Transmissão ao vivo
EnglishPortuguêsEspañol

ANM Francesa visita Brasil para simpósio em parceria com a Fiocruz

Na mesa: Presidente da ANM França Acad. Patrice Tran Ba Huy, Presidente da ANM Brasil Acad. Francisco Sampaio e Presidente da Fiocruz Drª. Nisia Trindade Lima

Finalizando as Sessões Científicas de 2022, a Academia Nacional de Medicina (ANM) recebeu na última sexta-feira (18) Acadêmicos da ANM Francesa em uma parceria com a Fiocruz para o simpósio 150 anos de Oswaldo Cruz e 200 anos de Louis Pasteur. O intuito foi realizar um intercâmbio de conhecimentos, abordando temas de suma importância para atualidade, como a vacinação e a pandemia de Covid-19.

A apresentação de abertura foi feita pelo Presidente da ANM brasileira, o Acad. Francisco Sampaio, sobre A Academia Nacional de Medicina: Oswaldo Cruz, Pasteur. Foi exibida a história da instituição, a sua ligação e importância para o Império, e a forte influência da Academia Francesa na sua criação. A tradição das Sessões Científicas e Ordinárias, que são ininterruptas e se mantiveram até mesmo durante a pandemia, foi outro ponto mencionado, assim como curiosidades sobre os homenageados do simpósio.

Em seguida, a Drª. Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz,apresentou o tema A Fundação Oswaldo Cruz, no qual foi explicado toda a sua história e importância para ciência e pesquisa brasileira, sem deixar de mencionar Oswaldo Cruz e os principais feitos do médico. A presidente lembra que a Fiocruz não apenas contribuições científicas nacionais, mas também internacionais, e que teve um papel fundamental durante a ditadura militar, na criação do Sistema Único de saúde (SUS), durante a década de 80 com as vacinas e mais recentemente, na pandemia do Covid-19.

Após as apresentações sobre as instituições envolvidas no evento, o Acad. Walter Zin deu continuidade ao simpósio ao ministrar a palestra Implantação da Pesquisa no Brasil: do Lar ao Lab. O Acadêmico foi responsável por aprofundar a história de Oswaldo Cruz, principalmente a fase antes da sua ida a Paris, quando tinha um laboratório em casa, e a sua relação com a fundação da Fiocruz. Além dele, outros nomes importantes da ciência foram mencionados, como Carlos Chagas, Álvaro Ozório de Almeida e Miguel Ozório de Almeida.

A primeira apresentação francesa foi feita pelo Acad. Vincent Jarlier sobre Resistência aos antibióticos: principais causas e eixos de controle (Résistance aux antibiotique: principales causes et axes de contrôle). Foi abordado o uso crescente dos antibióticos para o tratamento de doenças, o que gera um fortalecimento do remédio no corpo humano e faz com que ele não cumpra a sua missão futuramente. O Acadêmico explica que na França aconteceu uma campanha incentivando a diminuição do uso e fazendo com que as pessoas entendam a resistência da bactéria.

Acad. Christine Rouzioux em sua apresentação

Essa apresentação foi seguida pela palestra ministrada pela Acad. Christine Rouzioux, sobre o tema Das Variantes do HIV aos de SARS-CoV-2 (Des variants du HIV à ceux du SARS-CoV-2). Foi explicado sobre os tipos de infecções de ambos os vírus e o que sabemos sobre eles, principalmente sobre o HIV, que foi abordado a origem, os tipos e as combinações genéticas. Enquanto no SARS-CoV foi abordado a sua origem do morcego, com fragmentos presentes em todas as cepas, e as infecções em animais. Acredita-se na tendência de mais variantes com o passar do tempo, já que ainda se sabe muito pouco sobre ele.

Após um breve intervalo, as apresentações retornam com um brasileiro que é parte, não somente da ANM Brasil, mas também da ANM Francesa e da Fiocruz. O Acad. Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro ministrou a palestra sobre Oswaldo Cruz, contando detalhes ainda não mencionados, curiosidades sobre o cientista e suas contribuições. 

Abordando agora a história de Pasteur, o Acad. francês Patrice Debré ministrou uma palestra sobre o tema Louis Pasteur: do Cristal ao Hospital (Louis Pasteur: du Cristal à l’hôpital). Nessa apresentação é contado tudo sobre a carreira do cientista, principalmente sobre os seus experimentos, o Acadêmico destaca que devem ser analisados pela visão química e pela física. Ainda é abordado a mudança de Pasteur para biologia e os diferentes casos testados por ele em animais.

Quando pensamos no enfrentamento da pandemia do Covid-19, a Fiocruz é um dos principais órgãos que nos vem à mente. Seu trabalho se tornou referência e o Vice-Presidente Marco Aurélio Krieger ministrou a palestra sobre o assunto, Fiocruz e o enfrentamento da pandemia Covid-19. Nessa apresentação foi explicado os principais pilares da instituição no enfrentamento ao Coronavírus e o legado deixado por ela com os hospitais de campanha. Outro ponto importante é a consolidação da Fiocruz como referência, principalmente na produção de vacina e testagem, com mais de um milhão de testes por semana no início da pandemia.

Fechando a tarde de simpósio, o Acad. Yves Buisson apresentou o tema Uma epidemia pode ser interrompida pela vacinação? (Peut-on arrêter une épidémie par la vaccination?). O Acadêmico começa lembrando da vacinação em massa que ocorreu no Brasil durante a Ditadura Militar e afirma que hoje em dia é mais difícil repetir uma movimentação como essa. É afirmado que para acontecer essa urgência na imunização, é necessário um número de mortalidade muito alto e diferentes critérios devem ser analisados, como os recursos, financiamento, publicidade, o treinamento de profissionais capacitados e a vontade política do país.


Para assistir o simpósio na íntegra, visite o nosso canal no Youtube.

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.