Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EnglishPortuguêsEspañol

Uma vida dedicada ao coração das pessoas

13/07/2021

Na Sessão Saudade em memória do acadêmico Fúlvio José Carlos Pileggi, realizada dia 6 de junho de 2021, na Academia Nacional de Medicina (ANM), o acadêmico Eduardo Moacyr Krieger destacou que ele teve uma excelente formação médica e científica, tendo completado sua formação no Instituto de Cardiologia do México, que na época era a maior instituição de cardiologia do mundo. 

Pileggi criou o Instituto do Coração de São Paulo (Incor), onde foi diretor por 15 anos. Entre as grandes qualidades humanas, era um homem íntegro e justo, trabalhava em sua sala de portas abertas para receber a todos. Bom pai, bom chefe de família, dedicado aos amigos, o imortal festejava a vida com bons pratos e bons vinhos, pontuou Eduardo Krieger. 

“Visionário e inovador, criou um ambiente médico de alto padrão, ambiente de pesquisa e inovação. Ele desenvolveu a infraestrutura para facilitar o desenvolvimento de pesquisa e criou a carreira de pesquisador. Dizia que “a chave da felicidade é sonhar e a chave do sucesso é tornar o sonho realidade.”

“É uma alegria ímpar poder falar nesse ambiente de um grande amigo na vida”, enfatizou o acadêmico Raul Cutait. Segundo ele, Pileggi foi um médico expoente em sua especialidade, além de incentivar sempre os mais jovens. 

“Jeitão irreverente, muito mais que um professor, ele gostava da vida de uma forma plena. Grande contador de histórias. Estilo de vida reservado, avesso a homenagens, marcou a cardiologia e marcou seus amigos. Fúlvio, obrigada por tudo, saudades!”

O acadêmico Fabio Biscegli Jatene destacou que o mestre foi o grande responsável pela projeção que o Incor tem atualmente. “Ele exerceu uma liderança com muita força, contribuindo para que o Incor pudesse crescer mais e mais. Dedicou-se ao Instituto de corpo e alma. Ele criou a maior escola de cardiologia no mundo. Seus discípulos foram notórios em todas as áreas da cardiologia. Com seu espírito inquieto, inovador e sempre agregando valor, Pileggi se dedicou a muitas gerações de médicos no país e no mundo”. 

Roberta Pileggi, filha do homenageado, disse que o pai tinha paixão por tudo o que fazia. “Ele teve paixão pela medicina, pelo Incor, pela família e pelos amigos. Meu pai dizia que devemos nos dedicar 110% às coisas que fazemos. Gostaria de agradecer a homenagem e é muito bom saber que não foi em vão. Valeu a pena toda trajetória do meu pai”. 

O evento contou com a abertura do presidente da ANM, Rubens Belfort Jr., e a explanação do secretário geral ANM, o acadêmico Carlos Eduardo Brandão. 

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.