêmio “José de Mendonça” em 1984; o Prêmio “Oscar Alves” em 2001 e a Medalha de Membro Emérito. É Membro Nato do Conselho Superior desta Instituição. Recebeu o Prêmio Fernando Vaz em 1985.

Na Faculdade de Medicina da UFRJ participou de várias Comissões e bancas examinadoras. Foi Diretor Adjunto de Pós-graduação de 1992 a 1995.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cirurgia da Vagotomia Incompleta”. Na instituição, exerceu vários cargos: Tesoureiro (1997-1999); Secretário Geral (1999-2001; 2003-2005); Vice-presidente (2007-2009).

Jayme Specterow

Nasceu em 02 de dezembro de 1933, em Belém (PA).

Filho de Leôncio Specterow e Sol Specterow.

Graduou-se pela Faculdade de Ciências Médicas (1960). Especializou-se em Cirurgia Geral pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1971) e em Cirurgia Gastroenterológica pela Universidade Federal Fluminense (1977). Obteve também título de Mestre em Gastroenterologia pela Universidade Federal Fluminense (1979) e Livre Docência em Cirurgia Gastroenterológica (1981).

Professor Assistente, Adjunto, Colaborador e Titular em diversas instituições de ensino, como a Universidade Federal Fluminense, Faculdade Nacional de Medicina e Faculdades Integradas Castelo Branco. Foi integrante de comissões e grupos de trabalho entre 1965 e 1992 e também se dedicou às atividades de orientação e formação de discípulos.

Compôs comissões examinadoras (1966 a 1993) e orientou diversas teses em sua trajetória profissional. Participou também como autor, co-autor, moderador, colaborador, secretário e congressista de congressos, temas livres, simpósios, seminários, palestras e mesas redondas. Recebeu prêmios, elogios e dignidades ao longo dessa trajetória.

Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Proctologia; Sócio Efetivo da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro; Sócio Efetivo da Sociedade de Cancerologia do Estado da Guanabara; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Sócio Efetivo do Instituto dos Centenários; Membro Titular da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro; Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Militar; Diretor Distrital da Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro; Membro Titular da Academia Fluminense de Medicina e Sócio Fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia Experimental.

Foi, por nove vezes, Presidente do Centro de Estudos do Hospital Estadual Carlos Chagas, além de Diretor do Departamento de Pesquisas e Publicações do IPGCC, Diretor Científico do SMCRJ e Secretário Geral da SOMERJ.

Redator da Revista Brasileira de Cirurgia; da Folha Médica; da Revista de Cirurgia do Corpo de Bombeiros e da Revista da Associação Médica Brasileira.

Em 1992, recebeu o Título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Lesões Traumáticas do Pâncreas”.

Faleceu na cidade do Rio de janeiro, em 19 de outubro de 2001.

Anna Lydia Pinho do Amaral

Nasceu em 4 de abril, em Belém do Pará.

Filha de Cyro Blatter Pinho e Zoé Iracema Pereira Pinho.

Veio para o Rio de Janeiro na adolescência para prestar vestibular para a Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (atual UFRJ), e, sendo aprovada, concluiu o Curso Médico em 1955. Doutora em Ginecologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Ingressou, por concurso público, no antigo IAPI e foi a primeira mulher Diretora de um Hospital do INAMPS, o Hospital de Ipanema. Foi, também, a primeira mulher Presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro, no período 1993-1995.

Chefe de Equipe da Maternidade Clara Basbaum (1962-1973); Chefe de Serviço do Arquivo e Estatística da Maternidade Clara Basbaum (1906-1961). Chefe do Serviço de Ginecologia Infanto-Puberal da 28ª Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (1972); Chefe do Serviço de Ginecologia da Venerável Ordem 3ª de São Francisco da Penitência (INAMPS) (1979-1980) e Chefe do Serviço de Ginecologia do Hospital Escola São José, da Universidade de Nova Iguaçu (1987).

Professora Titular de Ginecologia da Faculdade de Ciências Médicas de Nova Iguaçu (1980) e da Escola de Ciências Médicas de Volta Redonda (1990-1994).

No Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, foi Coordenadora da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia. Por diversas vezes, foi Diretora da Seção Especializada de Ginecologia do Núcleo Central do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Participou da fundação da Academia de Medicina do Rio de Janeiro, onde foi escolhida como Patrono da cadeira 16.

Foi agraciada com o Prêmio Armando Fajardo, da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.

Prestou significativa contribuição à Academia Nacional de Medicina como 1º Tesoureira (gestão Jarbas Anacleto Porto), Secretária da Secção de Cirurgia (gestão Rubem David Azulay) e em duas outras Diretorias, ocupando a 1ª Vice-Presidência (2009-2011) e a Diretoria do Arquivo (2013-2015). Destaca-se que pela primeira vez o cargo de 1º Vice-Presidente foi exercido por uma Acadêmica, tendo ela ocupado a cadeira da Presidência em algumas sessões.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Estudo Anatomoclínico dos Fibrondenomas Hospital Escola São Joé (UNIG)”.

Faleceu em 25 de junho de 2015.

Oswaldo Luiz Ramos

Nasceu em 17 de maio de 1928, em São Paulo (SP).

Filho de Jairo de Almeida Ramos e Odette Alves Ramos.

Graduou-se em Medicina pela Escola Paulista de Medicina (1951). Master of Science pela Mc Gill University, Montreal, Canada (1955). Research Fellow do Departamento de Medicina da Columbia University, Nova York (1959). Livre Docente em Clínica Médica pela Escola Paulista de Medicina (1961).

Sua atuação de fomento no âmbito estadual começou na década de 50, quando esteve entre os que lutaram pela criação da residência médica, coordenando, depois, a Comissão de Residência Médica da EPM (1965-1975). Na década de 1960 chefiou a disciplina de Metabolismo e Nutrição da EPM, posteriormente renomeada de Nefrologia, e, na década de 1970, participou decisivamente da instalação do programa de Pós-graduação da EPM, hoje o mais conceituado do país na área médica. Na década de 1980 implantou, e coordenou até 1993, com apoio da Fundação Rockfeller, o Programa de Epidemiologia Clínica da EPM. Ainda na década de 1990, coordenou, por meio da Fundação Oswaldo Ramos, a construção e implantação do Hospital do Rim, de São Paulo, tendo sido, até falecer, seu Presidente Honorário.

Entre 1989 e 1993 foi Presidente da Comissão de Pós-graduação e, de 1990 a 1998, Chefe do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), antiga EPM.

Coordenou, na década de 1980, o Sistema Integrado de Procedimentos de Alta Complexidade na área de nefrologia, normatizando os procedimentos de diálise e transplante no Brasil. Fundou e dirigiu a Sociedade Brasileira de Nefrologia e a Sociedade Brasileira de Investigação Clínica e é Patrono da Sociedade Brasileira de Clínica Médica.

Teve seu reconhecimento internacional consolidado em 1980, quando foi convidado a participar da seleta Chamber for High Blood Pressure Research, da American Heart Association.

Em meados de 1983, os membros da Disciplina de Nefrologia fundaram o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Nefrologia e Hipertensão – IPEPENHI – entidade jurídica e sem fins lucrativos que em junho de 1994 transformou-se na Fundação Oswaldo Ramos, reconhecida pelo Conselho Universitário da UNIFESP – EPM como seu órgão suplementar e pelo MEC como Instituição auxiliar de ensino.

Editor do Atualização terapêutica desde sua 14ª edição (1988) até a 19ª edição, de 1999, ano de seu falecimento.

Publicou trabalhos científicos e recebeu títulos honoríficos, prêmios e distinções.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Repercussão sobre o Rim da Hipertensão Arterial Essencial e da Associada ao Diabetes Mellitus”.

Faleceu em 30 de maio de 1999.

Discurso de Saudação

Antonio Zappalá

Nasceu em 23 de março de 1931, em Manhuaçú (MG).

Filho de André Zappalá e Iborina Vasconcellos Zappalá.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Minas Gerais (1955), onde também obteve seu título de Doutor (1957).

Aceito em 1957 como Professor Assistente de Anatomia da Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais. Em 1958, logrou o título de Livre-docente de Anatomia e de Catedrático de Anatomia (1959).

Em Recife, após apresentar-se ao concurso de Professor Catedrático da então Universidade do Recife, classificou-se em 1º lugar e tornando-se, aos 28 anos de idade, o Professor Catedrático mais jovem do Brasil até então.

Em 1961, a Fundação Rockefeller concedeu título de “Research Fellow” na University of Wisconsin (EUA) durante um ano, onde ampliou sua formação didático-científica com o Professor Dr. Otto A. Mortensen. 

Retornando ao Recife em 1963, atuou como Diretor do Hospital do Pronto Socorro; Médico Clínico Chefe da Secretaria de Saúde e Assistência Social; Médico Assistente do Departamento de Assistência Hospitalar.

Em 1965, tornou-se Pesquisador Associado Visitante em Anatomia na Northwestern University (EUA) e, no ano seguinte, na Stanford University. Em 1970, assumiu a posição de Professor Associado de Anatomia da University of California.

Foi convidado, em 1973, para exercer o cargo de Professor Titular Visitante de Anatomia na Universidade Estadual de Londrina.

Professor Titular de Anatomia da Universidade de Brasília em 1979, tendo desempenhado também as funções de Chefe do Departamento de Medicina Complementar e Coordenador da Área de Morfologia. Em 1986, foi Professor Visitante Titular de Anatomia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Integrou a American Association of Anatomists, a American Association of Foreign Medical Graduates, a American Association of University Professors, a American Medical Association, a Association of American Medical Colleges, a Association of Anatomy Chairmen, a Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), a Associação Médica Brasileira, os Conselhos Regionais de Medicina do Distrito Federal e de Pernambuco, a Ohio Academy of Sciences, a Sociedade Brasileira de Anatomia, dentre outras.

Recebeu o Prêmio “Physician’s Recognition Award”, da American Medical Association (1971) e a Medalha de Prata do I Congresso Brasileiro de Criminologia (1973).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Considerações Morfo-funcionais sobre a Assimetria Bilateral da Face Humana”.

Faleceu em 03 de fevereiro de 1996.

Rubem de Andrade Arruda

Nasceu em 28 de dezembro de 1933, em Resplendor, em Minas Gerais.

Filho de Anestaldo de Oliveira Arruda e Gabriela Freitas de Arruda.

Prestou concurso vestibular em 1952, na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Distrito Federal (RJ). Fez todo o seu curso Médico na referida Faculdade, tendo colado grau em 17 de dezembro de 1957. Pós-graduação em Administração Hospitalar pela PUC- RJ (1970).

Nos anos de 1956 e 1957 foi estagiário no Serviço de Pronto Socorro do Hospital Geral Carlos Chagas e na Secretaria de Saúde e Assistência da Prefeitura do Distrito Federal.

Na carreira de Médico Militar, foi Chefe de Clínica Urológica da Assistência Médica e Social da Armada (1964/1970); Médico dos navios: Corveta “Mearim”, Rebocador “Tritão” e Rebocador “Triunfo”; Médico do Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval e da Base Aérea Naval de São Pedro D’Aldeia; Chefe da Clínica Urológica do Hospital Central da Marinha (1970-1980) – ocasião em que desenvolveu um grande trabalho de implantação e solidificação de uma família urológica naval, levando à formação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e na Escola Paulista de Medicina em São Paulo três mestres e três livre-docentes em Urologia. Além disso, atuou como Chefe da Clínica Urológica do Hospital Naval Marcílio Dias (1980/1989).

Membro da Comissão Nacional de Entorpecentes (1971); Redator Chefe da Revista Brasileira de Urologia (1981-1983); Diretor da Escola de Saúde do Centro Médico Naval (1986-1987); Diretor do Hospital Naval Nossa Senhora da Glória (1988-1989); Diretor do Hospital Naval Marcilio Dias (1989-1994).

Foi Presidente da Academia Brasileira de Medicina Militar (1992-1994) e Diretor de Saúde da Marinha (1995-1996).

Professor Titular (e Emérito – 1997) de Urologia da Faculdade de Medicina de Campos (1974-2011); Chefe Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina de Campos (1993), onde também foi Membro do Conselho Superior. Livre Docente de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas (RJ, 1970) e Professor Titular de Urologia da Universidade Federal Fluminense (1978).

Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Urologia (1963); Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Militar (1970); Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1971); Membro Titular da Confederação Americana de Urologia (1979); Fellow of The American College of Surgeons (1979) e do International College Of Surgeons (1988). Membro Honorário da Associação de Cirurgiões Militares (EUA, 1989); Membro da American Urological Association (1995).

Irmão da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (1998) e Mordomo do Hospital Geral da Santa Casa, de 2003 a 2012.

Recebeu a Medalha Mérito Tamandaré (1977); Cavaleiro, Oficial e Comendador da Ordem do Mérito Naval (respectivamente 1979, 1984 e 1989); Medalha do Mérito Judiciário Militar (1982); Comendador da Ordem do Mérito Aeronáutico (1995); Medalha do Pacificador (Exército, 1987); Medalha Militar de Ouro (1989); Comendador do Mérito Militar (1989); Grande Oficial do Mérito das Belas Artes (1989); Medalha Mérito Santos Dumont (1989); Comendador do Mérito das Forças Armadas (1992); Medalha Serviços Distintos – Marinha (1996).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Comprometimento da Vascularização Arterial nas Cirurgias do Rim”.

Glaciomar Machado

Nasceu em 31 de dezembro de 1939 em Teófilo Otoni (MG).

Filho de Aymoré Olive e Nair Machado.

Graduou-se na então Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro em 1966, onde ocupou a posição de Professor de Gastroenterologia e Chefe do Departamento de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva do Hospital Universitário. Visiting Professor das Universidades de Oslo, Miami e Southern California. Fundador e Chefe do Serviço de Endoscopia Digestiva Nair Machado, Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. Doutor em Medicina pela Universidade de Bristol, Inglaterra.

Considerado um dos pioneiros mundiais da moderna endoscopia digestiva, tendo, inclusive, concebido novas técnicas endoscópicas, como a Coledocoduodenostomia Endoscópica Peroral e a Eletrossecção de Estenoses Esofagianas Benignas em Anel, hoje adotadas em todo o mundo. Introduziu a papilotomia endoscópica na América Latina, em 1975, entre outros métodos inovadores.

Em 1976, fundou a Revista Brasileira de Endoscopia Digestiva, sendo seu editor-responsável durante 10 anos.

Membro Titular da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Peroral, da Sociedade Brasileira de Hepatologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. No exterior, participa de Sociedades na Colômbia, Equador, Peru, Argentina, Bolívia, Cuba, Itália, Uruguai e Estados Unidos (ASGE). Entre 1998 e 2002, foi Presidente da Organização Mundial de Endoscopia Digestiva.

Homenageado com a criação da Associação dos Ex-Alunos e Estagiários do Professor Glaciomar Machado em 1988. Cidadão Honorário de Juiz de Fora, 1981 e de Bicas, MG, 1986. Medalhas Santos Dumont-Grau Ouro, 1986 e Inconfidência, 1994, pelo Governo de Minas Gerais; Colar do Mérito Judiciário, 2007, pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro; Medalha do Mérito Pedro Ernesto e Cidadão Benemérito do Município do Rio de Janeiro, 2015. Proferiu a Conferência Magna (Schindler Memorial Lecture) do X Congresso Mundial de Gastroenterologia, Los Angeles, 1994. Recebeu cinco prêmios de “Melhor Trabalho Científico do Ano” da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro e “Prêmio Nacional de Gastroenterologia” da Federação Brasileira de Gastroenterologia.

Possui cerca de 180 artigos publicados em Português, 70 em Inglês, cinco livros (um em espanhol), 50 capítulos em livros (Português, Inglês, Espanhol e Alemão) e mais de 80 programas audiovisuais de ensino.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular na Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Icterícia Obstrutiva por Carcinoma das Vias Biliares Extra-Hepáticas. Contribuição Endoscópica ao Diagnóstico e à Terapêutica”.

Levão Bogossian

Nasceu em 1º de dezembro de 1922, no Rio de Janeiro.

Filho de Bogos Bogossian e Anita Bogossian.

Graduou-se em Medicina pela antiga Universidade Nacional de Medicina, atual UFRJ, em 1946.

Após 10 anos de formado, fez estágios de aperfeiçoamento nos Estados Unidos.

Professor Titular de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenador Adjunto do curso de Pós-graduação em Cirurgia Geral (1971) e Chefe do Departamento de Cirurgia, eleito por três mandatos sucessivos, até sua aposentadoria, aos 70 anos. Professor de Cirurgia na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) por 21 anos, da Universidade Federal Fluminense por dois anos e também da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Chefe da equipe Raul Boaventura do Hospital Geral Getúlio Vargas de 1948 a 1992 (serviço de emergência). Foi Membro Titular Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro e da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro.

Autor de cinco livros didáticos: “Choque” (três edições nacionais e uma espanhola), “Traumatismo torácico”, “Manual Prático de Pré e Pós-Operatório” (com três edições, a última em fevereiro de 2007), “Choque séptico” e “Manual de autotransfusão”. Além disso, foi autor de 52 trabalhos publicados em revistas médicas e cerca de 120 trabalhos apresentados em congressos. Participou como Conferencista, Professor, Moderador e Coordenador de mais de 720 congressos e reuniões científicas.

Recebeu seis homenagens de formatura de alunos da UNIRIO. Foi também agraciado com a Medalha ao Mérito pelo Governo do Estado da Guanabara; Medalha de Honra da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e uma homenagem da Diretoria do Hospital Getúlio Vargas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Autotransfusão em Cirurgia”. Entre os anos de 2009 e 2011, foi Presidente da Secção de Cirurgia.

Faleceu em 17 de abril de 2012.

Edson Abdalla Saad

Nasceu em 12 de julho de 1935, em Igarapava, São Paulo.

Filho de imigrantes libaneses, Calim Abdalla Saad e Evelina Fayad Saad.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1959. Doutor em Medicina (1961).

Livre docente de Cardiologia e Clínica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ainda muito jovem, tornou-se Professor Titular de duas Universidades Federais, a Universidade Federal Fluminense (UFF) em 1971, e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Nesta, participou da criação da Pós-graduação, tanto do Mestrado quanto do Doutorado. Colaborou na formação de centenas de cardiologistas, que hoje atuam e ensinam em todo o país. Pela UFRJ, recebeu o título de Professor Emérito.

Chefe de Clínica do Serviço da Cadeira de Cardiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado da Guanabara, com sede no Hospital de Clínicas Pedro Ernesto (1963-1967).

Sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Cardiologia; Membro Efetivo da Sociedade de Cardiologia do Estado da Guanabara; Sócio da Sociedade Mexicana de Cardiologia; Membro da Associação Médica Brasileira; Membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro; Fellow do American College of Cardiology; Fellow da New York Academy of Sciences; Membro da Sociedade Brasileira de Investigação Clínica.

Membro do Comitê Editorial da Revista Latina de Cardiologia (1980).

Sua obra “Semiologia Cardiovascular”, publicada em 2003, é uma de suas grandes realizações, servindo como marco cultural médico para as atuais e próximas gerações. Lançou pela editora Guanabara-Koogan três volumes do “Tratado de Cardiologia”, dedicado à semiologia.

Lançou as sementes para a criação do Instituto de Doenças do Tórax da UFRJ, tendo feito inúmeros contatos com o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP com o objetivo de formar parcerias para criação, gestão e logística institucional que viabilizasse a implementação desse marco histórico.

Em sua homenagem, a Prefeitura do Rio de Janeiro batizou uma das unidades da Clínica da Família do bairro de Santa Cruz com seu nome. Recebeu o Prêmio Gehardt Dogmark, destinado ao melhor trabalho sobre Medicina Tropical (1966). Cidadão do Estado do Rio de Janeiro, outorgado pela Assembleia Legislativa (1979).

Na ocasião da sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Epidemiologia da Insuficiência Cardíaca no Brasil”.

Faleceu em 3 de junho de 2005.

José Clemente Magalhães Pinto

Nasceu em 13 de maio de 1923, em Niterói (RJ).

Filho de José Pinto de Oliveira e Rosa Magalhães Pinto.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (1947). Durante o curso foi interno de várias cadeiras de Medicina e de Cirurgia, tendo feito cursos, como de emergência, de anatomia patológica e de câncer. Doutor em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975).

Exerceu ainda atividades na então Prefeitura do Distrito Federal, tendo sido, por concurso, Técnico de Biologia e de Química. Dedicou-se cedo à Hematologia, à Radioterapia e à Imunologia.

Fez inúmeros cursos de aperfeiçoamento, tendo sido bolsista na Argentina, nos Estados Unidos e na Inglaterra, além de outros países.

Fez toda a carreira universitária passando regularmente pelos cargos de Instrutor, Assistente, Professor Adjunto e finalmente Professor Titular da Disciplina de Medicina Nuclear da UFRJ, após Concurso de Títulos e Provas (1987), tendo sido o 1° Professor Titular em Medicina Nuclear da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Aposentou-se em 13 de maio de 1993.

Chefe do Departamento de Radiologia do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina da UFRJ. Foi Professor de vários cursos de Pós-Graduação, em várias áreas ligadas à Medicina Nuclear.

Consultor da CAPES e da Comissão Nacional de Energia Nuclear.

Membro Titular e Fundador do Colégio Brasileiro de Hematologia; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Radiologia; da Sociedade Brasileira de Radiologia; da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear; da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Fellow do American College of Physicians; da Society of Nuclear Medicine e da International Society of Internal Medicine.

Membro pesquisador em instituições na América do Norte e na Inglaterra. Participou de numerosos Congressos no Brasil e no Exterior, tendo publicado numerosos trabalhos. Atuou como especialista em Medicina Nuclear em inúmeros serviços de diferentes especialidades.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cobalaminas”.

Faleceu em 09 de novembro de 2000.

Pedro Clovis Junqueira

Nasceu em 02 de junho de 1916 em São Luís (MA).

Filho de Nelson Machado Junqueira e Zelia Bessa Junqueira.

Mudou-se com sua família para o Rio de Janeiro, ainda criança. Seu pai esperava que o filho encontrasse oportunidades no comércio; todavia, tornou-se atraído pela Medicina. Graduou-se na Escola Nacional de Medicina do Brasil (1939).

Foi discípulo de Walter Oswaldo Cruz, e sua formação incluiu passagens pela Inglaterra, Alemanha, Holanda, França, Argentina e Estados Unidos, quando passou em primeiro lugar no Curso de Pós-graduação em Hematologia do Instituto Oswaldo Cruz.

Em 1945, passou a dedicar-se à Medicina Transfusional, fundando um Serviço no Rio de Janeiro. Mais tarde, se juntou Professor Dr. Hildebrando Monteiro Marinho, fundindo Hematologia e Transfusão em uma única unidade.

Com Walter Oswaldo Cruz, deu o primeiro curso de especialização em Hematologia em Manguinhos, em 1949. Junto com Carlos da Silva Lacaz, Oswaldo Mellone e Michel Abu Jamra, fundou a Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (Sociedade Brasileira de Hematologia e Hematologia).

Em 1951, apresentou trabalhos sobre grupos sanguíneos em índios brasileiros em duas conferências internacionais em Portugal e na Itália. No mesmo ano, participou da criação da Comissão da Sociedade Brasileira de Genética – Genética Humana. Liderou, em 1954, a delegação brasileira para o V Congresso da Sociedade Internacional de Transfusão de Sangue realizada na Sorbonne, em Paris. Nesse mesmo ano, trabalhou em projetos em conjunto com Jean Dausset e AE Mourant.

Foi eleito Presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia por dois mandatos consecutivos; trabalhou pelo reconhecimento da especialidade e foi o responsável pela aquisição da sede própria da Sociedade. Premiado Professor e Presidente Honorário da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia.

Ficou a seu cargo a criação do Serviço de Hemoterapia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (1978), permanecendo na chefia do Serviço até dezembro de 1991.

Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Membro do Conselho Consultivo da Sociedade Internacional de Transfusão de Sangue; Diretor do Centro Médico do Departamento de Saúde; Presidente da Sociedade Latino-Americana de Hematologia e Membro da Divisão Técnica de Hematologia do Conselho Nacional de Saúde Contínua Educação.

Professor de Pós-graduação de Hematologia da PUC-RJ e Regente de Genética. Professor Emérito da Faculdade de Medicina de Teresópolis em 1987.

Deu seis cursos de Pós-graduação, 20 cursos sobre Hematologia, mais de 170 categorias, com mais de 42 cursos em seu currículo. Além disso, publicou mais de 40 artigos científicos em revistas proeminentes.

Foi um dos poucos brasileiros com publicações na revista Nature, na qual publicou três artigos. Escreveu e traduziu livros, escreveu capítulos de livros e várias monografias. Participou de 70 conferências nacionais e 27 conferências internacionais, incluindo 24 reuniões da Associação Americana de Bancos de Sangue. Nestas conferências, apresentou uma centena de trabalhos, participou de 85 mesas redondas e deu 35 palestras.

Recebeu o Prêmio Laboratório da Sociedade Acadêmica de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro em 1939; Medalha de “Mérito Professor Clementino Fraga” concedida pelo governador da Guanabara, em 1974; Diploma da Grã-homenagem prestada pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e o Prêmio Alfred Jurzykowski, pela Academia Nacional de Medicina, em 1998.

Sua contribuição para a Medicina Transfusional brasileira foi de tamanha importância que o Acadêmico foi homenageado por Marcos Alfredo Pimentel com um livro sobre sua vida chamado: “A Trajetória de um Mestre”. Em sua homenagem, o Hospital Geral de Bonsucesso batizou o Serviço de Hemoterapia da Unidade de Professor Pedro Clovis Junqueira.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Autotransfusão”.

Faleceu em 01 de outubro de 2010.

Antonio Carlos Pereira Junior

Nasceu em 05 de maio de 1940, em Juiz de Fora (MG).

Filho de Antonio Carlos Pereira Filho e Ernestina de Carvalho Pereira. Seu pai foi Professor Titular de Dermatologia, Fundador e Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora e Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (atual UFRJ) em 1963. Especialista em Leprologia ela Escola Nacional de Saúde Pública em 1964. Assistente Estrangeiro da Universidade de Paris em 1969.

Em 1969, foi contratado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em março de 1971, fez concurso de Livre-docência em Dermatologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em setembro do mesmo ano, tornou-se Professor Titular de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Vassouras. Em Vassouras, foi, além de Professor Titular, Chefe do Departamento de Clínica Médica (duas vezes). Na cidade de Valença foi Vice-Diretor da Faculdade de Medicina.

Catedrático de Dermatologia da Universidade Federal de Juiz de Fora. Foi também Professor Auxiliar da UFRJ na disciplina Dermatologia, mesma instituição onde galgou todos os postos da carreira universitária, chegando a Professor Titular. Professor Assistente e Titular da mesma disciplina na Universidade de Paris, onde também se distinguiu na Pós-graduação.

Diretor do Hospital Estadual Eduardo Rabello (1971); Assessor do Ministro de Saúde (1972); Diretor da Divisão Nacional de Lepra (1973). De 1974 a 1976, foi Diretor Médico do Hospital Frei Antonio, da Fundação Instituto Oswaldo Cruz. Em 1976, foi Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Seção Rio de Janeiro. Foi também Presidente da Associação Brasileira de Hanseniologia.

Das suas atividades científicas, destacam-se mais de 90 trabalhos publicados ou já aceitos para publicação e algumas centenas de comunicações, palestras, aulas e conferências realizadas em sessões de sociedades médicas, hospitais e outras instituições, sempre considerando assuntos de Dermatologia.

Participou de numerosas bancas examinadoras e orientou várias teses. Foi distinguido com várias homenagens por seus discípulos e instituições especializadas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Estudo da Resposta-Imune em Pacientes com Infecções pelo Vírus da Imunodeficiência Humana. HIV em Relação a Anti de Mitsuda”.

Faleceu em 04 de novembro de 2000.

Mario Rigatto

Nasceu em 12 de janeiro de 1930, em Porto Alegre (RS).

Filho de Arthur Rigatto e Anna Luiza Pillmann Rigatto.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, na chamada turma cinquentenária, em 1953. Pós-graduação em Fisiopatologia Cardiorrespiratória pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estagiou na Universidade de Cornell na área de Medicina Interna (1958) e, nos dois anos seguintes, na Universidade Columbia. Médico da 29ª Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.

Sua carreira de pesquisador iniciou-se formalmente em 1960, com dedicação em tempo integral à vida universitária, tendo sido o primeiro da Faculdade de Medicina da UFRGS no ciclo clínico, através do Laboratório Cardiopulmonar da Santa Casa de Porto Alegre, patrocinado pela Fundação Rockfeller.

Em 1966, foi Professor-Visitante na Universidade de Londres (Hospital Hammersmith) e, a seguir, na Universidade de Estocolmo (Hospital Karolinska). Em 1991, foi Professor-Visitante nas Universidades de Pennsylvania (Hospital Pennsylvania), na Philadelphia e McMaster (Hospital McMaster), em Hamilton, Canadá.

Uma de suas obras mais importantes é o livro “Fisiopatologia da Circulação Pulmonar”, editado em 1973, e que apresenta reflexões importantes sobre corações acessórios.

Foi um dos introdutores da Residência Médica no Sul do Brasil em 1960, além de um ativista em favor da qualificação do ensino médico. A organização, em 1971, e a coordenação de 1972 a 1978 do Curso de Mestrado em Pneumologia da UFRGS, o primeiro curso de Pós-Graduação implantado na região Sul do Brasil, são serviços seus, sendo também Professor Responsável por cinco disciplinas nesse curso e de outras em outros cursos de pós-graduação.

Além disso, foi Vice-Reitor da UFRGS, em 1981. Sua atuação no campo da educação médica o levou a grandes alturas nacionais e internacionais.

Possui centenas de trabalhos publicados no país e no exterior entre artigos médicos, resumos, teses feitas ou orientadas, dois livros, capítulos de livros e ensaios. Fez mais de duas mil comunicações em congressos médicos nacionais ou internacionais de cunho científico ou médico-social.

Livre-Docente em 1961, e Professor Titular de Medicina Interna em 1986, aprovado com média 10.

Exerceu liderança na AMRIGS por inúmeras vezes, foi Presidente da Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul e Membro da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina. Fellow do American College of Physicians (USA) e da Medical Research Society. Exerceu também importantes cargos em órgãos ligados à Associação Médica Brasileira e à Sociedade Brasileira de Cardiologia. Fundador e primeiro Presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, de 1978 a 1980, além de muitas outras atividades societárias nacionais e internacionais.

Sob a égide da AMRIGS, em1966, organizou a Primeira Campanha contra o Tabagismo no Brasil. Continuou sendo um dos líderes dessa luta no Estado, no país e na América do Sul. Outro tema de Saúde Pública que mereceu sua especial atenção foi a velhice, sobretudo a partir de 1980.

Membro de Comissões Organizadoras e Presidente de conclaves médicos de caráter estadual e nacional em dezenas de vezes. Fundador e Presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), Assessor Técnico do CNPq, da CAPES e do Ministério da Saúde.

Recebeu o Prêmio Nacional de Cardiologia (1968); de Ciências Médicas (1969) e, por duas vezes, o Prêmio Academia Nacional de Medicina (1966 e 1971). Foi agraciado com a Ordem do Mérito Médico, pelo Ministério da Saúde, em 1988. Obteve um Special Citation Award da American Cancer Society.

Faleceu em 17 de janeiro de 2000.

Pedro Estevam de Lima

Nasceu em 3 de março de 1922, em Bezerro, Pernambuco.

Filho de Antonio Estevam de Lima e Ermira Rita de Lima.

Aos 12 anos de idade foi conduzido por seu irmão, o Professor Ermiro Estevam de Lima, para o Rio de Janeiro, onde lhe moldou a formação técnico-profissional. Cursou o Colégio Universitário, ingressando na Faculdade Nacional de Odontologia da Universidade do Brasil (atual UFRJ) e graduando-se em 1945.

Em 1943, começou a trabalhar no Museu Nacional Divisão de Antropologia, aí permanecendo 15 anos em atmosfera de pesquisa. Exerceu o cargo de Naturalista Auxiliar e Naturalista Interino, correspondendo ao cargo de Professor Titular. Desenvolveu pesquisas médico-antropológicas em indígenas brasileiros durante 8 anos, nos índios do rio Pindaré (Estado do Maranhão) e nos índios do rio Xingú (Estado do Mato Grosso do Sul).

Não obstante tais peculiares atividades, os anseios de ser médico jamais esmoreceram: em 1953 graduou-se em Medicina na então Escola de Medicina e Cirurgia, hoje UNIRIO. Dedicou-se aos estudos da Anatomia Humana, conquistando títulos de Livre Docência na UFRJ e na UFF, respectivamente em 1952 e 1953.

Frequentou o Serviço do Professor Ermiro de Lima na Santa Casa de Misericórdia, e em seguida no Hospital São Francisco de Assis. Ingressou no Hospital Servidor do Estado, ali permanecendo até sua aposentadoria.

Em 1963, após concurso de provas e títulos, galgou a Cadeira de Anatomia Humana, sendo nomeado Professor Titular da UFRJ, pela Faculdade de Odontologia. Com as reformas havidas, exercia atividades de Professor Titular de Anatomia na área médica, tendo sido por três vezes chefe do Departamento de Anatomia.

Conquistou o título de Livre Docente em Otorrinolaringologia na Faculdade de Medicina da UFRJ em 1968.

Na trajetória cientifica e profissional, foi aprovado em 8 concursos para Magistério Superior, sendo 3 destes para Professor Titular. Autor de 8 prestimosas teses, 53 cursos ministrados na área otorrinolaringológica, 30 trabalhos científicos publicados e 2 láureas outorgadas pela Academia Nacional de Medicina – a primeira conquistada em 1985, prêmio Academia Nacional de Medicina, com trabalho experimental em cobaias (colaboração com Professor Gerson Cotta Pereira); a segunda em 1989, prêmio Eduardo de Moraes, concernente à Otorrinolaringologia.

Integrou a primeira Diretoria da Associação Brasileira de Rinologia, como Tesoureiro.

Participou como Membro de Comissão Examinadora em 20 concursos, sendo em 05 para Professor Titular e os demais entre Livre-Docência e Mestrado.

Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões; Honorário da Academia Brasileira de Odontologia; Efetivo da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro; da Sociedade Brasileira de Otologia; da Sociedade Brasileira de Rinologia; da Sociedade Brasileira de Anatomia e da Sociedade Brasileia de Antropologia. Membro Associado da Pan American Association of Otorhinolaryngology.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “O Seio Frontal – Considerações Anatômicas Clínicas e Cirúrgicas”.

Faleceu em 16 de setembro de 1992.

Bento Mario Villamil Gonçalves

Nasceu em 1º de setembro de 1928, em Bagé (RS).

Filho de Xavier Gonçalves da Silva e Ebenilda Villamil Gonçalves.

Graduou-se pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (atual UFRJ) em 1952.

Interno oficial e Monitor da 3ª Cadeira de Clínica Cirúrgica do Serviço do Professor Araújo, no Hospital Moncorvo Filho, sendo então responsável pelo setor de Anestesia. Foi admitido em 1951 como Aspirante da recém-formada Sociedade Brasileira de Anestesiologia.

Estagiou na Cátedra de Tisiologia da Faculdade Nacional de Medicina a partir de 1951, permanecendo responsável pelo setor de Anestesia até o ano de 1957.

Responsável pelo Serviço de Anestesiologia do Hospital Abrigo Clemente Ferreira; Médico Assistente do Hospital Pronto Socorro; Chefe do Serviço de Anestesiologia e Gasoterapia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ. Responsável pelo Serviço de Gasoterapia do Hospital Pedro Ernesto; Diretor Presidente da Superintendência da Suseme; Chefe do Serviço de Anestesiologia e Gasoterapia do Hospital Miguel Couto e Chefe do Serviço de Anestesiologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Foi aprovado em concursos públicos, destacando-se, ainda durante o curso médico, o de Auxiliar Médico para a Prefeitura do Distrito Federal e, após a Graduação, o concurso para Anestesiologista do antigo IAPC. Em 1957, através de concurso de título e provas, recebeu o título de Especialista em Anestesiologia.

Em 1978, foi aprovado em concurso de Livre-docência do Departamento de Cirurgia (Anestesiologia) da Faculdade de Medicina da UFRJ e, após concurso de provas e títulos, indicado Professor Adjunto da mesma Instituição em 1980, onde foi designado Professor Responsável pela Disciplina de Anestesiologia do Departamento de Cirurgia. Em 1981, criou e coordenou o curso de Pós-Graduação em Anestesiologia da UFRJ, função que exerceu até 1984 quando, a seu pedido, afastou-se da Coordenação Geral, passando a Coordenador Adjunto.

Desde 1955, foi intensa sua participação em cursos, Simpósios etc., proferindo palestras e conferências em cursos oferecidos por diversas instituições como a Faculdade de Medicina da UFRJ, a UERJ, a Escola Paulista de Medicina, os Hospitais da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, a Escola de Pós-Graduação da PUC. Além destes, participou de Congressos da Sociedade Brasileira de Anestesiologia; da Sociedade Brasileira de Cirurgia, realizados em diferentes Estados do país; do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e em cursos patrocinados pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia para a concessão de Título de Especialista, num total de 92 comunicações.

Sua produção técnica-científica é vasta, com 59 publicações contempladas em periódicos nacionais e internacionais. Particularmente da América Latina, escreveu capítulos de livros (14) e teses. Foi responsável pela elaboração de 32 editoriais em revistas de sua especialidade, versando sobre a filosofia e a práxis, bem como sobre as implicações socioeconômicas da Anestesia em nosso país.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Corticóides por via Peridural no Tratamento das Lombalgias – Avaliação Clínica”.

Faleceu em 28 de março de 1995.

Waldemar Kischinhevsky

Nasceu em 05 de outubro de 1925, no Rio de janeiro (RJ).

Filho de Adolpho Kischinhevsky e Berta Medovedovsky Kischinhevsky.

Graduou-se em Medicina na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (UNIRIO) em 1951. Doutor em Radiologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Professor Titular por concurso público de títulos e provas para a disciplina de Radiologia da UNIRIO; Livre Docente e em Radiologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A sua capacitação na especialidade o credenciou para o cargo de Professor de Radiologia da Faculdade de Medicina de Petrópolis e Professor Assistente de Radiagnóstico da Pontifícia Universidade Católica do Rio de janeiro (PUC). Nomeado para o cargo de Decano do Centro de Ciências Biológicas da Saúde da Universidade do Rio de Janeiro, também obteve a indicação para o cargo de Pró-Reitor Acadêmico da mesma Universidade.

Entre Simpósios, cursos, certificados, mesas redondas e painéis, realizou cerca de 60 atividades da mais alta qualificação, dentre as quais se destacam cursos de especialização feitos com grandes autoridades nos respectivos assuntos. Participou de 20 Congressos da especialidade, sendo 3 no exterior (Portugal, França e USA).

Foi designado e fez, em 1980, em Nova York, curso de Tomografia Computadorizada, Cineangiocardiografia, Ultrassonografia e Hemodinâmica, junto ao Montefiore General Hospital, com duração de 6 meses. Nesse mesmo ano, foi designado para realizar visitas técnicas em hospitais especializados em Paris, Washington e Miami.

Foi Membro Titular e Honorário de várias instituições nacionais e estrangeiras. Teve oito concursos públicos de títulos e provas, para as diversas instituições, tais como: DASP, FAB, UNI-RIO, UFRJ, IPASE, etc. Foi Secretário (1958); 2º Vice-Presidente (1963); Delegado (1965); Presidente do Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Radiologia (1970) tendo sido seu Vice-Presidente em 1971.

Participou como Membro de comissão examinadora em concurso público para o ingresso de oficiais médicos da Força Aérea Brasileira em 19 oportunidades e como Presidente de banca examinadora em 11 eventos.

Nos cargos ocupados no Serviço de Saúde da Força Aérea Brasileira, galgou todas as posições hierárquicas, inclusive a de Brigadeiro Médico (Oficial-General), por merecimento, em 1981. Exerceu o cargo de chefia de todos os serviços atinentes a sua especialidade, no tempo em que permaneceu como oficial médico, na F.A.B.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Contribuição ao Estudo do Envolvimento Pulmonar na Síndrome de Imunodeficiência Adquirida”.

Faleceu em 30 de abril de 2003.

Onofre Ferreira de Castro

Nasceu em 16 de maio de 1932, em Guaxupé (MG).

Filho de Odilon Ferreira de Castro e Antônia Carlota de Castro.

Graduou-se em Medicina, dedicando-se desde muito cedo à Anatomia Patológica. Formou-se Monitor voluntário da Disciplina da UFRJ. Paralelamente, estagiou no Laboratório de Anatomia Patológica do Instituto Nacional do Câncer (INCA), onde realizou a Residência médica, sendo em seguida nomeado Assistente do Laboratório de Anatomia Patológica. Iniciou em seguida a carreira Docente ao ingressar na Disciplina de Anatomia Patológica como Assistente e onde foi Adjunto e Livre-Docente em 1966.

Em sua atividade técnica, é Especialista em Citologia pela Sociedade Brasileira de Citologia, e em Patologia Clínica pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica.

Foi Professor Titular por concurso de Patologia Geral Fisiopatologia da Universidade Federal Fluminense (1970) e Professor Titular de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas da Sociedade de Ensino Superior de Nova Iguaçu – SESNI, aprovado pelo Conselho Federal de Educação (1981). Como Professor, exerceu vários cargos na esfera administrativa, como por exemplo, a chefia do Departamento de Patologia e Apoio Clínico do Centro de Ciências Médicas da UFF, no exercício do qual, idealizou e conseguiu realizar a colaboração da referida Universidade com o INCA, sendo criado o Curso de Especialização em Oncologia.

No final de 1977, o Professor Manoel Barretto Netto, Chefe do Departamento de Patologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), propôs a Onofre de Castro, também Professor deste Departamento, um convênio para treinamento em Serviço em Patologia Oncológica de professores, residentes e mestrandos da UFF. O projeto iniciou-se em 1978 e mostrou-se muito útil para as duas instituições, pois, ao mesmo tempo em que fornecia a indispensável mão-de-obra especializada para impedir a interrupção dos diagnósticos morfológicos no Instituto Nacional de Câncer, complementava o treinamento específico dos docentes e alunos da UFF na área da Patologia Oncológica.

Foi importante expoente da Campanha Nacional Antitabagismo, junto aos Professores Moacir Santos Silva, diretor do Serviço Nacional do Câncer (Ministério da Saúde), e Aristides Pinto Coelho.

Na qualidade de Professor participou de comissões e bancas examinadoras de Concursos de Livre-docência, de preenchimento de vagas para Professores Titulares e Assistentes, além das de Mestrados e Doutorados.

Participou de numerosos cursos para técnicos de citologia e histologia, inclusive com o auxílio da organização Pan American de Saúde. Desenvolveu linha de pesquisa no INCA sobre Marcadores Biológicos de Tumores, iniciada com o método de fluorescência, evoluindo para técnicas mais sofisticadas de imunohistoquímica com anticorpos monoclonais. Na pesquisa com anticorpos monoclonais tem a efetiva colaboração, na Alemanha, do Professor Karl Sennert e na França dos Professores Jacques Diebold e Georges Delsol.

Participou de mais de 75 congressos, Simpósios e Jornadas Nacionais e 13 Internacionais. Publicou 75 trabalhos, e elaborou 9 monografias e teses, participou em mais de 200 mesas redondas e foi membro de várias sociedades médicas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Um Estudo Imunohistoquímico do Linfoma K1-1+”.

Faleceu em 19 de janeiro de 1995.

Roberto Soares de Moura

Nasceu em 10 de julho de 1936, em Raul Soares (MG)

Filho de Heitor Soares de Moura e Airam Vieira Soares de Moura.

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1961). Livre docência também pela UFRJ (1967) e pós-doutorado pela Royal Free Scholl of Medicine da Grã-Bretanha (1961-1962). Entre 1964 e 1965, foi pesquisador visitante The Cleveland Clinic Educational Foundation, nos Estados Unidos, onde trabalhou com o Dr. Irvine Page e publicou artigo na prestigiosa revista Science, cujos resultados mostraram, pela primeira vez, o desenvolvimento de hipertensão arterial com injeção contínua de dose subpressora de Angiotensin.

Posteriormente, fez um novo pós-doutorado na Mayo Clinic dos Estados Unidos (1986) e também na University of London, na Inglaterra, onde permaneceu no início da década de 70.

Professor Visitante junto ao Departamento de Farmacologia, do Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de farmacologia, com ênfase em farmacologia cardiovascular e de plantas medicinais. Atua principalmente nos seguintes temas: hipertensão arterial, vasoespasmo, endotélio, óxido nítrico, EDHF, antinocicepção, plantas ricas em polifenóis e pesquisas que visam a obtenção de novas patentes.

Foi responsável pelo depósito junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual de sete patentes, sendo duas depositadas no Patent Cooperation Treat PCT. Seus estudos foram publicados em mais de 50 papers em periódicos nacionais e internacionais. Responsável também pela implantação e reconhecimento do curso de Pós-Graduação em Farmacologia na UFRJ.

Participou de inúmeras comissões (Comissão de Biofarmácia, CRAME, etc.) do Ministério da Saúde que normalizava a política de medicamentos no Brasil antes do advento da ANVISA. Exerceu a função de membro do Conselho Superior da FAPERJ por vários anos. Em 1981 recebeu do CNPq medalha de reconhecimento pelas atividades de pesquisa.

É revisor dos seguintes periódicos: Fundamental & Clinical Pharmacology; Journal of Pharmacy and Pharmacology; Brazilian Journal of Medical and Biological Research; British Journal of Pharmacology; Journal of Cardiovascular Pharmacology; Pharmacology, Biochemistry and Behavior.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Receptores Serotonínicos e Motitlidade do Schistosoma Mansoni”.

Currículo Lattes

Walter Bertolazzo

Nasceu em 06 de setembro de 1928, em Mogi-Mirim (SP).

Filho de Adolpho Bertolazzo e Anna Todarelli Bertolazzo.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina Ciências Médicas do Estado do Guanabara (1955), hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), tendo feito o curso primário em Mogi-Mirim, o ginasial em Itapira e o científico em São João da Boa Vista e em Campinas. Ainda como aluno de Curso Científico, lecionou no curso secundário.

Foi monitor de Anatomia, tendo frequentando, durante o curso de graduação, na Santa Casa de Misericórdia, a 13ª Enfermaria (Dr. Darcy Monteiro), a 4ª Enfermaria de Clínica Médica, Serviço de Ginecologia (28ª Enfermaria) e o Hospital Getúlio Vagas. Em 1955 foi aprovado em concurso para Auxiliar Acadêmico, na Assistência Municipal. Foi, ainda, interno Efetivo da Santa Casa de Misericórdia e da Maternidade Clara Basbaum.

Exerceu as funções de Assistente no Serviço de Cirurgia da 13ª Enfermaria da Santa Casa, sob a direção de Darcy Monteiro e de Cícero Monteiro, de 1956 e 1958.

Em 1960 fez concurso para Médico da Petróleo Brasileiro S/A, tendo sido classificado em primeiro lugar.

Conquistou bolsa de estudos de pesquisas na França, Hospital Bichat, Serviço do Professor Jacquer Hepp, em Paris, de 1966 até 1967. Lá defendeu tese sobre “Duodeno Pacreatectomia Cefálica por Pancreatite Crônica Calcificante”. No período de 1970 a 1976, trabalhou na 1ª Cadeira de Clínica Cirurgia, do Professor Lucio Galvão.

Por meio de concurso, foi nomeado médico da Secretaria de Saúde de Estado da Guanabara e designado para o Hospital Carlos Chagas, onde permaneceu de 1971 até 1976.

Professor Assistente, em 1971, de Anatomia do Departamento de Biomorfologia da Escola de Medicina da Fundação Souza Marques. Exerceu a representação docente junto à Congregação, sendo designado, em 1976, Professor Adjunto e, em 1980, Professor Titular Regente.

Em 1977, foi aprovado no concurso para Livre Docente da Disciplina de Anatomia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em 1974, foi aprovado também no concurso para Livre Docente da mesma Disciplina na Universidade do Rio de Janeiro e, em 1976, no concurso para Livre Docência em Cirurgia Gastroenterológica do departamento de Cirurgia Geral da Universidade Federal Fluminense.

Fez 63 cursos de atualização e aperfeiçoamento em Sociedades Médicas, Centros de Estudos e no Colégio de Cirurgiões sobre Radiologia, Cirurgia, Gastroenterologia, Urologia, Neurocirurgia, Citologia, entre outros. Participou de várias comissões de seleção para os cursos de Mestrado. Ministrou 22 cursos, para graduados e pós-graduados, cursos de extensão universitária, em geral sobre anatomia e anatomia médico-cirúrgica. Realizou 169 palestras em diversas instituições médicas. Coordenou, organizou e dirigiu 40 cursos em instituições médicas.

Publicou 3 teses e 63 trabalhos, participando da publicação de diversos livros didáticos. Participou de 42 congressos e Simpósios nacionais e estrangeiros, além de 28 jornadas médicas em vários Hospitais do Rio de Janeiro.

Conquistou os Prêmios “Benjamin Baptista” (em 1978, 1979, 1980); “Nina Rodrigues” (1980) e “Jorge Soares de Gouvêa” (1985).

Pertenceu à 11 Associações Científicas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “A Morto-Radiologia do Buraco Occiptal e suas Conotações Neurológicas e Neurocirúrgicas: Estudo sobre 231 Crânios Humanos”.

Faleceu em 11 de julho de 1993.

Ruy João Marques

Nasceu em 18 de janeiro de 1917, em Recife (PE).

Filho de Antônia Cavalcanti de Albuquerque e do Dr. João Paulino Marques Júnior e registrado como Ruy Cavalcanti Marques.

Seu pai é considerado o primeiro médico negro a praticar a profissão em Pernambuco. Consta que foi também um dos fundadores da Faculdade de Medicina do Recife.

Graduou-se em Medicina pela Faculdade da Bahia. Conquistou os títulos de Doutor em Medicina e Doutor em Medicina na área de Doenças Tropicais e Infectuosas, de Universidade Federal de Pernambuco.

Conquistou o 2° lugar no Concurso Vestibular para a Faculdade de Medicina do Recife, em 1933. Completou sua formação profissional e intelectual na University of Pennsylvania (EUA) e na Université de France, em Paris.

Durante o Curso Médico, estagiou em Serviços de Clínica Médica, especialmente no do Professor João Amorim, onde, em 1938, foi nomeado Interno Oficial por indicação do Catedrático.

Sua brilhante carreira universitária culminou com a conquista, em concurso público de Títulos e Provas, do cargo de Professor Titular da Clínica de Doenças Infectuosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da UFPE, em 1956.

Além de sua vasta atividade docente e de pesquisa, o Acadêmico realizou tarefas administrativas de maior relevância da UFPE, podendo-se salientar: Fundador e Diretor do Instituto de Medicina Tropical de Faculdade de Medicina da UFPE; Presidente da Comissão de Ensino, Residência e Estágios do Hospital de Clinicas da UFPE; Presidente da Coordenação de Ensino e Pesquisa do Hospital das Clinicas da UFPE; Chefe do Departamento de Medicina Tropical da UFPE; Presidente da Comissão de Pós-Graduação da FMUFPE; Diretor interino da FMFPE e Pró-Reitor para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação e para Assuntos Culturais e Intercâmbio Científico.

Foram inúmeras as bancas examinadoras das quais fez parte, arguindo candidatos em concursos da carreira docente em todos os níveis, de Professor Auxiliar a Professor Titular, bem como em concursos de Mestrado e Doutorado, tanto na UFPE quanto em diversas outras universidades brasileiras.

Em sua formação científica e cultural, foram relevantes as experiências adquiridas nos Cursos de Aperfeiçoamento feitos no Brasil e no Estrangeiro, especialmente o Curso de Gastroenterologia do famoso Professor Henry L. Bockus, na Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia; os de Patologia Digestiva na Faculdade de Medicina da Universidade de Paris e o Estágio Clínico no Serviço do Professor Antonio Laporte no Hospital Claude Bernard de Paris, para doentes contagiosos.

No Brasil fez aperfeiçoamento em Parasitologia, Tisiologia, Radiologia, Endocrinologia, Cardiologia, Psicologia Médica, Nutrição, Doenças do Aparelho Digestivo, entre outros, tanto em Recife, como em São Paulo e Rio de Janeiro.

Teve intensa participação em instituições científicas nacionais e estrangeiras, perfazendo o total de 52 Associações. Foi Vice-presidente da Academia Pernambucana de Medicina e do Instituto Pernambucano de História da Medicina e Ciências Afins, e consultor da Louisiana State University (EUA).

Ruy Marques contribuiu para o desenvolvimento e avanço da medicina pernambucana, tendo como base seus estudos e pesquisas, tendo grande destaque nacional e internacional.

Publicou, entre outros livros, “Lições de Vida e Outras Lições”; “Romance em Preto e Branco”; “Elogio da Doença e Outros Elogios”; “Casa-Grande & Senzala, Gilberto Freyre e a Medicina”; “Saúde e Nordeste”; “Medicina Tropical”; “Algumas Epidemias e seus Heróis em Terras Pernambucanas”.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Esquistossomose Mansônica Urbana: alguns Aspectos Epidemiológicos e Clínicos”.

Faleceu em 12 de junho de 1993.

Umberto Perrotta

Nasceu em 22 de março de 1924, em Paola (Itália).

Filho de Antonio Horácio Perrotta e Divina Vilardi.

Graduou-se em medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (1947), hoje Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Seu curriculum é extenso e rico, sobressaindo os aspectos de atividades docentes e universitárias. Nesse setor sua vida se desenvolveu na faculdade Nacional de Medicina da UFRJ, onde galgou todas as etapas da vida universitária, desde o vestibular até a posição máxima de professor Titular de Clínica Cirúrgica, que passou a exercer em 1981. Na grande listagem de posições conquistadas, destacam-se duas livres docências em Clínica Cirúrgica e intensa atividade didática em nível de pós-graduação, sobretudo de cursos de mestrados e doutorado em Cirurgia.

Vale ressaltar seu papel de orientador de 12 teses de mestrado e 6 de doutorado, estas todas de caráter experimental e a coordenação de curso de Pós-graduação em Geral, que diplomou cerca de 92 alunos.

Ministrou 155 cursos. Participou como membro de bancas examinadoras 160 vezes, contando-se todos os níveis de avaliação universitária.

As publicações encontradas no curriculum compreendem duas teses de livre-docência, respectivamente sobre úlcera perfurada e traumatismo intestinais, um capítulo de livro e 81 artigos publicados no Brasil de forma integral ou resumida. Ainda, 12 artigos de divulgação científica, publicados em imprensa leiga.

A participação em congressos e jornadas é extensa e contínua, com muitas apresentações em solo ou em colaboração. Igualmente a citação de mesas-redondas e simpósios é longa e pertinente ao interesse cientifico. Contam-se ainda 43 conferências e palestras proferidas em vários ambientes médicos do país.

A par das atividades universitárias, desenvolveu sua atividade cirúrgica na Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, ocupando posições técnico-administrativas importantes no Hospital Rocha Farias, no Moncorvo Filho e no Getúlio Vargas.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Doença Diverticular do Intestino Delgado”.

Foi dos Acadêmicos que frequentou mais assiduamente as sessões da Academia Nacional de Medicina, sempre se manifestando em plenária. Na última Sessão Plenária da Academia Nacional de Medicina, de 27 de outubro, exerceu ainda o direito a voto por correspondência, tendo votada nas 3 cadeiras do pleito.

Faleceu em 1º de novembro de 2016 e, honrando a tradição da instituição, foi velado no Salão Nobre da Academia Nacional de Medicina, em cerimônia que reuniu familiares, Acadêmicos, amigos, funcionários, alunos e discípulos, dentre tantos outros que prestaram uma última homenagem ao ilustre cirurgião.

Fúlvio José Carlos Pileggi

Nasceu em 13 de julho de 1927, em São Carlos (SP).

Filho de Nicolino Pileggi e Gelsomina Facchina.

Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) em 1952. Realizou, entre 1955 e 1957, estágio no Instituto Nacional de Cardiologia do México, à época, importante centro da cardiologia mundial. Lá, começou como médico interno, tornando-se, mais tarde, responsável por todo o curso de Cardiologia e Nefrologia.

De volta ao Brasil, começou a trabalhar na FMUSP como Médico Assistente. No período de 1964 a 1977, ocupou as funções de Professor Assistente, Chefe da unidade de Cardiopatias Adquiridas, sub-coordenador da unidade de ensino de Cardiologia do Departamento de Clínica Médica e supervisor do curso de especialização em Cardiologia. No Hospital das Clínicas da FMUSP, foi Chefe da Seção de Vetocardiografia e consultor de Cardiologia da primeira Clínica Cirúrgica (Prof. E.J. Zerbini). De 1986 a 1997, exerceu o cargo de Chefe do Departamento de Cardiopneumologia da Faculdade, na qual também deu aulas como professor titular da disciplina de Cardiologia.

Integrou a comissão de planejamento do Instituto do Coração da FMUSP (Incor), no período de 1968 a 1978 e teve papel decisivo na sua implantação. O Incor hoje é considerado centro de excelência na pesquisa, diagnóstico e tratamento de doenças do coração. Na década de 90, foi responsável pelo curso de especialização em Cardiologia do instituto. Foi seu diretor-geral de 1981 a 1997 e também presidiu seu conselho diretor.

Nos cinquenta anos de exercício da medicina, o cardiologista publicou mais de 500 artigos em revistas científicas nacionais e de 200 nas publicações estrangeiras. Ao longo de sua carreira, foi homenageado com dezenas de condecorações e prêmios, dos quais destacam-se as três vezes que ganhou o Prêmio Ovídio Pires de Campos (1964, 67 e 72), a Medalha Carlos Chagas (1986), o Prêmio Nacional de Cirurgia Cardíaca (1987) e o Prêmio Dr. Hélio Magalhães (1992).

É membro de diversas instituições, como as Sociedades Brasileira de Cardiologia, Mexicana de Cardiologia, de Médicos Internos e Becários do Instituto Nacional de Cardiologia do México, Brasileira de Nefrologia, Peruana de Cardiologia, de Cardiologia de Tucuman (membro estrangeiro) e de Cardiologia do Noroeste Argentino (membro honorário). Faz parte também da New York Academy of Sciences, do Comitê Internacional de Eletrocardiografia, do American College of Cardiology, da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (sócio fundador) e da Interamerican Medical and Health Association.

Foi agraciado com a Grã-cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Experiência Clínica com Estreptoquinase e Procedimentos Sequenciais para o Tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio”.

Carlos Américo de Barros e Vasconcellos Giesta

Nasceu em 13 de abril de 1937, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Carlos Barbosa Giesta Filho e Alba de Barros e Vasconcellos Giesta.

Graduou-se em Medicina 1961, na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (atual UFRJ). Em 1965 obteve o Título de Especialização em Ortopedia na Northwestern University, Chicago, defedendo a tese: “High Displacement Primary Osteotomy of the Hip for Displaced Intracapsular Subcapsular Vertical Fractures of the Neck of the Femur”. Recebeu o Título de Doutor em Medicina, pela UFRJ, em 1971, defendendo a Tese “Condroma Fibromixóide: Caracterização do Comportamento Biológico”. Conquistou, em 1972, após Concurso de Títulos e Provas, a Livre Docência pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nomeado Professor Titular de Ortopedia do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, em 1977, após vencer Concurso Público de Títulos e Provas. Na ocasião defendeu a Tese: “Picnodisostose: Determinação do Padrão Histopatológico”. 

Participou de Cursos Educação Continuada em: Toronto, Canadá (1965); Wigan, Inglaterra (1972); Edinburgh, Escócia (1972); Miami, Flórida (1974); Basel, Suiça (1981) e Goteborg (1981). 

Exerceu a Chefia do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Municipal Miguel Couto (1972-1976).

Organizador e 1º Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Universitário Gaffrèe e Guinle de 1977 a 2007. Coordenador do curso de Pós-graduação em Ortopedia da UFRJ (1979-1987). Entre 1989 e 1997, foi Chefe do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Membro do Conselho Universitário da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1986-1997).

Pertence a diversas sociedades científicas, entre as quais: Sociedade Brasileira de Ortopedia; American Academy of Orthopaedic Surgeons; Association for the Study of Internal Fixation; Sociedade Chilena, Argentina e Italiana de Ortopedia; Colégio Anatômico Brasileiro e Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Autor das monografias: “Condroma Fibromixóide – caracterização do comportamento biológico”; “Picnodisostose – determinação do padrão histopatológico”; “A Patelectomia nas Fraturas Articulares da Rótula”; “Estenose do Canal Vertebral Lombar”. Publicou 32 trabalhos científicos sobre Ortopedia e Traumatologia em Revistas Nacionais e Internacionais. 

Como Editor Chefe da Revista Brasileira de Ortopedia (1997-2008) a reestruturou e a indexou no SciELO e participou das tratativas que levaram a inclusão da Revista na base PubMed. 

Desde 1988, é Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, onde foi Orador Oficial da Academia Nacional de Medicina no biênio 1999-2001 e Presidente da Secção de Cirurgia entre 2001 e 2003. 

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Contribuição ao Estudo da Estenose do Canal Lombar”.

Currículo Lattes

Discurso de Posse

Sérgio Augusto Pereira Novis

Nasceu em 16 de maio de 1940, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Aloysio Augusto Novis e Francisca de Freitas Pereira Novis.

É bisneto de Manoel Vitorino Pereira, patrono da Cadeira nº 19. Seu pai e seu avô paterno – Dr. Aristides Novis -, foram Membros Honorários desta casa.

Graduou-se em Medicina em 1963, pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Especializou-se em Neurologia na Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) em 1964.

Livre Docente Doutor da Faculdade de Medicina da UFRJ, em 1971, e Professor Emérito da UFRJ, em 2011. Professor Titular de Neurologia da Escola de Medicina Souza Marques e da PUC. Exerce a função de neurologista clínico; atende na Clínica São Vicente no Rio de Janeiro e em consultório particular. Pesquisa sobre acidentes vasculares encefálicos, esclerose múltipla e neuro-aids.

Em 2008, seus ex-alunos e discípulos fundaram a Associação dos Discípulos do Professor Sergio Novis. Em 2012, nas comemorações dos 50 anos da Academia Brasileira de Neurologia, recebeu o Troféu Coruja de Ouro, outorgado a neurologista brasileiro que tenha contribuído significativamente para o desenvolvimento da Neurologia brasileira. Nesta Academia, é Membro Titular, também tendo atuado como Presidente entre os anos de 1989 e 1990. Membro Titular da American Academy of Neurology e da Societé Française de Neurologie. Membro do corpo editorial de diversas publicações científicas, incluindo a Archives of Neurology (Chicago) e a Revista Brasileira de Neurologia.

Membro Fundador da Sociedade Brasileira de História da Medicina – Capítulo do Rio de Janeiro (2007); Eleito Presidente da Secção de Medicina da Academia Nacional de Medicina (2015-2017).

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, ocupando Cadeira No. 2 da Secção de Medicina, cujo patrono é Miguel da Silva Pereira, em 1987. Foi eleito para a vaga após o falecimento de Milton Fontes Magarão (Sergipe, 8 de março de 1903 – Rio de Janeiro, 15 de março de 1986), que foi um médico tisiologista e bacteriologista brasileiro. Tornou-se Membro Emérito em 2016, sob a presidência do Acad. Francisco José Barcellos Sampaio.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Mielinólise Pontina Central (Síndrome de ADAMS- Victor-Mancal)”.

Currículo Lattes

Hélcio Alvarenga

Nasceu em 1º de março de 1927, na Cidade de Recreio, Minas Gerais.

Filho de Ercilio Manoel Alvarenga e Fidelina Fonseca Alvarenga.

Graduou-se em Medicina pela antiga Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ) em 1951. Iniciou suas atividades profissionais em Medicina Interna na 18ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia do rio de Janeiro, no Serviço do Professor Deolindo Couto. A convite do mestre, começou a trabalhar no Instituto de Neurologia.

Especializou-se em Neurologia Clínica no Hôpital de la Salpêtriere, França (1966) e concluiu Doutorado em Medicina pela UFRJ, em 1974. Atuou principalmente nos seguintes temas: neurologia, demência, esclerose múltipla, Parkinson e neuro óptico mielite.

Professor Titular Emérito de Neurologia da Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e foi Professor Titular de Neurologia da UFRJ por 35 anos (1961-1995), no Instituto de Neurologia Deolindo Couto, onde foi por 10 anos diretor da Instituição. Exerceu também com proficiência atividades de Pós-graduação na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), no Instituto de Neurologia Deolindo Couto (UFRJ), no Instituo de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas e também na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), onde implantou a Disciplina de Neurologia e a especialização em Neurologia, tendo sido o primeiro curso de Pós-graduação Stricto-Sensu da Escola de Medicina e Cirurgia, a quarta escola médica mais antiga do Brasil. Sua última atuação foi como Professor Permanente da Pós-Graduação dessa Universidade.

Chefe do Ambulatório do antigo IAPB, designado por Felício Falci e, posteriormente, do Serviço de Neurologia do Hospital da Lagoa, designado pelo Diretor Nilo Timóteo da Costa.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Miastenia Gravis, Aspectos Clínicos, Etiopatogênicos e Terapêuticos”.

Faleceu em 29 de agosto de 2015.

Pedro Aquino Noleto

Nasceu em 2 de agosto de 1918, em Carolina (MA).

Filho de Antônio de Aquino Noleto e Rosenda Alves da Silva Noleto.

Ingressou na faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil em 1945, graduando-se em 1950. Fez, durante o curso médico, 8 estágios de aperfeiçoamento.

Constam de sua formação pós-graduada 7 cursos de Extensão Universitária, concursos à Livre Docência de Clínica Médica da Escola de Medicina e Cirurgia e da Faculdade de Ciências Médicas, concursos de habilitação para Médico do IPASE e do antigo IAPC. Foi Professor de Ciências Naturais, por concurso, do Instituto de Resseguros do Brasil e do Colégio Pedro II.

Foi autor de 34 publicações originais, de 33 apresentações a congressos, das quais 15 como co-autor. Publicou três teses, duas para Livres Docências e uma para Professor Titular. São de sua autoria 5 capítulos de livros médicos.

Participou, na qualidade de relator, co-relator, Simposiasta, Coordenador ou conferencista, de 105 reuniões técnico-científicas e ministrou 12 cursos.

Exerceu o cargo de Professor Titular da Disciplina de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Ciências Médicas de Nova Iguaçu e da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio Janeiro (UERJ).

Participou de 18 Comissões Examinadoras, das quais duas em para Professor Titular, uma Docência, 4 para Mestrado, uma para Auxiliar de Ensino e duas para Médico da Previdência Social. Foi membro de 5 Sociedades Médicas.

Homenageado pelos doutorandos da Faculdade de Ciências Médicas (UERJ) nos anos de 1963, 1966 e 1967; foi Paraninfo na Faculdade de Enfermagem da UERJ em 1971.

Agraciado, em 1974, com a medalha de mérito “Professor Clementino Fraga” pelo Governado do Estado do Rio de Janeiro e, em 1979, com medalha de honra por serviços prestados à comunidade por sua cidade natal. Em 1982, foi-lhe conferido “Diploma de Mérito” pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Estrongiloidíase Disseminada”.

Faleceu em 10 de abril de 2008.

Luiz Beethoven Dantas do Amaral

Nasceu em 25 de maio de 1929, em Barra Mansa, Rio de Janeiro.

Filho de João José de Souza Amaral e Jardelina Dantas do Amaral.

Graduou-se em 1953 pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, atual UFRJ. Ainda como estudante, iniciou suas atividades no terreno da Obstetrícia, sendo aprovado no concurso para 1º Interno da Maternidade Clara Basbaum, dirigida pelo professor Francisco Carlos Grelle, com monografia intitulada: “Aspectos Hematológicos do Estado Puerperal”.

Frequentou ainda como estudante o Serviço do Professor Arnaldo de Moraes, iniciando ao mesmo tempo treinamento em Medicina e Cirurgia de urgência, quando foi admitido como Interno por concurso do Pronto Socorro da Prefeitura do Antigo Distrito Federal e o Serviço de Cirurgia do Antigo Instituto de Pensões e Aposentadoria dos Industriários (IAPI), onde mais tarde iria exercer como médico o cargo de Cirurgião Geral do Serviço.

Foi chefe de Equipe nos períodos de 1954 a 1970, exercendo durante quatro anos o cargo de Vice-Diretor da Maternidade.

Em 1956, foi aprovado no concurso público de Títulos e Provas para Médico Efetivo do Hospital dos Servidores do Estado, na especialidade de Obstetrícia, galgando, em 30 anos de atividades como médico obstetra daquele hospital, todas as funções. Exerceu a chefia do “Serviço de Obstetrícia de Alto Risco”, e o cargo de Coordenador de Ensino do Setor de Obstetrícia.

Chefiou ainda o Serviço de Obstetrícia do Hospital São João Batista da Prefeitura Municipal de Volta Redonda de 1972 a1976, e a Maternidade Alexandre Fleming de 1970 a 1981.

Exerceu intensa atividade profissional e científica, o que pode ser verificado pelas funções atestadas como Consultor Científico do Serviço de Obstetrícia da Companhia Siderúrgica Nacional; Membro do conselho Superior de Medicina e cirurgia; Vice-Presidente de quatro Encontros Estaduais de Ginecologia e Obstetrícia; Presidente da Comissão Executiva do VIII e IX Encontros Estaduais de Ginecologia e Obstetrícia; Presidente da Comissão do 1º Encontro Nacional do Estudo da Mortalidade Materna e Presidente da Comissão de Mortalidade Materna da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.

Foi eleito ainda Presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado do Rio de Janeiro, cargo que ocupou no triênio 1983 a 1985.

A carreira Universitária, no entanto, sempre foi uma das metas do professor Luiz Beethoven do Amaral, obtendo, em 1963, o Título de Livre Docente de Clínica Obstétrica da Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil (atual UFRJ) e, posteriormente, a Cátedra de Obstetrícia da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (atual UNIRIO), onde ocupou também a função de Professor Titular.

Na UNIRIO, desempenhou ainda os cargos de Chefe do Serviço de Obstetrícia do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle; Sub-Chefe do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada; Representante dos Professores Titulares junto ao Conselho ao Universitário e Membro da Comissão de Internato do Curso de Medicina.

Ocupou ainda os seguintes cargos Universitários: Professor efetivo na Especialidade de Obstetrícia da Escola de Pós-graduação Médica Carlos Chagas; Professor Titular de Obstetrícia do Desenvolvimento Materno Infantil da Faculdade de Ciências Médicas de Nova Iguaçu; Professor Titular da Disciplina de Obstetrícia da Escola de Ciências Médica de Volta Redonda (até 1977).

Ministrou, coordenou e organizou 102 cursos e foi Professor Colaborador em mais 72. Participou de 66 conclaves científicos, entre Congressos e Jornadas, nos quais apresentou 37 trabalhos.

Proferiu centos e sessenta e seis palestras, conferências e aulas, e, participou de cento e duas mesas redondas, fóruns, discussões informais e colóquios. Participou de 104 bancas examinadoras de Internato, Médico, Mestrado, Doutorado, Livre Docência e Professor Titular.

Foi Membro de 15 Sociedades Médicas, das quais duas internacionais. Foi também colaborador do corpo de editorial de oito revistas Médicas, chegando a publicar um livro-texto de Obstetrícia; 45 trabalhos científicos, e uma memória de admissão para a Academia Nacional de Medicina.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Cirurgia de Insuficiência Istmocervical na Gravidez: Estudo Comparativo de Duas Técnicas”.

Faleceu em 14 de maio de 1990.

Osmar Teixeira Costa

Nasceu em 10 de junho de 1920, em Uberlândia (MG).

Filho de Antônio Gomes da Costa e Amélia Teixeira Costa. 

Graduou-se pela então Faculdade Nacional de Medicina do Brasil, em 1946. No decorrer do curso médico trabalhou na Policlínica de Copacabana, no Serviço do Professor Jorge de Gouvêa e no Serviço de Professor Otávio Rodrigues Lima, onde foi Interno por concurso de provas. foi também Interno na antiga Prefeitura do Distrito Federal.

Especializou-se em Ginecologia no Serviço do Professor Fernando Arenas, de Buenos Aires.

Frequentou mais de 60 cursos no Hospital dos Servidores do Estado e no Hospital Gaffrée Guinle. Após concurso de Títulos e Provas, exerceu as funções de Médico da Prefeitura do Distrito Federal e do Hospital dos Servidores do Estado. No Hospital dos Servidores do Estado tornou-se o substituto eventual do chefe da Clínica Ginecológica.

Em 1952, tornou-se chefe do Ambulatório de Esterilidade do Hospital dos Servidores do Estado. Em 1953, foi nomeado obstetra do IAPI, passando mais tarde a Chefe de Clínica do Professor Horta Barbosa.

Foi Chefe do Hospital de Clínicas do Hospital Gaffrée-Guinle no ano de 1970.

Realizou inúmeros concursos e dedicou-se com afinco às atividades do Magistério. Em 1947, exerceu a função de Assistente Voluntário da Disciplina de Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFRJ.

Em ritmo ascensional atingiu o ápice da carreira conquistando, por concurso, o título de Professor Titular da Disciplina de Ginecologia da Escola de Medicina e Cirurgia (UniRio) em 1971. Em 1984, passou a Chefe do Departamento de Cirurgia Geral e Especialização na mesma Universidade.

Exerceu também o magistério na qualidade de Professor Titular de Ginecologia na Escola de Medicina da Fundação Técnico Educacional Souza Marques a partir de 1969. Em decorrência destes cargos, foi vultosa sua participação como integrante de Bancas Examinadoras de Concursos vários, tais como: Médicos, Assistentes, Adjuntos e Titulares. É apreciável sua atividade como organizador de Cursos oficiais e particulares, que resultou em mais de 200 palestras proferidas em 50 cursos.

Publicou 68 trabalhos de assuntos toco-ginecológicos e 3 testes para Concurso. Vários trabalhos são de pesquisas na área ginecológica.

Ornam seu currículo distinções como: Cidadão do Estado do Rio de Janeiro em 1954, Diploma de Relevantes Serviços Prestados ao H.S.E., Presidente do Clube dos Médicos, Medalha da Inconfidência (1973), Presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia (biênio 81/83).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Histeroplastias – Contribuição Pessoal e Resultados”.

Faleceu em 12 de junho de 2002.

Carlos Antonio Barbosa Montenegro

Carlos Antônio Barbosa Montenegro nasceu no Rio de Janeiro em 11 de outubro de 1941.

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1966) e Livre-Docência em Obstétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1971) e pela Universidade Federal Fluminense (1976).

Foi Professor Titular de Obstetrícia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982-2003), após concurso de provas e títulos. Introduziu o estudo da ultra-sonografia e da dopplerfluxometria aplicadas à Obstetrícia no Brasil.

Publicou inúmeros artigos e capítulos de livros, sendo autor do primeiro livro nacional sobre ultra-sonografia em obstetrícia e co-autor de “Obstetrícia Fundamental”.

Faleceu em 30 de agosto de 2018.

PRÊMIOS E TÍTULOS

Curriculo Lattes

Eustáchio Portella Nunes Filho

Nasceu em 10 de junho de 1929, Valença do Piauí (PI).

Filho de Eustáchio Portella Nunes e Maria de Deus Nunes

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1953. Livre-docente em 1958 pela mesma Universidade, onde tornou-se Professor Emérito.

Fez Residência médica na Universidade Federal do Rio de Janeiro (1951 e 1954) e no Sanatório Santa Helena (1953). Realizou aperfeiçoamento em Neuro-Psiquiatria Infantil pela Universidade de Lisboa (1954).

Em 1954 foi contratado como Auxiliar de Ensino do Instituto de Psiquiatria, iniciando a carreira no magistério.

Concluiu especialização em Psicanálise pela Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro (1965) e especialização em Psiquiatria pelo Associação Brasileira de Psicanálise (1970).

Na Faculdade de Medicina da Universidade Gama Filho, que ajudou a criar, foi Professor Titular de Psicologia Médica entre 1964 e 1968.

Indicado executor de um convênio entre o Instituto de Psiquiatria e o Hospital Pinel, desenvolveu neste hospital um movimento de renovação da assistência psiquiátrica, com grande afluência de médicos e estudantes de Medicina.

Em 1976, galgou o título de Professor Titular de Clínica Psiquiátrica e Saúde Mental da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com tese intitulada “Obsessão e Delírio: Neurose e Psicose”.

Na Faculdade de Ciências Médicas (UERJ), foi Professor Titular Interino de Psiquiatria, Psicologia e Psicopatologia, tendo ministrado os respectivos cursos durante os anos de 1972, 1973 e 1974. Foi Chefe do Serviço do Hospital das Clínicas Pedro Ernesto, marcando um período de grande desenvolvimento das atividades de ensino na graduação e na especialização.

Foi designado Coordenador Regente do Curso de Psicologia Médica (pós-graduação Stricto-sensu). Com o afastamento do Titular, o também Acadêmico José de Leme Lopes, assumiu a regência de Clínica Psiquiátrica e Terapêutica dos Cursos de Mestrado e Doutorado. Foi, em 1974, nomeado pelo Reitor Professor Hélio Fraga, Diretor do Instituto de Psiquiatria.

Fora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ministrou o curso de Psicologia Preventiva no Mestrado de Psicologia Clínica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Espaço, Tempo e Transformação em Medicina”.

Faleceu em 6 de outubro de 2020 na cidade do Rio de Janeiro.

Currículo Lattes

Lea Ferreira Camillo-Coura

Nasceu em 25 de junho no Rio de Janeiro, (RJ).

Filha de Benedicto Barbosa Camillo e Universina Ferreira Barbosa Camillo.

Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1957 como 1ª colocada em sua turma.

Em 1963 foi contemplada com uma bolsa de estudos pela Fundação da Casa do Brasil na Grã-Bretanha, para realizar estudos de pós-graduação em nível de mestrado na “The London School of Hygiene and Tropical Medicine”, Universidade de Londres.

De 1964 a 1971, desenvolveu suas atividades na Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias. Em novembro de 1971, realizou concurso de Livre Docência, obtendo o título de Doutor e Docente Livre em Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Cumprindo os requisitos legais, foi promovida, por concurso de títulos, a Professora-Adjunta.

Foi convidada pela OMS para participar de Simpósios sobre “Parasitoses Intestinais”, realizados em diversos países, sendo consultora temporária da OMS. Consultora “ad hoc” do Ministério da Saúde para assuntos relacionados a Parasitoses Intestinais e do Serviço de Clínica Oftalmológica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Professora responsável pela Disciplina de Epidemiologia (1973). Coordenadora Didática do Departamento de Medicina Preventiva junto à Diretoria da Faculdade de Medicina (1974-1978).

Professora Titular da Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Escola Médica da Fundação Técnico Educacional Souza Marques (1975-1988). Chefe do Serviço de Ação Comunitária do Hospital Universitário da UFRJ (1977-1982).

Professora Titular do Curso de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas e Parasitárias do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas (1980-1987). Professora Titular da Faculdade de Medicina da UFRJ e Professora do Curso de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas e Parasitárias. Diretora Adjunta para o Ensino de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina da UFRJ (1982). Criou, em 1982, o POPPE, Programa de Orientação Psico-Pedagógica Profissional.

Chefe do Departamento de Medicina Tropical do Instituto de Manguinhos, FIOCRUZ (1981-1982).

Foi a primeira mulher a ser indicada Membro Honorário da Academia Brasileira de Medicina Militar, passando posteriormente a Membro Titular e Emérita. Fundadora da Academia de Medicina do Rio de Janeiro e da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical.

Membro da Comissão de Ética da FIOCRUZ (1990) e orientadora de alunos de mestrado e doutorado do Departamento de Medicina Tropical da FIOCRUZ e dos Cursos de Saúde Pública da ENSP (FIOCRUZ).

Entre as distinções recebidas destacam-se o título de Pesquisadora Emérita do CNPq (2005); o prêmio Gerhard Domagk (1970); Medalha de Mérito Naval (Tamandaré), Mérito Santos Dumont (1982) e Medalha do Pacificador (1985) e Cidadã Honorário do Município do Rio de Janeiro. Eleita Mulher do Ano (Medicina) pelo Conselho Nacional das Mulheres do Brasil em 1991. Recebeu da FIOCRUZ a medalha Hortência Hurpia de Hollanda pelos trabalhos realizados em prol da educação. Recebeu da Presidência da República, o Grau de Comendador da Ordem do Mérito Científico do Brasil.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Ascaridíase. Importância em saúde pública, dinâmica da transmissão e perspectivas de controle”.

Currículo Lattes

José Maria Pinto Barcellos

Nasceu em 20 de setembro de 1931, em Campos, Rio de Janeiro.

Filho de Roldão Alves Barcellos e Maria José Pinto de Souza Barcellos.

Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil em 13 de janeiro de 1956. Especializou-se em Patologia e atuou em Sergipe durante pouco tempo. Na década de 60, trabalhou no Instituto Anatômico, sob a direção do Prof. Dr. Amadeu Fialho, tendo como colegas os Drs. Leon Cardeman e Domingos de Paola.

Também nessa década, trabalhou no Hospital das Pioneiras Sociais, onde se tornou Chefe do Serviço de Anatomia Patológica e Citopatologia e Diretor da Escola de Citopatologia do Centro de Pesquisa Luiza Gomes de Lemos. Trabalhou com o Dr. Leon Cardeman nos Serviços dos Drs. Ayre e Nieburgs, onde receberam os ensinamentos para a organização dos Cursos de Citopatologistas e de Citotécnicos, que implantaram com esforço e competência.

Assessorou o Prof. Francisco Victor Rodrigues na sua tese para concorrer à Cátedra de Ginecologia da Universidade do Brasil e trabalhou no Departamento de Anatomia Patológica e Citopatologia do Instituto de Ginecologia da UFRJ. Conseguiu Bolsa de Estudos em Citopatologia na Espanha, onde permaneceu durante 1 ano.

Ao voltar da Espanha, passou a chefiar o Laboratório de Anatomia Patológica e Citopatologia do Serviço de Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, dirigido pelo Professor de Obstetrícia da UFRJ, o Professor Jorge de Rezende, de quem recebeu grande apoio.

Trabalhou, como Professor Assistente e posteriormente Adjunto, juntamente com os médicos Leon Cardeman e Onofre de Castro, na Disciplina de Anatomia Patológica, sob a direção do Professor Francisco Fialho.

Na década de 70, foi eleito Presidente da Sociedade Brasileira de Citologia, mudando seu nome para Sociedade Brasileira de Citopatologia e, com ajuda de alguns colegas da UniRio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), conseguiu criar uma disciplina autônoma de Citopatologia nessa Universidade, a única deste tipo em todas as universidades brasileiras.

No final da década de 70, fez concurso para Professor Titular de Citopatologia, tendo sido aceito também para a Cátedra de Patologia Geral, tomando posse em cerimônia solene na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), no mesmo dia.

Publicou mais de 100 trabalhos científicos, no Brasil e no exterior, recebendo inúmeros prêmios honoríficos por trabalhos realizados.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Bases Morfológicas da Citologia da Pele. Perspectivas Semióticas”.

Faleceu em 20 de janeiro de 1998 e é um exemplo para todos os Citopatologistas.