Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Sebastião Capistrano Pereira

Nasceu em 29 de janeiro de 1907, na cidade de Silvestre Ferraz, Minas Gerais. Graduou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (UFRJ) em 1930.

Livre Docente de Otorrinolaringologia por concurso na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil em 1935; chefe interino do Serviço de Otorrinolaringologia no Hospital São João Batista, Niteroi de 1936 a 1938, sendo efetivado em 1939. Livre Docente da Faculdade Fluminense de Medicina por Provas e Títulos, em 1935.

Foi um Professor ativo e brilhante, com várias medalhas conquistadas, como a de ouro em 1930, Prêmio Miguel Pereira pela Faculdade Nacional de Medicina, com um trabalho versando sobre Contribuição ao estudo de Higiene do Trabalho com ar comprimido; Prêmio Eduardo de Moraes de Otorrinolaringologia conferido pela Academia Nacional de Medicina em 1954, Prêmio de Otorrinolaringologia conferido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia, em 1940; Prêmio de Cirurgia conferido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia, 1941.

Foi possuidor de inúmeras menções honrosas, sendo Membro Titular do Colegio Brasileiro de Cirurgiões; Fellow do American College of Sourgeons eleito em 1948. Participou também de inúmeras Bancas examinadoras para titulagem de professores e médicos pelo Brasil afora. Fez inúmeras conferências e várias pesquisas, e idealizou novas técnicas de tratamento da Dacriocistite, denominando-a de Dacriocistossinusostomia.

Publicou uma série de trabalhos, sendo o principal um Tratado de Otorrinolaringologia com 1228 páginas e 1146 ilustrações, em 1948. Publicou também 3 volumes chamados Elementos de Otorrinolaringologia, em 1938, 1940 e 1947. Publicou o trabalho: Escleroma contribuição ao seu estudo Tese para concurso a vaga de Catedrático da Universidade do Brasil (atual UFRJ). Defendeu Tese, com o tema Imperfuração Coanal para professor Catedrático da Universidade Federal Fluminense na Disciplina de Otorrinolaringologia, tendo tirado 1º lugar, em 1961.

Foi Presidente da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro de 1952 a 1953 e Presidente da Federação Brasileira de Otorrinolaringologia, de 1952 a 1953, e da Secção especializada da Academia Brasileira de Medicina Militar de 1957 a 1958. Foi membro de comissões organizadoras de Clínicas de Otorrinolaringologia e Oftalmologia, além de Cursos Médicos da Faculdade Fluminense de Medicina, de 1936 a 1962. Presidente de Comissão Examinadora de Otorrinolaringologia para admissão de médicos do IAPC no Rio de Janeiro, em 1944; Vitória, em 1952; Goiânia, 1952; João Pessoa, 1952; e São Paulo, em julho e novembro de 1953, Estado da Guanabara, 1962.

Faleceu em 20 de dezembro 1962.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 425

Cadeira: 62 - Augusto Brant Paes Leme

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 07/11/1957

Posse: 28/11/1957

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Arnaldo de Moraes

Antecessor: Alcindo de Figueiredo Baena

Falecimento: 20/12/1962

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 425

Cadeira: 62 - Augusto Brant Paes Leme

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 07/11/1957

Posse: 28/11/1957

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Arnaldo de Moraes

Antecessor: Alcindo de Figueiredo Baena

Falecimento: 20/12/1962

Nasceu em 29 de janeiro de 1907, na cidade de Silvestre Ferraz, Minas Gerais. Graduou-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (UFRJ) em 1930.

Livre Docente de Otorrinolaringologia por concurso na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil em 1935; chefe interino do Serviço de Otorrinolaringologia no Hospital São João Batista, Niteroi de 1936 a 1938, sendo efetivado em 1939. Livre Docente da Faculdade Fluminense de Medicina por Provas e Títulos, em 1935.

Foi um Professor ativo e brilhante, com várias medalhas conquistadas, como a de ouro em 1930, Prêmio Miguel Pereira pela Faculdade Nacional de Medicina, com um trabalho versando sobre Contribuição ao estudo de Higiene do Trabalho com ar comprimido; Prêmio Eduardo de Moraes de Otorrinolaringologia conferido pela Academia Nacional de Medicina em 1954, Prêmio de Otorrinolaringologia conferido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia, em 1940; Prêmio de Cirurgia conferido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia, 1941.

Foi possuidor de inúmeras menções honrosas, sendo Membro Titular do Colegio Brasileiro de Cirurgiões; Fellow do American College of Sourgeons eleito em 1948. Participou também de inúmeras Bancas examinadoras para titulagem de professores e médicos pelo Brasil afora. Fez inúmeras conferências e várias pesquisas, e idealizou novas técnicas de tratamento da Dacriocistite, denominando-a de Dacriocistossinusostomia.

Publicou uma série de trabalhos, sendo o principal um Tratado de Otorrinolaringologia com 1228 páginas e 1146 ilustrações, em 1948. Publicou também 3 volumes chamados Elementos de Otorrinolaringologia, em 1938, 1940 e 1947. Publicou o trabalho: Escleroma contribuição ao seu estudo Tese para concurso a vaga de Catedrático da Universidade do Brasil (atual UFRJ). Defendeu Tese, com o tema Imperfuração Coanal para professor Catedrático da Universidade Federal Fluminense na Disciplina de Otorrinolaringologia, tendo tirado 1º lugar, em 1961.

Foi Presidente da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro de 1952 a 1953 e Presidente da Federação Brasileira de Otorrinolaringologia, de 1952 a 1953, e da Secção especializada da Academia Brasileira de Medicina Militar de 1957 a 1958. Foi membro de comissões organizadoras de Clínicas de Otorrinolaringologia e Oftalmologia, além de Cursos Médicos da Faculdade Fluminense de Medicina, de 1936 a 1962. Presidente de Comissão Examinadora de Otorrinolaringologia para admissão de médicos do IAPC no Rio de Janeiro, em 1944; Vitória, em 1952; Goiânia, 1952; João Pessoa, 1952; e São Paulo, em julho e novembro de 1953, Estado da Guanabara, 1962.

Faleceu em 20 de dezembro 1962.