Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Henrique de Brito Belford Roxo

Nasceu em 4 de julho de 1877, no Rio de Janeiro. Filho de Raimundo Teixeira Belford Roxo e D. Maria Fausta de Brito Belford Roxo.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro, defendeu a tese “Duração dos atos psíquicos elementares nos alienados”, em 1901.

De 1904 a 1907, substituiu seu orientador, Acad. Teixeira Brandão, na direção do Pavilhão de Observações do Hospital Nacional de Alienados.

Frequentou a Clínica Psiquiátrica de Heidelberg e de München, onde se encontrava o psiquiatra alemão Emil Kraëpelin, pai da psiquiatria moderna e um dos primeiros estudiosos da psicose maníaco-depressiva, esquizofrenia e mal de Alzheimer, a fim de estudar mais com o mestre.

Em 1919, era professor substituto das Clínicas Neurológica e Psiquiátrica, tornando-se professor catedrático de psiquiatria em 1921 na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, mesmo ano em que publicou sua obra mais conhecida intitulada “Manual de Psiquiatria”.

Foi o primeiro diretor do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil – IPUB (1938-1946) e sua gestão foi marcada pela defesa de uma ciência psiquiátrica.

Foi membro da Société de Medicine Mentale e da Société Médico-Psychologique, ambas situadas em Paris, e do Comitê Internacional de Higiene Mental de Nova Iorque, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psiquiatria, Neurologia e Medicina Legal, criada para elaborar uma classificação psiquiátrica brasileira.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1922, apresentando a memória “Conceito clínico das parafrenias”. Durante o período em que esteve na instituição foi presidente da secção de Medicina Especializada (1934-1935) (1935-1936) e vice-presidente na gestão do Acad. Joaquim Moreira da Fonseca (1942-1943).

O “Instituto de Doenças Nervosas e Mentais” — que tinha como nome fantasia “Sanatório Henrique Roxo” — foi o primeiro a ser criado, em 1942, por médicos psiquiatras que tinham estudado com o professor catedrático de psiquiatria da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, o Acad. Henrique de Brito Belford Roxo.

Faleceu em 16 de fevereiro de 1969, no Rio de Janeiro.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 293

Cadeira: 20 - Francisco de Paula Cândido

Membro: Emérito

Secção: Medicina

Eleição: 21/09/1922

Posse: 26/09/1922

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Garfield Augusto Perry de Almeida

Emerência: 17/08/1961

Antecessor: Henrique de Sá

Falecimento: 16/02/1969

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 293

Cadeira: 20 - Francisco de Paula Cândido

Membro: Emérito

Secção: Medicina

Eleição: 21/09/1922

Posse: 26/09/1922

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Garfield Augusto Perry de Almeida

Emerência: 17/08/1961

Antecessor: Henrique de Sá

Falecimento: 16/02/1969

Nasceu em 4 de julho de 1877, no Rio de Janeiro. Filho de Raimundo Teixeira Belford Roxo e D. Maria Fausta de Brito Belford Roxo.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro, defendeu a tese “Duração dos atos psíquicos elementares nos alienados”, em 1901.

De 1904 a 1907, substituiu seu orientador, Acad. Teixeira Brandão, na direção do Pavilhão de Observações do Hospital Nacional de Alienados.

Frequentou a Clínica Psiquiátrica de Heidelberg e de München, onde se encontrava o psiquiatra alemão Emil Kraëpelin, pai da psiquiatria moderna e um dos primeiros estudiosos da psicose maníaco-depressiva, esquizofrenia e mal de Alzheimer, a fim de estudar mais com o mestre.

Em 1919, era professor substituto das Clínicas Neurológica e Psiquiátrica, tornando-se professor catedrático de psiquiatria em 1921 na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, mesmo ano em que publicou sua obra mais conhecida intitulada “Manual de Psiquiatria”.

Foi o primeiro diretor do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil – IPUB (1938-1946) e sua gestão foi marcada pela defesa de uma ciência psiquiátrica.

Foi membro da Société de Medicine Mentale e da Société Médico-Psychologique, ambas situadas em Paris, e do Comitê Internacional de Higiene Mental de Nova Iorque, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psiquiatria, Neurologia e Medicina Legal, criada para elaborar uma classificação psiquiátrica brasileira.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1922, apresentando a memória “Conceito clínico das parafrenias”. Durante o período em que esteve na instituição foi presidente da secção de Medicina Especializada (1934-1935) (1935-1936) e vice-presidente na gestão do Acad. Joaquim Moreira da Fonseca (1942-1943).

O “Instituto de Doenças Nervosas e Mentais” — que tinha como nome fantasia “Sanatório Henrique Roxo” — foi o primeiro a ser criado, em 1942, por médicos psiquiatras que tinham estudado com o professor catedrático de psiquiatria da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, o Acad. Henrique de Brito Belford Roxo.

Faleceu em 16 de fevereiro de 1969, no Rio de Janeiro.