Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Ernani Vitorino Aboim Silva

Nasceu em 23 de janeiro de 1927, em Juazeiro do Norte (CE).

Filho do Dr. João Vitorino, Médico, e Dona Branca Vitorino Aboim.

Realizou o Curso Médico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo sido monitor das cadeiras de Anatomia, Histologia e Interno de Clínica Cirúrgica. Na Faculdade, criou o Centro Acadêmico de Cultura Médica, Setor Científico do Diretório Acadêmico. Nesta fase, escreveu um trabalho sobre “Gangrena gasosa pós injeção” que foi apresentado no primeiro debate de Estudantes de Medicina do Rio de Janeiro.

Graduou-se em 1950. No ano de 1951, ingressou por concurso no quadro de Médicos do Corpo de Saúde da Marinha do Brasil, obtendo a aprovação em primeiro lugar, serviço no qual, após brilhante carreira, atingiu o posto de Vice-Almirante, a mais alta patente que pode um médico alcançar.

Em 1955, dirigiu a Divisão de Saúde da Base Naval de Salvador, onde criou o serviço de Cirurgia Experimental, destinado à pesquisa da formação hepatoesplênica da esquistossomose mansônica. Posteriormente, ocupou a chefia da Clínica Cirúrgica e a Vice-Diretoria (Interino) do Hospital Naval de Salvador. Em 1957, dirigiu a Clínica Cirúrgica do Hospital Naval Nossa Senhora da Glória – Rio de Janeiro.

Representou o Serviço de Saúde da Marinha do Brasil em congressos e conferências, no país e no estrangeiro.

Em 1980 assumiu a direção do Hospital Naval Marcílio Dias no Rio de Janeiro, onde criou a Escola de Saúde e o Instituto de Pesquisas, que o transformou em um dos centros mais avançados da medicina brasileira.

Professor Titular do Instituto de Pós Graduação Médica Carlos Chagas (Cadeira de Cirurgia Geral e Técnica Operatória e Cirurgia Experimental); Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Militar; Professor Adjunto de Técnica Operatória da escola Médica da Fundação Souza Marques; Membro Titular do Colégio Mundial de Cirurgiões do Aparelho Digestivo; Membro Titular do Colégio Americano de Cirurgiões Militar; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Cidadão Honorário do Estado do Rio de Janeiro.

Publicou no Brasil e no Estrangeiro: 81 trabalhos; 02 livros; 03 teses; 06 manuais em colaboração com colegas do Corpo de Saúde da Marinha, da Santa Casa de Misericórdia do Rio de janeiro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da UNIRIO e da Fundação Souza Marques. Nestas publicações os aspectos de Cirurgia, Ensino, Pesquisa, Experimentação, Administração Hospitalar e Medicina Operativa foram temas dominantes.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Isquemia Hepática – Contribuição Experimental à Cirurgia do Fígado”.

Faleceu em 22 de junho de 2020. 

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 533

Cadeira: 35 - José Thompson Motta

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 28/07/1983

Posse: 23/09/1983

Sob a presidência: Aloysio de Salles Fonseca

Saudado: Fernando João Baptista Coelho Pompeu

Antecessor: Cícero Bastos Monteiro

Falecimento: 22/06/2020

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 533

Cadeira: 35 - José Thompson Motta

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 28/07/1983

Posse: 23/09/1983

Sob a presidência: Aloysio de Salles Fonseca

Saudado: Fernando João Baptista Coelho Pompeu

Antecessor: Cícero Bastos Monteiro

Falecimento: 22/06/2020

Nasceu em 23 de janeiro de 1927, em Juazeiro do Norte (CE).

Filho do Dr. João Vitorino, Médico, e Dona Branca Vitorino Aboim.

Realizou o Curso Médico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo sido monitor das cadeiras de Anatomia, Histologia e Interno de Clínica Cirúrgica. Na Faculdade, criou o Centro Acadêmico de Cultura Médica, Setor Científico do Diretório Acadêmico. Nesta fase, escreveu um trabalho sobre “Gangrena gasosa pós injeção” que foi apresentado no primeiro debate de Estudantes de Medicina do Rio de Janeiro.

Graduou-se em 1950. No ano de 1951, ingressou por concurso no quadro de Médicos do Corpo de Saúde da Marinha do Brasil, obtendo a aprovação em primeiro lugar, serviço no qual, após brilhante carreira, atingiu o posto de Vice-Almirante, a mais alta patente que pode um médico alcançar.

Em 1955, dirigiu a Divisão de Saúde da Base Naval de Salvador, onde criou o serviço de Cirurgia Experimental, destinado à pesquisa da formação hepatoesplênica da esquistossomose mansônica. Posteriormente, ocupou a chefia da Clínica Cirúrgica e a Vice-Diretoria (Interino) do Hospital Naval de Salvador. Em 1957, dirigiu a Clínica Cirúrgica do Hospital Naval Nossa Senhora da Glória – Rio de Janeiro.

Representou o Serviço de Saúde da Marinha do Brasil em congressos e conferências, no país e no estrangeiro.

Em 1980 assumiu a direção do Hospital Naval Marcílio Dias no Rio de Janeiro, onde criou a Escola de Saúde e o Instituto de Pesquisas, que o transformou em um dos centros mais avançados da medicina brasileira.

Professor Titular do Instituto de Pós Graduação Médica Carlos Chagas (Cadeira de Cirurgia Geral e Técnica Operatória e Cirurgia Experimental); Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Militar; Professor Adjunto de Técnica Operatória da escola Médica da Fundação Souza Marques; Membro Titular do Colégio Mundial de Cirurgiões do Aparelho Digestivo; Membro Titular do Colégio Americano de Cirurgiões Militar; Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Cidadão Honorário do Estado do Rio de Janeiro.

Publicou no Brasil e no Estrangeiro: 81 trabalhos; 02 livros; 03 teses; 06 manuais em colaboração com colegas do Corpo de Saúde da Marinha, da Santa Casa de Misericórdia do Rio de janeiro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da UNIRIO e da Fundação Souza Marques. Nestas publicações os aspectos de Cirurgia, Ensino, Pesquisa, Experimentação, Administração Hospitalar e Medicina Operativa foram temas dominantes.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Isquemia Hepática – Contribuição Experimental à Cirurgia do Fígado”.

Faleceu em 22 de junho de 2020.