Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Manoel Francisco Peixoto

Nasceu em 22 de dezembro de 1805, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Filho de Capitão Manoel Francisco Peixoto e D. Joanna Rosa Mathilde da Trindade.

Ávido de saber, ingressou na Academia Militar, única instituição que ensinava ciências naturais naquele período onde foi aprovado em Química (1827) e em Botânica Zoologia (1828).

Em 1835 fez o exame preparatório para a matrícula do curso de Farmácia da Escola de Medicina, e matriculando-se no mesmo ano, tirou as melhores notas, e conseguiu o seu título em 1837.

Já em 1835 foi nomeado Membro Titular da Secção de Farmácia da Academia Imperial de Medicina, por decreto da regência de 8 de maio, na ocasião em que a antiga Sociedade de Medicina foi elevada a Academia Imperial de Medicina. Trabalhou na secção de farmácia e nas reuniões gerais da academia por muito tempo com assiduidade.

O farmacêutico em seu discurso de pronunciamento na Academia Imperial de Medicina indagava a respeito do esvaziamento do curso farmacêutico em contraste ao curso médico. A classe dos farmacêuticos reivindicava que as faculdades deveriam ter o monopólio de concessão de diplomas como forma de restringir o exercício da farmácia aos homens da ciência de formação acadêmica.

Era membro da Sociedade de Instrumentação Elementar e Farmácia da Corte de D. Pedro II, e, membro honorário da Sociedade Pharmaceutica Luzitana. Atuou como escrivão da Irmandade Nossa Senhora da Candelária em 1850 e tornou-se tesoureiro de Recolhimento das Órfãs.

Faleceu em 1º de janeiro de 1851 no Rio de Janeiro, Brasil.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 49

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 15/10/1835

Posse: 15/10/1835

Sob a presidência: Joaquim Candido Soares de Meirelles

Falecimento: 01/01/1851

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 49

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 15/10/1835

Posse: 15/10/1835

Sob a presidência: Joaquim Candido Soares de Meirelles

Falecimento: 01/01/1851

Nasceu em 22 de dezembro de 1805, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Filho de Capitão Manoel Francisco Peixoto e D. Joanna Rosa Mathilde da Trindade.

Ávido de saber, ingressou na Academia Militar, única instituição que ensinava ciências naturais naquele período onde foi aprovado em Química (1827) e em Botânica Zoologia (1828).

Em 1835 fez o exame preparatório para a matrícula do curso de Farmácia da Escola de Medicina, e matriculando-se no mesmo ano, tirou as melhores notas, e conseguiu o seu título em 1837.

Já em 1835 foi nomeado Membro Titular da Secção de Farmácia da Academia Imperial de Medicina, por decreto da regência de 8 de maio, na ocasião em que a antiga Sociedade de Medicina foi elevada a Academia Imperial de Medicina. Trabalhou na secção de farmácia e nas reuniões gerais da academia por muito tempo com assiduidade.

O farmacêutico em seu discurso de pronunciamento na Academia Imperial de Medicina indagava a respeito do esvaziamento do curso farmacêutico em contraste ao curso médico. A classe dos farmacêuticos reivindicava que as faculdades deveriam ter o monopólio de concessão de diplomas como forma de restringir o exercício da farmácia aos homens da ciência de formação acadêmica.

Era membro da Sociedade de Instrumentação Elementar e Farmácia da Corte de D. Pedro II, e, membro honorário da Sociedade Pharmaceutica Luzitana. Atuou como escrivão da Irmandade Nossa Senhora da Candelária em 1850 e tornou-se tesoureiro de Recolhimento das Órfãs.

Faleceu em 1º de janeiro de 1851 no Rio de Janeiro, Brasil.