Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Jarbas Sertório de Carvalho

Nasceu em 14 de abril de 1887, em Rio Casca, no Estado de Minas Gerais. Filho de Francisco Vieira Souza de Carvalho e D. Laura Vieira Souza de Carvalho.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1912, defendendo a tese “As hemorroidas e o seu tratamento cirúrgico”.

Ao longo de sua carreira médica esteve à frente de cargos como interno do Hospital Central da Marinha (1909-1910), interno e médico adjunto do Hospital da Beneficência Portuguesa (1910-1914), Delegado de Higiene Pública do Município de Ponte Nova (1919-1923), trabalhou como assistente voluntário das Clínicas do Dr. Rollier de Leysin (1921-1922), dentre outros.

Eleito em 1927 Membro Titular na Secção de Cirurgia da Academia Nacional de Medicina com a memória intitulada “Tuberculoses cirúrgicas e helioterapia”. Em sua cerimônia de posse, sob a presidência de Miguel de Oliveira Couto, foi saudado pelo Olympio da Fonseca. Tornou-se Membro Emérito em 1958. Também foi membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, membro efetivo do Instituto Genealógico Brasileiro, e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais.

Durante sua trajetória escreveu grandes trabalhos na área médica e na história como “Sanatórios e Tuberculose” (1925), “Sobre a assistência hospitalar gratuita no interior brasileiro” (1929), “Aspectos da indústria açucareira no município de Ponte Nova” (1954), “O homicídio do desembargador Cláudio Manoel da Costa” (1954-1956), “Brazão de armas da cidade e do município de Ponte Nova” (1960), dentre outros.

Em 1967 foi homenageado tendo seu nome em um logradouro público, Rua Dr. Jarbas Sertório de Carvalho, no município de Ponte Nova, Estado de Minas Gerais.

Faleceu em 11 de fevereiro de 1965, em Ponte Nova no Estado de Minas Gerais.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 313

Cadeira: 21 - Fernando Ferreira Vaz

Membro: Emérito

Secção: Cirurgia

Eleição: 29/12/1927

Posse: 31/05/1928

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Olympio Arthur Ribeiro da Fonseca

Emerência: 14/08/1958

Antecessor: Augusto Hygino de Miranda

Falecimento: 11/02/1965

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 313

Cadeira: 21 - Fernando Ferreira Vaz

Membro: Emérito

Secção: Cirurgia

Eleição: 29/12/1927

Posse: 31/05/1928

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Olympio Arthur Ribeiro da Fonseca

Emerência: 14/08/1958

Antecessor: Augusto Hygino de Miranda

Falecimento: 11/02/1965

Nasceu em 14 de abril de 1887, em Rio Casca, no Estado de Minas Gerais. Filho de Francisco Vieira Souza de Carvalho e D. Laura Vieira Souza de Carvalho.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1912, defendendo a tese “As hemorroidas e o seu tratamento cirúrgico”.

Ao longo de sua carreira médica esteve à frente de cargos como interno do Hospital Central da Marinha (1909-1910), interno e médico adjunto do Hospital da Beneficência Portuguesa (1910-1914), Delegado de Higiene Pública do Município de Ponte Nova (1919-1923), trabalhou como assistente voluntário das Clínicas do Dr. Rollier de Leysin (1921-1922), dentre outros.

Eleito em 1927 Membro Titular na Secção de Cirurgia da Academia Nacional de Medicina com a memória intitulada “Tuberculoses cirúrgicas e helioterapia”. Em sua cerimônia de posse, sob a presidência de Miguel de Oliveira Couto, foi saudado pelo Olympio da Fonseca. Tornou-se Membro Emérito em 1958. Também foi membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, membro efetivo do Instituto Genealógico Brasileiro, e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais.

Durante sua trajetória escreveu grandes trabalhos na área médica e na história como “Sanatórios e Tuberculose” (1925), “Sobre a assistência hospitalar gratuita no interior brasileiro” (1929), “Aspectos da indústria açucareira no município de Ponte Nova” (1954), “O homicídio do desembargador Cláudio Manoel da Costa” (1954-1956), “Brazão de armas da cidade e do município de Ponte Nova” (1960), dentre outros.

Em 1967 foi homenageado tendo seu nome em um logradouro público, Rua Dr. Jarbas Sertório de Carvalho, no município de Ponte Nova, Estado de Minas Gerais.

Faleceu em 11 de fevereiro de 1965, em Ponte Nova no Estado de Minas Gerais.