Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Rui Monteiro de Barros Maciel

Nasceu em 30 de outubro de 1945, em São Paulo (SP).

Filho de Péricles Maciel e D. Lúcia Nair Monteiro de Barros Maciel.

Graduou-se em Medicina na Escola Paulista de Medicina (1970), onde foi residente em Clínica Médica e Endocrinologia (1971-74). Mestrado em Imunologia (1975-76) e Doutorado em Endocrinologia (1979-82), pela mesma instituição, onde alcançou a Livre-docência (1989) e tornou-se Professor Titular (1992-2016) e Professor Titular Sênior (2016).

Nos Estados Unidos, foi pesquisador na University of California Los Angeles (1976-78) e Professor Visitante na Harvard Medical School/Beth Israel-Deaconess Hospital (1986-88).

Suas atividades de pesquisa produziram mais de 220 artigos completos publicados em revistas indexadas, mais de 120 capítulos de livros, a edição de 6 livros e 27 orientações de mestrado e 32 de doutorado.

Entre as contribuições originais à pesquisa destacam-se a demonstração da conversão periférica do T4 em T3 na membrana celular (Endocrinology, 1979), a demonstração da produção autócrina de IGF (“insulin-like growth fator”) pela tireoide (J Clin Invest, 1988), a descrição de genes de suscetibilidade para a paralisia periódica tirotóxica em canais de potássio (Cell, 2010, e Nature Reviews, 2011) e contribuições à endocrinologia laboratorial (Clin Chem, 1998, J Clin Endocrinol Metab 2000 e 2016).

Na Unifesp, foi chefe dos médicos-residentes, membro da Comissão de Residência Médica, Presidente da Comissão de Residência Médica, Vice-chefe do Departamento de Medicina, chefe da Disciplina de Endocrinologia, membro da Comissão de Livre-Docência, coordenador de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa e pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa.

Recebeu, entre outros, os prêmios Múcio de Athayde de Combate ao Câncer, da Academia Nacional de Medicina (1985); o LATS-Prize, da Latin American Thyroid Society (1991); o SBEM-SP, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (2001); a Ordem Nacional do Mérito Científico (Comendador, 2002) e o José Scherman-Endocrinologista do Ano (2005), concedido pelo Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Prevalência de Fenótipos e Genótipos no Consórcio Brasileiro de Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2 (BRASMEN)”.

Currículo Lattes

Memória: “Prevalência de Fenótipos e Genótipos no Consórcio Brasileiro de Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2 (BRASMEN)”

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 670

Cadeira: 49 - Enjolras Vampré

Membro: Titular

Secção: Medicina

Eleição: 14/09/2017

Posse: 21/11/2017

Sob a presidência: Jorge Alberto Costa e Silva

Saudado: Rubens Belfort Mattos Junior

Antecessor: Hélcio Alvarenga

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 670

Cadeira: 49 - Enjolras Vampré

Membro: Titular

Secção: Medicina

Eleição: 14/09/2017

Posse: 21/11/2017

Sob a presidência: Jorge Alberto Costa e Silva

Saudado: Rubens Belfort Mattos Junior

Antecessor: Hélcio Alvarenga

Nasceu em 30 de outubro de 1945, em São Paulo (SP).

Filho de Péricles Maciel e D. Lúcia Nair Monteiro de Barros Maciel.

Graduou-se em Medicina na Escola Paulista de Medicina (1970), onde foi residente em Clínica Médica e Endocrinologia (1971-74). Mestrado em Imunologia (1975-76) e Doutorado em Endocrinologia (1979-82), pela mesma instituição, onde alcançou a Livre-docência (1989) e tornou-se Professor Titular (1992-2016) e Professor Titular Sênior (2016).

Nos Estados Unidos, foi pesquisador na University of California Los Angeles (1976-78) e Professor Visitante na Harvard Medical School/Beth Israel-Deaconess Hospital (1986-88).

Suas atividades de pesquisa produziram mais de 220 artigos completos publicados em revistas indexadas, mais de 120 capítulos de livros, a edição de 6 livros e 27 orientações de mestrado e 32 de doutorado.

Entre as contribuições originais à pesquisa destacam-se a demonstração da conversão periférica do T4 em T3 na membrana celular (Endocrinology, 1979), a demonstração da produção autócrina de IGF (“insulin-like growth fator”) pela tireoide (J Clin Invest, 1988), a descrição de genes de suscetibilidade para a paralisia periódica tirotóxica em canais de potássio (Cell, 2010, e Nature Reviews, 2011) e contribuições à endocrinologia laboratorial (Clin Chem, 1998, J Clin Endocrinol Metab 2000 e 2016).

Na Unifesp, foi chefe dos médicos-residentes, membro da Comissão de Residência Médica, Presidente da Comissão de Residência Médica, Vice-chefe do Departamento de Medicina, chefe da Disciplina de Endocrinologia, membro da Comissão de Livre-Docência, coordenador de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa e pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa.

Recebeu, entre outros, os prêmios Múcio de Athayde de Combate ao Câncer, da Academia Nacional de Medicina (1985); o LATS-Prize, da Latin American Thyroid Society (1991); o SBEM-SP, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (2001); a Ordem Nacional do Mérito Científico (Comendador, 2002) e o José Scherman-Endocrinologista do Ano (2005), concedido pelo Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Prevalência de Fenótipos e Genótipos no Consórcio Brasileiro de Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2 (BRASMEN)”.

Currículo Lattes

Memória: “Prevalência de Fenótipos e Genótipos no Consórcio Brasileiro de Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2 (BRASMEN)”