Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Carlos da Silva Lacaz

Nasceu em 19 de setembro de 1915, em Guaratinguetá (SP).

Filho de Rogério da Silva Lacaz, professor de matemática, de quem também foi aluno, e de Judith Limongi Lacaz.

Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 1940.

Pesquisador, professor, administrador, escritor, personalidade marcante pela cultura solidamente adquirida e pela sóbria eloquência sempre evidenciada, o professor Carlos da Silva Lacaz conduziu suas atividades profissionais no mais alto nível ético e científico, constituindo-se exemplo às jovens gerações médicas e afirmativa da nobre tradição que respalda a História da Medicina no Brasil.

Iniciou suas atividades docentes como Assistente, já no 1° ano seguinte à formatura. Galgou todos os postos da hierarquia universitária através de concursos de títulos e provas. Professor Catedrático de Microbiologia e Imunologia e Professor Titular do Departamento de Medicina Tropical e Dermatologia da FMUSP. Foi Diretor da Instituição de 1974 a 1978, reformulou o ensino e criou novas vagas para a carreira universitária, abrindo os horizontes para novos docentes, entre os quais dezessete novas posições de Professor Titular, uma das quais destinada à Neurologia. Criou o Museu da FMUSP (atualmente Museu Carlos da Silva Lacaz), do qual foi Diretor Vitalício. Deu foro ao tombamento da Casa de Arnaldo, gigantesca tarefa que concluiu enquanto a dirigia. Definiu e regulamentou os Laboratórios de Investigação Médica (LIM) do Hospital das Clínicas da FMUSP, com os quais procurou-se dotar a instituição de um liame com a pesquisa médica básica, já que destas fora privada a escola pelo novo estatuto da Universidade de São Paulo.

Foi Secretário de Higiene e Saúde da Prefeitura de São Paulo e membro de dezenas de Sociedades Científicas nacionais e estrangeiras. Foi presidente da Academia de Medicina de São Paulo; da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia, Sociedade Brasileira de História da Medicina e o 3º Presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores.

Auxiliou na criação da Faculdade de Medicina de Sorocaba da PUC-SP; da Faculdade de Medicina de Jundiaí e da Faculdade de Medicina de Campinas, sendo, nas duas primeiras, Professor Titular do Departamento de Microbiologia e Imunologia.

Escritor e historiador da Medicina, tem em seu acervo cerca de 37 livros publicados, vários dos quais revivendo a memória das ilustres personalidades que engrandeceram a História da Medicina Brasileira. Participou de congressos, desenvolveu ininterrupta atividade didática através de inúmeros cursos, palestras e conferências realizadas, além das atividades curriculares diurnas. Pesquisador incansável, publicou mais de trezentos trabalhos científicos.

Recebeu diversos prêmios, podendo-se destacar os prêmios Domingos Niobey (1951) e Alfred Jurzykowski (1968), pela Academia Nacional de Medicina.

Sua aposentadoria ocorreu, por força de lei, em 1985, mas o Acadêmico continuou até o último de seus dias na Faculdade de Medicina da USP, nela desenvolvendo sua pesquisa científica e a ela dando o brilho de sua mente e o melhor do seu desempenho humano.

Teve seu nome expresso na denominação Lacazia loboi, como proposta à comunidade científica internacional para um novo gênero de fungo como agente etiológico da doença de Jorge Lobo.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada ”Infecções por Agentes Oportunistas. Casuística Pessoal”.

Faleceu em 23 de abril de 2002.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 498

Cadeira: 51 - João Paulino Marques

Membro: Titular

Secção: Medicina

Eleição: 26/05/1977

Posse: 22/09/1977

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Edmundo Vasconcellos

Antecessor: Moacyr Alves dos Santos Silva

Falecimento: 23/04/2002

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 498

Cadeira: 51 - João Paulino Marques

Membro: Titular

Secção: Medicina

Eleição: 26/05/1977

Posse: 22/09/1977

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Edmundo Vasconcellos

Antecessor: Moacyr Alves dos Santos Silva

Falecimento: 23/04/2002

Nasceu em 19 de setembro de 1915, em Guaratinguetá (SP).

Filho de Rogério da Silva Lacaz, professor de matemática, de quem também foi aluno, e de Judith Limongi Lacaz.

Graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 1940.

Pesquisador, professor, administrador, escritor, personalidade marcante pela cultura solidamente adquirida e pela sóbria eloquência sempre evidenciada, o professor Carlos da Silva Lacaz conduziu suas atividades profissionais no mais alto nível ético e científico, constituindo-se exemplo às jovens gerações médicas e afirmativa da nobre tradição que respalda a História da Medicina no Brasil.

Iniciou suas atividades docentes como Assistente, já no 1° ano seguinte à formatura. Galgou todos os postos da hierarquia universitária através de concursos de títulos e provas. Professor Catedrático de Microbiologia e Imunologia e Professor Titular do Departamento de Medicina Tropical e Dermatologia da FMUSP. Foi Diretor da Instituição de 1974 a 1978, reformulou o ensino e criou novas vagas para a carreira universitária, abrindo os horizontes para novos docentes, entre os quais dezessete novas posições de Professor Titular, uma das quais destinada à Neurologia. Criou o Museu da FMUSP (atualmente Museu Carlos da Silva Lacaz), do qual foi Diretor Vitalício. Deu foro ao tombamento da Casa de Arnaldo, gigantesca tarefa que concluiu enquanto a dirigia. Definiu e regulamentou os Laboratórios de Investigação Médica (LIM) do Hospital das Clínicas da FMUSP, com os quais procurou-se dotar a instituição de um liame com a pesquisa médica básica, já que destas fora privada a escola pelo novo estatuto da Universidade de São Paulo.

Foi Secretário de Higiene e Saúde da Prefeitura de São Paulo e membro de dezenas de Sociedades Científicas nacionais e estrangeiras. Foi presidente da Academia de Medicina de São Paulo; da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia, Sociedade Brasileira de História da Medicina e o 3º Presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores.

Auxiliou na criação da Faculdade de Medicina de Sorocaba da PUC-SP; da Faculdade de Medicina de Jundiaí e da Faculdade de Medicina de Campinas, sendo, nas duas primeiras, Professor Titular do Departamento de Microbiologia e Imunologia.

Escritor e historiador da Medicina, tem em seu acervo cerca de 37 livros publicados, vários dos quais revivendo a memória das ilustres personalidades que engrandeceram a História da Medicina Brasileira. Participou de congressos, desenvolveu ininterrupta atividade didática através de inúmeros cursos, palestras e conferências realizadas, além das atividades curriculares diurnas. Pesquisador incansável, publicou mais de trezentos trabalhos científicos.

Recebeu diversos prêmios, podendo-se destacar os prêmios Domingos Niobey (1951) e Alfred Jurzykowski (1968), pela Academia Nacional de Medicina.

Sua aposentadoria ocorreu, por força de lei, em 1985, mas o Acadêmico continuou até o último de seus dias na Faculdade de Medicina da USP, nela desenvolvendo sua pesquisa científica e a ela dando o brilho de sua mente e o melhor do seu desempenho humano.

Teve seu nome expresso na denominação Lacazia loboi, como proposta à comunidade científica internacional para um novo gênero de fungo como agente etiológico da doença de Jorge Lobo.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada ”Infecções por Agentes Oportunistas. Casuística Pessoal”.

Faleceu em 23 de abril de 2002.