Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

José Maria Teixeira

Nasceu em 30 de setembro de 1854, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de Antônio Maria Teixeira.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1876, defendendo a tese intitulada “Mortalidade na Cidade do Rio de Janeiro”.

Integrou várias comissões por ocasiões de epidemia, sendo a primeira na província do Ceará após receber o grau de doutor, depois na cidade de Vassouras (1881), e em Campinas (1889).

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1878, apresentando a memória intitulada “Sobre a Febre Amarela em 1877, observada no Hospital Marítimo Santa Izabel”. Durante o período em que esteve na instituição exerceu os cargos de Secretário (1883-184; 1884-1885); Bibliotecário (1886-1887; 1887-1888; 1888-1889; 1889-1890; 1890-1891; 1891-1892; 1892-1893; 1893-1894).

Tornou-se lente da cadeira Matéria Médica e Farmácia na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e em 1880 através de concurso tornou-se professor da cadeira de Física e Química do Internato do Colégio Pedro II. Quatro anos depois, em 1884, prestou concurso para a cadeira de Física do Imperial Colégio Pedro II.

Integrou o Conselho Superior de Higiene, presidiu a Comissão Sanitária e foi Membro da Societé Française d’Higiène.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Mortalidade na Cidade do Rio de Janeiro” (1876); “Teoria dos Radicais” (1880); “Dupla Refração” (1884); “Das Incompatibilidades em Farmacologia” (1885); “Classificação e Nomeclatura Farmacêutica” (1886); “Estudos sobre a Febre Amarela” (1880); “Epidemia de Vassouras” (1881); “O Salicilato de Sódio na Febre Amarela” (1880); “Caracteres da Febre Amarela” (1883); “A Epidemia de Campinas” (1889); “Causas do Aumento das Lesões Cardíacas no Rio de Janeiro” (1886); “Causas da Mortalidade das Crianças no Rio de Janeiro” (1887); “A Febre Amarela nas Crianças” (1895).

Foi condecorado Cavaleiro da Ordem da Rosa.

Faleceu em 28 de maio de 1895.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 121

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção:

Eleição: 01/08/1878

Posse: 01/08/1878

Sob a presidência: José Pereira Rego (Barão do Lavradio)

Falecimento: 28/05/1895

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 121

Cadeira: -

Membro: Titular

Secção:

Eleição: 01/08/1878

Posse: 01/08/1878

Sob a presidência: José Pereira Rego (Barão do Lavradio)

Falecimento: 28/05/1895

Nasceu em 30 de setembro de 1854, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de Antônio Maria Teixeira.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1876, defendendo a tese intitulada “Mortalidade na Cidade do Rio de Janeiro”.

Integrou várias comissões por ocasiões de epidemia, sendo a primeira na província do Ceará após receber o grau de doutor, depois na cidade de Vassouras (1881), e em Campinas (1889).

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1878, apresentando a memória intitulada “Sobre a Febre Amarela em 1877, observada no Hospital Marítimo Santa Izabel”. Durante o período em que esteve na instituição exerceu os cargos de Secretário (1883-184; 1884-1885); Bibliotecário (1886-1887; 1887-1888; 1888-1889; 1889-1890; 1890-1891; 1891-1892; 1892-1893; 1893-1894).

Tornou-se lente da cadeira Matéria Médica e Farmácia na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e em 1880 através de concurso tornou-se professor da cadeira de Física e Química do Internato do Colégio Pedro II. Quatro anos depois, em 1884, prestou concurso para a cadeira de Física do Imperial Colégio Pedro II.

Integrou o Conselho Superior de Higiene, presidiu a Comissão Sanitária e foi Membro da Societé Française d’Higiène.

Publicou vários trabalhos de sua especialidade, dentre estes “Mortalidade na Cidade do Rio de Janeiro” (1876); “Teoria dos Radicais” (1880); “Dupla Refração” (1884); “Das Incompatibilidades em Farmacologia” (1885); “Classificação e Nomeclatura Farmacêutica” (1886); “Estudos sobre a Febre Amarela” (1880); “Epidemia de Vassouras” (1881); “O Salicilato de Sódio na Febre Amarela” (1880); “Caracteres da Febre Amarela” (1883); “A Epidemia de Campinas” (1889); “Causas do Aumento das Lesões Cardíacas no Rio de Janeiro” (1886); “Causas da Mortalidade das Crianças no Rio de Janeiro” (1887); “A Febre Amarela nas Crianças” (1895).

Foi condecorado Cavaleiro da Ordem da Rosa.

Faleceu em 28 de maio de 1895.