Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Vicente Werneck Pereira da Silva

Nasceu em 6 de março de 1858, no município de Vassouras, no Estado do Rio de Janeiro. Filho de Manoel Vicente Pereira da Silva e de D. Firmina Leopoldina Werneck da Silva.

Graduou-se no curso de Farmácia pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, e estabeleceu-se como farmacêutico industrial com o Laboratório e Drogaria Werneck.

Foi membro de conselhos, sociedades e associações nacionais e internacionais, tais como membro fundador da Sociedade de Beneficência e Socorros Mútuos das Classes Médica e Farmacêutica do Rio de Janeiro, membro do Clube de Engenharia, membro do Instituto Politécnico Nacional e membro da Sociedade Farmacêutica Lusitana do Porto.

O Dr. Vicente Werneck é do tempo das antigas Farmácias Magistrais, que se tornaram embriões da indústria farmacêutica. No Brasil, foi pioneiro da Indústria Farmacêutica Nacional junto com farmacêuticos de renome como os irmãos João Bernardo e José Antonio Granado (Casa Granado), João Gomes Xavier (Laboratório Xavier), Francisco de Moura Brasil, famoso pelo colírio Moura Brasil, Cândido Fontoura da Silveira, fabricante do famoso Biotônico Fontoura, Luís Eduardo da Silva Araújo, fabricante do vinho reconstituinte Silva Araújo e Orlando Rangel, dentre outros.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Pela Indústria Nacional” Rio de Janeiro, 1896; “Medicina simplificada e ao alcance de todos com os preparados especiais da casa V. Werneck & Comp”, Rio de Janeiro, 1896.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1898, apresentando a memória intitulada: “Do exame da urina e seu valor semiológico”. Durante o período em que esteve na instituição exerceu o cargo de Presidente da Secção de Farmácia (1899-1900)

Recebeu a homenagem da Academia Nacional de Farmácia sendo nomeado Patrono da Cadeira número 18.

Faleceu em 3 de janeiro de 1919.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 192

Cadeira: 93 - Belisário Augusto de Oliveira Penna

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 10/11/1898

Posse: 17/11/1898

Sob a presidência: Antonio José Pereira da Silva Araújo

Saudado: Affonso Pires Ramos

Falecimento: 03/01/1919

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 192

Cadeira: 93 - Belisário Augusto de Oliveira Penna

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 10/11/1898

Posse: 17/11/1898

Sob a presidência: Antonio José Pereira da Silva Araújo

Saudado: Affonso Pires Ramos

Falecimento: 03/01/1919

Nasceu em 6 de março de 1858, no município de Vassouras, no Estado do Rio de Janeiro. Filho de Manoel Vicente Pereira da Silva e de D. Firmina Leopoldina Werneck da Silva.

Graduou-se no curso de Farmácia pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, e estabeleceu-se como farmacêutico industrial com o Laboratório e Drogaria Werneck.

Foi membro de conselhos, sociedades e associações nacionais e internacionais, tais como membro fundador da Sociedade de Beneficência e Socorros Mútuos das Classes Médica e Farmacêutica do Rio de Janeiro, membro do Clube de Engenharia, membro do Instituto Politécnico Nacional e membro da Sociedade Farmacêutica Lusitana do Porto.

O Dr. Vicente Werneck é do tempo das antigas Farmácias Magistrais, que se tornaram embriões da indústria farmacêutica. No Brasil, foi pioneiro da Indústria Farmacêutica Nacional junto com farmacêuticos de renome como os irmãos João Bernardo e José Antonio Granado (Casa Granado), João Gomes Xavier (Laboratório Xavier), Francisco de Moura Brasil, famoso pelo colírio Moura Brasil, Cândido Fontoura da Silveira, fabricante do famoso Biotônico Fontoura, Luís Eduardo da Silva Araújo, fabricante do vinho reconstituinte Silva Araújo e Orlando Rangel, dentre outros.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Pela Indústria Nacional” Rio de Janeiro, 1896; “Medicina simplificada e ao alcance de todos com os preparados especiais da casa V. Werneck & Comp”, Rio de Janeiro, 1896.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1898, apresentando a memória intitulada: “Do exame da urina e seu valor semiológico”. Durante o período em que esteve na instituição exerceu o cargo de Presidente da Secção de Farmácia (1899-1900)

Recebeu a homenagem da Academia Nacional de Farmácia sendo nomeado Patrono da Cadeira número 18.

Faleceu em 3 de janeiro de 1919.