Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EnglishPortuguêsEspañol

Manoel Francisco Peixoto

Nasceu em 22 de dezembro de 1805, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Filho de Capitão Manoel Francisco Peixoto e D. Joanna Rosa Mathilde da Trindade.

Ávido de saber, ingressou na Academia Militar, única instituição que ensinava ciências naturais naquele período onde foi aprovado em Química (1827) e em Botânica Zoologia (1828).

Em 1835 fez o exame preparatório para a matrícula do curso de Farmácia da Escola de Medicina, e matriculando-se no mesmo ano, tirou as melhores notas, e conseguiu o seu título em 1837.

Já em 1835 foi nomeado Membro Titular da Secção de Farmácia da Academia Imperial de Medicina, por decreto da regência de 8 de maio, na ocasião em que a antiga Sociedade de Medicina foi elevada a Academia Imperial de Medicina. Trabalhou na secção de farmácia e nas reuniões gerais da academia por muito tempo com assiduidade.

O farmacêutico em seu discurso de pronunciamento na Academia Imperial de Medicina indagava a respeito do esvaziamento do curso farmacêutico em contraste ao curso médico. A classe dos farmacêuticos reivindicava que as faculdades deveriam ter o monopólio de concessão de diplomas como forma de restringir o exercício da farmácia aos homens da ciência de formação acadêmica.

Era membro da Sociedade de Instrumentação Elementar e Farmácia da Corte de D. Pedro II, e, membro honorário da Sociedade Pharmaceutica Luzitana. Atuou como escrivão da Irmandade Nossa Senhora da Candelária em 1850 e tornou-se tesoureiro de Recolhimento das Órfãs.

Faleceu em 1º de janeiro de 1851 no Rio de Janeiro, Brasil.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 49

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 15/10/1835

Posse: 15/10/1835

Sob a presidência: Joaquim Candido Soares de Meirelles

Falecimento: 01/01/1851

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 49

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 15/10/1835

Posse: 15/10/1835

Sob a presidência: Joaquim Candido Soares de Meirelles

Falecimento: 01/01/1851

Nasceu em 22 de dezembro de 1805, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Filho de Capitão Manoel Francisco Peixoto e D. Joanna Rosa Mathilde da Trindade.

Ávido de saber, ingressou na Academia Militar, única instituição que ensinava ciências naturais naquele período onde foi aprovado em Química (1827) e em Botânica Zoologia (1828).

Em 1835 fez o exame preparatório para a matrícula do curso de Farmácia da Escola de Medicina, e matriculando-se no mesmo ano, tirou as melhores notas, e conseguiu o seu título em 1837.

Já em 1835 foi nomeado Membro Titular da Secção de Farmácia da Academia Imperial de Medicina, por decreto da regência de 8 de maio, na ocasião em que a antiga Sociedade de Medicina foi elevada a Academia Imperial de Medicina. Trabalhou na secção de farmácia e nas reuniões gerais da academia por muito tempo com assiduidade.

O farmacêutico em seu discurso de pronunciamento na Academia Imperial de Medicina indagava a respeito do esvaziamento do curso farmacêutico em contraste ao curso médico. A classe dos farmacêuticos reivindicava que as faculdades deveriam ter o monopólio de concessão de diplomas como forma de restringir o exercício da farmácia aos homens da ciência de formação acadêmica.

Era membro da Sociedade de Instrumentação Elementar e Farmácia da Corte de D. Pedro II, e, membro honorário da Sociedade Pharmaceutica Luzitana. Atuou como escrivão da Irmandade Nossa Senhora da Candelária em 1850 e tornou-se tesoureiro de Recolhimento das Órfãs.

Faleceu em 1º de janeiro de 1851 no Rio de Janeiro, Brasil.

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.