Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Luiz Carlos de Sá Fortes Pinheiro

Nasceu em 25 de setembro de 1916, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de D. Stella de Sá Fortes Pinheiro e de Dr. Jorge Castrioto Pinheiro, também médico. Fez o curso primário na escola primária Municipal do Campo de São Bento, em Niterói, de 1924 a 1927 e o Curso Secundário do Internato do Ginásio Mineiro de Barbacena, de 1929 a 1933.

Na Cidade de Barbacena fez o Serviço Militar na EIM- 144, anexa ao Ginásio, tornando-se Reservista de 2ª Categoria do Exército Nacional em 1933.

Fez curso Pré-Médico no Rio de Janeiro e, em 1936, após concurso Vestibular, onde tirou o 3º lugar entre 500 candidatos, matriculou-se na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, pela qual se diplomou em 1941. Foi o Primeiro Aluno da turma e por este fato, os Laboratórios Raul Leite, no momento de sua Diplomação, outorgaram-lhe uma Láurea. Diplomou-se também em Medicina Homeopática, no mesmo ano.

Em 1952 assumiu a chefia da 3ª Enfermaria de Cirurgia do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Em 1956, após aprovação em concurso, assumiu a Cátedra de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de janeiro.

Em 1962, passados mais de 20 anos de atividades profissionais e incentivado pela Láurea conquistada, concorreu a uma vaga na Egrégia Academia Nacional de Medicina.

Recebeu inúmeros prêmios e honrarias, dentre os quais é possível destacar o Prêmio de Anatomia Médico-Cirúrgica da Sociedade Acadêmica De Medicina e Cirurgia, em 1941; e o Prêmio Benjamin Baptista da Academia Nacional de Medicina, para o melhor trabalho sobre anatomia ou cirurgia experimental, em 1952.

Foi Membro Titular e Fundador do Colégio Anatômico Brasileiro (1942); Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1957); “Fellow” do Colégio Internacional de Cirurgiões (1976); Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Cancerologia; Membro da Academia Brasileira de Médico Escritores (ABRAMES) e Membro Honorário da Academia Brasileira de Medicina Militar.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Contribuição à Técnica da Esplenectomia Parcial. Bases Experimentais”.

Falecido em 26 de abril de 1985.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 521

Cadeira: 25 - João Benjamin Ferreira Baptista

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 04/06/1981

Posse: 22/09/1981

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Dagmar Aderaldo Chaves

Antecessor: Benjamin Vinelli Baptista

Falecimento: 26/04/1985

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 521

Cadeira: 25 - João Benjamin Ferreira Baptista

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 04/06/1981

Posse: 22/09/1981

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: Dagmar Aderaldo Chaves

Antecessor: Benjamin Vinelli Baptista

Falecimento: 26/04/1985

Nasceu em 25 de setembro de 1916, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de D. Stella de Sá Fortes Pinheiro e de Dr. Jorge Castrioto Pinheiro, também médico. Fez o curso primário na escola primária Municipal do Campo de São Bento, em Niterói, de 1924 a 1927 e o Curso Secundário do Internato do Ginásio Mineiro de Barbacena, de 1929 a 1933.

Na Cidade de Barbacena fez o Serviço Militar na EIM- 144, anexa ao Ginásio, tornando-se Reservista de 2ª Categoria do Exército Nacional em 1933.

Fez curso Pré-Médico no Rio de Janeiro e, em 1936, após concurso Vestibular, onde tirou o 3º lugar entre 500 candidatos, matriculou-se na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, pela qual se diplomou em 1941. Foi o Primeiro Aluno da turma e por este fato, os Laboratórios Raul Leite, no momento de sua Diplomação, outorgaram-lhe uma Láurea. Diplomou-se também em Medicina Homeopática, no mesmo ano.

Em 1952 assumiu a chefia da 3ª Enfermaria de Cirurgia do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Em 1956, após aprovação em concurso, assumiu a Cátedra de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de janeiro.

Em 1962, passados mais de 20 anos de atividades profissionais e incentivado pela Láurea conquistada, concorreu a uma vaga na Egrégia Academia Nacional de Medicina.

Recebeu inúmeros prêmios e honrarias, dentre os quais é possível destacar o Prêmio de Anatomia Médico-Cirúrgica da Sociedade Acadêmica De Medicina e Cirurgia, em 1941; e o Prêmio Benjamin Baptista da Academia Nacional de Medicina, para o melhor trabalho sobre anatomia ou cirurgia experimental, em 1952.

Foi Membro Titular e Fundador do Colégio Anatômico Brasileiro (1942); Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1957); “Fellow” do Colégio Internacional de Cirurgiões (1976); Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Cancerologia; Membro da Academia Brasileira de Médico Escritores (ABRAMES) e Membro Honorário da Academia Brasileira de Medicina Militar.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Contribuição à Técnica da Esplenectomia Parcial. Bases Experimentais”.

Falecido em 26 de abril de 1985.