Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EnglishPortuguêsEspañol

IVO ABRAHÃO NESRALLA

16/12/2020

É com profundo pesar que a Academia Nacional de Medicina (ANM) comunica o falecimento do acadêmico Ivo Abrahão Nersalla, da Secção de Cirurgia, ocupante da Cadeira 32, desde 2006. A ANM se solidariza nesse momento de dor com a família, confrades, confreiras e amigos.

Nesrallafoi o responsável pela colocação do primeiro coração elétrico implantável no Brasil, com grande repercussão em toda a América Latina (1999). No ano seguinte, fez a primeira cirurgia com uso da técnica robótica na América Latina. Suas conquistas na medicina foram de longa data. Em 1970, realizou cirurgia de revascularização do miocárdio, com ponte de veia safena, uma das primeiras no Brasil e a primeira no Rio Grande do Sul. Em 1973, empregou, pela primeira vez no país, a técnica da hipotermia profunda e parada circulatória total, para correção de defeito congênito complexo, em crianças de baixo peso. Em 1984, realizou o primeiro transplante cardíaco do Rio Grande do Sul, retomando o programa de transplante cardíaco no país. 

De origem libanesa, Nesralla ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1957, graduando-se em 1962. O acadêmico, fundou e organizou o atendimento médico nas vilas populares – o primeiro serviço do gênero. Durante o curso, foi convidado a compor a primeira equipe de cirurgia torácica e cardiovascular. 

Em Porto Alegre, assumiu a chefia do Serviço de Cirurgia Cardiovascular do Departamento de Cirurgia da UFRGS e, em paralelo, idealizou e colocou em funcionamento o serviço de cirurgia cardiovascular do Instituto de Cardiologia do RS, onde foi chefe por muitos anos. O acadêmico realizou mais de 45.000 cirurgias do coração e dos grandes vasos, e mais de uma centena de transplantes cardíacos.

Foi presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (1985-1987) e da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (1989 e 1990). Foi eleito também, por duas vezes consecutivas, diretor-presidente da Fundação Universitária de Cardiologia, entre 1993 e 1999. Em março de 1997, foi eleito presidente da Academia Sul Rio Grandense de Medicina.

Na área da cultura, também assumiu, em 1998 a presidência da II Bienal de Artes Visuais do Mercosul realizada pela Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul em parceria com os ministérios da Cultura, Educação e Relações Exteriores, do Governo do Estado do RS e prefeitura de Porto Alegre. Em agosto de 2000, foi reconduzido à presidência da III Bienal de Artes Visuais do Mercosul.

Foi agraciado com o título de cidadão emérito de Porto Alegre, pela Câmara Municipal de Vereadores, 1991. Recebeu ainda, em 2001, a Comenda da Ordem do Mérito Cultural e, em 2002, a medalha Cidade de Porto Alegre.

Nesralla faleceu hoje, dia 16 de dezembro de 2020, em decorrência de uma parada cardíaca, em casa, em Porto Alegre, aos 82 anos. Nesralla deixa a esposa, Paulita, os filhos Ivo, Carlos e Paula e netos.

Confira a íntegra da biografia do acadêmico: https://www.anm.org.br/ivo-abrahao-nesralla/

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.