Transmissão ao vivo
EnglishPortuguêsEspañol

Em simpósio na Academia Nacional de Medicina, Poluição e seus impactos para saúde são os protagonistas

23/09/2022
Simpósio Poluição e Saúde

Na última quinta-feira (22), o simpósio semanal da Academia Nacional de Medicina (ANM) abordou o tema Poluição e Saúde, organizado pelo Acadêmico Paulo Saldiva e o Acadêmico Walter Zin, responsável por abrir a primeira parte do evento. Ambos ressaltaram a importância do assunto e as preocupações com os efeitos da poluição na sociedade.

A primeira apresentação foi feita pela professora Lea Grinberg, da Universidade da Califórnia em São Francisco. Ela ministrou o tema Poluição do Ar e Doenças Neurodegenerativas, em que definiu a doença como uma “perda progressiva dos neurônios” e a causa demência, déficit cognitivo e motor. Apenas uma pequena parcela desses casos neurodegenerativos são genéticos, a maioria deles é aleatório. A professora ainda ressalta que os gastos são maiores que com câncer e doenças do coração. Os números não mentem e os estudos mostrados abordam a prevenção e a relação da poluição com o déficit cognitivo, mas ainda são informações com poucas evidências.

A apresentação seguinte foi da professora Mariana Veras, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), com o tema Mecanismos de Acesso de Micropartículas ao Sistema Nervoso Central. Nele, foi abordado os efeitos negativos da poluição em diferentes áreas da saúde, como no sistema respiratório, cardiovascular, endócrino, entre outros. Ela também pontuou as implicações no Sistema Nervoso Central (SNC), causando as doenças neurodegenerativas e explicou os estudos experimentais, que são pioneiros no entendimento de como as partículas chegam aos tecidos e ao SNC. Para finalizar, ela também abordou as pesquisas feitas pela sua equipe no Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental.

Simpósio Poluição e Saúde

Na segunda parte do simpósio, as apresentações retornaram com o tema Poluição do Ar e Gestação, ministrado pela professora Rossana Pulcinelli Francisco, da FMUSP. Foi abordado as principais complicações que as consequências da poluição podem trazer, entre elas: mortalidade, prematuridade, baixo peso ao nascer, pré-eclâmpsia e diabetes gestacional. Outro fator importante é que essa exposição em excesso pode contribuir até mesmo com mudança genética no bebê, e a poluição deixa ainda mais difícil todas as mudanças fisiológicas que a mulher passa. Para entender os efeitos e o impacto, a equipe da professora Rossana fez um estudo com gestantes da cidade de São Paulo com diferentes medidores e obtiveram o resultado que afirmam: quanto mais precoce o contato do bebê com a poluição, pior para o organismo dele.

Finalizando o simpósio, o tema Poluição do Ar e Superfície Ocular foi ministrado pelo Acad. Paulo Saldiva, pois o palestrante, professor Alejandro Berra, não pode comparecer. O Acadêmico exibiu uma pesquisa feita em duas cidades de São Paulo, a capital paulista e Divinolândia, para entender o impacto da poluição ocular. A localização foi escolhida justamente pela diferença de tamanho e população, e os resultados mostraram uma discrepância entre elas, então a equipe decidiu realizar diferentes testes para entender melhor a situação, separando até mesmo os trabalhadores da mineração para ter diferentes índices sobre a resistência do organismo.


Antes de encerrar a sessão, o Presidente da ANM, Acadêmico Francisco Sampaio, fez perguntas aos palestrantes e abriu para comentários dos Acadêmicos. Para assistir o simpósio na íntegra, visite o nosso canal no Youtube.

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.