Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Walter Corrêa de Sá e Benevides

Nasceu em 04 de setembro de 1908, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Bernardino Corrêa de Sá e Olga de Schueler Benevides.

Graduou-se em 1929 pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Durante o curso médico frequentou, como Interno, os serviços dos professores Armênio Borelli, Antonio Austregésilo, Agenor Porto e Raul David de Sanson.

Em 1930, seguiu para Europa, onde fez estágio em Bordeaux e Viena, pelo período de dois anos. De volta ao Rio, em 1932, foi nomeado Assistente do serviço de Otorrinolaringologia do Professor Raul David de Sanson, na Policlínica de Botafogo. Discípulo dedicado do Mestre Sanson, foi, por ele, nomeado, em 1934, Assistente de Clínica de Ouvidos, Nariz e Garganta do Hospital São João Batista da Lagoa, Serviço que passou a chefiar em 1948.

Foi Professor Auxiliar de Moléstias Torácicas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Chefe da Secção de Endoscopia Peroral do Departamento de Moléstias do Tórax da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, nomeado, em 1948, pelo Chefe do Serviço, Professor Aloysio de Paula.

Em 1964 foi convidado oficial da Faculdade de Medicina de Rosário, Argentina, para participar do XI Congresso Argentino de Broncoesofagologia, onde foi orador, representando os convidados estrangeiros, e fez uma conferência sobre alguns aspectos dos Tumores Brônquicos.

Foi Presidente do Departamento de Otorrinolaringologia da Associação Médica de Língua Portuguesa e da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro. Foi Sócio-Fundador da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro, onde ocupou o cargo de Presidente por duas vezes.

Membro de diversas Sociedades Médicas, nacionais e internacionais, foi eleito, em 1966, e depois reeleito Presidente do “Boreau Internacional de La Fondation Portmann” (Association dês Anciens Élèves ET Amis de L`École Portmann) entidade cultural fundada em Bordeaux, reconhecida pelo Governo Francês. Eleito membro correspondente da Société Française d’ Oto-Rhino-Laryngologie et Pathologie Cervico-Faciale, em 1950.

Teve dezenas de trabalhos, artigos e livros publicados. Publicou dois ensaios relacionados à Medicina. Em 1970 “Compositores Surdos”, com alusões a Beethoven, Svetana e Faurés e, em 1974, “Molière e a Medicina”. Participou ativamente na literatura médica como diretor científico das revistas “Medicina de Hoje” e com o livro “Perguntas e Respostas em Otorrinolaringologia ”.

Participou de congressos nacionais e estrangeiros, e coordenou mesas redondas e conferências.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Das relações entre a patologia interna e a otorrinolaringologia”.

Faleceu em 02 de fevereiro de 1981.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 500

Cadeira: 73 - Hilário Soares de Gouvêa

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 22/09/1977

Posse: 10/11/1977

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: José Leme Lopes

Antecessor: Eduardo Augusto de Caldas Brito

Falecimento: 02/02/1981

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 500

Cadeira: 73 - Hilário Soares de Gouvêa

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 22/09/1977

Posse: 10/11/1977

Sob a presidência: Deolindo Augusto de Nunes Couto

Saudado: José Leme Lopes

Antecessor: Eduardo Augusto de Caldas Brito

Falecimento: 02/02/1981

Nasceu em 04 de setembro de 1908, no Rio de Janeiro (RJ).

Filho de Bernardino Corrêa de Sá e Olga de Schueler Benevides.

Graduou-se em 1929 pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Durante o curso médico frequentou, como Interno, os serviços dos professores Armênio Borelli, Antonio Austregésilo, Agenor Porto e Raul David de Sanson.

Em 1930, seguiu para Europa, onde fez estágio em Bordeaux e Viena, pelo período de dois anos. De volta ao Rio, em 1932, foi nomeado Assistente do serviço de Otorrinolaringologia do Professor Raul David de Sanson, na Policlínica de Botafogo. Discípulo dedicado do Mestre Sanson, foi, por ele, nomeado, em 1934, Assistente de Clínica de Ouvidos, Nariz e Garganta do Hospital São João Batista da Lagoa, Serviço que passou a chefiar em 1948.

Foi Professor Auxiliar de Moléstias Torácicas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Chefe da Secção de Endoscopia Peroral do Departamento de Moléstias do Tórax da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, nomeado, em 1948, pelo Chefe do Serviço, Professor Aloysio de Paula.

Em 1964 foi convidado oficial da Faculdade de Medicina de Rosário, Argentina, para participar do XI Congresso Argentino de Broncoesofagologia, onde foi orador, representando os convidados estrangeiros, e fez uma conferência sobre alguns aspectos dos Tumores Brônquicos.

Foi Presidente do Departamento de Otorrinolaringologia da Associação Médica de Língua Portuguesa e da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro. Foi Sócio-Fundador da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro, onde ocupou o cargo de Presidente por duas vezes.

Membro de diversas Sociedades Médicas, nacionais e internacionais, foi eleito, em 1966, e depois reeleito Presidente do “Boreau Internacional de La Fondation Portmann” (Association dês Anciens Élèves ET Amis de L`École Portmann) entidade cultural fundada em Bordeaux, reconhecida pelo Governo Francês. Eleito membro correspondente da Société Française d’ Oto-Rhino-Laryngologie et Pathologie Cervico-Faciale, em 1950.

Teve dezenas de trabalhos, artigos e livros publicados. Publicou dois ensaios relacionados à Medicina. Em 1970 “Compositores Surdos”, com alusões a Beethoven, Svetana e Faurés e, em 1974, “Molière e a Medicina”. Participou ativamente na literatura médica como diretor científico das revistas “Medicina de Hoje” e com o livro “Perguntas e Respostas em Otorrinolaringologia ”.

Participou de congressos nacionais e estrangeiros, e coordenou mesas redondas e conferências.

Na ocasião de sua candidatura a Membro Titular da Academia Nacional de Medicina, apresentou memória intitulada “Das relações entre a patologia interna e a otorrinolaringologia”.

Faleceu em 02 de fevereiro de 1981.