Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Francisco José Teixeira da Costa

O Dr. Francisco José Teixeira da Costa nasceu em 10 de outubro de 1837, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de João José Teixeira da Costa e Catharina Maria Gutierrez da Costa.

Doutorou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1855 defendendo a tese intitulada “Da morte real e da morte aparente”.

Eleito Membro Titular a Academia Nacional de Medicina em 1862 apresentando a memória intitulada “Sobre a aplicação do processo de M. Marion Sims às fístulas vesico-vaginais”.

O relator escolhido foi o Acad. José Ribeiro de Souza Fontes que apresentou parecer favorável em 5 de dezembro de 1862. O Acadêmico Luiz Vicente De Simoni, secretário, leu o parecer na sessão desse mesmo dia e a eleição logo se processou. A aprovação do Imperador, com data de 1862, foi lida na sessão de 1863. A cerimônia de posse teve lugar em 1863, onde os Acadêmicos Pedro Autran da Matta e Albuquerque Júnior e João Jaques Anatólio Raumagé, foram convidados pelo Presidente, a conduzirem o novo titular ao recinto.

Faleceu em 15 de dezembro de 1864.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 87

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 05/12/1862

Posse: 23/03/1863

Sob a presidência: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Falecimento: 15/12/1864

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 87

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 05/12/1862

Posse: 23/03/1863

Sob a presidência: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Falecimento: 15/12/1864

O Dr. Francisco José Teixeira da Costa nasceu em 10 de outubro de 1837, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de João José Teixeira da Costa e Catharina Maria Gutierrez da Costa.

Doutorou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1855 defendendo a tese intitulada “Da morte real e da morte aparente”.

Eleito Membro Titular a Academia Nacional de Medicina em 1862 apresentando a memória intitulada “Sobre a aplicação do processo de M. Marion Sims às fístulas vesico-vaginais”.

O relator escolhido foi o Acad. José Ribeiro de Souza Fontes que apresentou parecer favorável em 5 de dezembro de 1862. O Acadêmico Luiz Vicente De Simoni, secretário, leu o parecer na sessão desse mesmo dia e a eleição logo se processou. A aprovação do Imperador, com data de 1862, foi lida na sessão de 1863. A cerimônia de posse teve lugar em 1863, onde os Acadêmicos Pedro Autran da Matta e Albuquerque Júnior e João Jaques Anatólio Raumagé, foram convidados pelo Presidente, a conduzirem o novo titular ao recinto.

Faleceu em 15 de dezembro de 1864.