Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Pedro Autran da Matta e Albuquerque Junior

O Dr. Pedro Autran da Matta e Albuquerque Junior nasceu em 5 de outubro de 1829, em Recife, no Estado de Pernambuco. Filho de Pedro Autran da Matta e Albuquerque e de D. Francisca de Amorim Filgueiras Autran.

Doutorou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1854. Ainda estudante, foi cirurgião do 6º Batalhão de caçadores da Guarda Nacional na Bahia e também em Sergipe, onde clinicou.

Atuou como médico legista privativo da Polícia da Corte e serviu seu país sendo primeiro cirurgião da Armada durante a campanha contra o Paraguai. Também exerceu os cargos de Inspetor de Higiene, diretor do Internato Provincial da Estância, Inspetor Geral das Aulas na Província de Sergipe e tornou-se Deputado.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1862, apresentando a Memória intitulada “O tétano é uma perversão dos nervos do sentimento”.

Foi o 9º redator dos “Anais Brasilienses de Medicina” e redigiu “O Observador Médico e Cirúrgico”.

Devido aos serviços prestados a sua nação, recebeu o título de Cavaleiro da Ordem da Rosa e foi condecorado com a Medalha da Campanha do Paraguai.

Faleceu em 15 de novembro de 1886, aos 57 anos, na cidade do Rio de Janeiro.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 86

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 10/09/1862

Posse: 20/10/1862

Sob a presidência: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Saudado: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Falecimento: 15/11/1886

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 86

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 10/09/1862

Posse: 20/10/1862

Sob a presidência: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Saudado: Antonio Felix Martins (Barão de São Felix)

Falecimento: 15/11/1886

O Dr. Pedro Autran da Matta e Albuquerque Junior nasceu em 5 de outubro de 1829, em Recife, no Estado de Pernambuco. Filho de Pedro Autran da Matta e Albuquerque e de D. Francisca de Amorim Filgueiras Autran.

Doutorou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1854. Ainda estudante, foi cirurgião do 6º Batalhão de caçadores da Guarda Nacional na Bahia e também em Sergipe, onde clinicou.

Atuou como médico legista privativo da Polícia da Corte e serviu seu país sendo primeiro cirurgião da Armada durante a campanha contra o Paraguai. Também exerceu os cargos de Inspetor de Higiene, diretor do Internato Provincial da Estância, Inspetor Geral das Aulas na Província de Sergipe e tornou-se Deputado.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1862, apresentando a Memória intitulada “O tétano é uma perversão dos nervos do sentimento”.

Foi o 9º redator dos “Anais Brasilienses de Medicina” e redigiu “O Observador Médico e Cirúrgico”.

Devido aos serviços prestados a sua nação, recebeu o título de Cavaleiro da Ordem da Rosa e foi condecorado com a Medalha da Campanha do Paraguai.

Faleceu em 15 de novembro de 1886, aos 57 anos, na cidade do Rio de Janeiro.