Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Irineu Malagueta de Pontes

Nasceu em 3 de julho de 1890 na cidade de Caruaru, no Estado de Pernambuco. Filho de João Guilherme de Pontes e D. Amélia Magalhães de Pontes. Irmão do ex-deputado federal Gercino Malagueta de Pontes.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1917, defendendo a tese intitulada “Do corpo estriado”.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina no dia 18 de maio de 1928, apresentando memória intitulada “Xantomatose”. Em sua cerimônia de posse foi saudado pelo Acadêmico Antonio Austregésilo. Ocupou também cargos de Diretor da Biblioteca, Arquivo e Museu (1955-1957) e foi Diretor do Museu da Academia Nacional de Medicina (1957-1959). Em 18 de outubro de 1956 tornou-se Membro Emérito da instituição.

Esteve à frente de importantes comissões científicas e administrativas, como a Secretaria de Saúde e Assistência da antiga Prefeitura do Distrito Federal. Chefiou, durante muitos anos, a clínica da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, dirigiu o Hospital de Isolamento Francisco de Castro do Rio de Janeiro e trabalhou no Hospital São Sebastião. Foi também membro do Conselho Nacional do Trabalho.

O Dr. Irineu Malagueta foi um renomado professor de Clínica Médica e Doenças Tropicais da Faculdade Nacional de Medicina e da Faculdade de Ciências Médicas.

Ao longo de sua carreira acadêmica, publicou cerca de 78 obras de medicina e de letras eruditas, entre as quais estão “A vida de Laennec”, com prefácio do Acadêmico Miguel Couto, “Invalidez do Seguro Social”, com prefácio de Agamemnon Magalhães, “Diabetes Insípidos”, “Perfil de Joaquim Nabuco” e “Lição de uma vida: sir. William Osler”.

Faleceu em 2 de maio de 1964, em sua residência no Jardim Botânico, no Estado do Rio de Janeiro.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 315

Cadeira: 06 - Manoel de Valladão Pimentel (Barão de Petrópolis)

Membro: Emérito

Secção: Medicina

Eleição: 18/05/1928

Posse: 18/06/1928

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Antonio Austregésilo Rodrigues Lima

Emerência: 18/10/1956

Antecessor: Alfredo do Nascimento e Silva

Falecimento: 02/05/1964

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 315

Cadeira: 06 - Manoel de Valladão Pimentel (Barão de Petrópolis)

Membro: Emérito

Secção: Medicina

Eleição: 18/05/1928

Posse: 18/06/1928

Sob a presidência: Miguel de Oliveira Couto

Saudado: Antonio Austregésilo Rodrigues Lima

Emerência: 18/10/1956

Antecessor: Alfredo do Nascimento e Silva

Falecimento: 02/05/1964

Nasceu em 3 de julho de 1890 na cidade de Caruaru, no Estado de Pernambuco. Filho de João Guilherme de Pontes e D. Amélia Magalhães de Pontes. Irmão do ex-deputado federal Gercino Malagueta de Pontes.

Doutorou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1917, defendendo a tese intitulada “Do corpo estriado”.

Foi eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina no dia 18 de maio de 1928, apresentando memória intitulada “Xantomatose”. Em sua cerimônia de posse foi saudado pelo Acadêmico Antonio Austregésilo. Ocupou também cargos de Diretor da Biblioteca, Arquivo e Museu (1955-1957) e foi Diretor do Museu da Academia Nacional de Medicina (1957-1959). Em 18 de outubro de 1956 tornou-se Membro Emérito da instituição.

Esteve à frente de importantes comissões científicas e administrativas, como a Secretaria de Saúde e Assistência da antiga Prefeitura do Distrito Federal. Chefiou, durante muitos anos, a clínica da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, dirigiu o Hospital de Isolamento Francisco de Castro do Rio de Janeiro e trabalhou no Hospital São Sebastião. Foi também membro do Conselho Nacional do Trabalho.

O Dr. Irineu Malagueta foi um renomado professor de Clínica Médica e Doenças Tropicais da Faculdade Nacional de Medicina e da Faculdade de Ciências Médicas.

Ao longo de sua carreira acadêmica, publicou cerca de 78 obras de medicina e de letras eruditas, entre as quais estão “A vida de Laennec”, com prefácio do Acadêmico Miguel Couto, “Invalidez do Seguro Social”, com prefácio de Agamemnon Magalhães, “Diabetes Insípidos”, “Perfil de Joaquim Nabuco” e “Lição de uma vida: sir. William Osler”.

Faleceu em 2 de maio de 1964, em sua residência no Jardim Botânico, no Estado do Rio de Janeiro.