Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

José Chardinal D’Arpenans

Nasceu em 10 de outubro de 1866, no município de Taubaté, no Estado de São Paulo. Filho de Luiz Chardinal D’Arpenans e de D. Laura Chardinal D’Arpenans.

Clinicou durante anos em sua especialidade na Rua Augusto Severo, número 4.

Foi integrante da equipe de médicos, chefiada pelo Acad. Eduardo Chapot-Prévost, na realização da cirurgia que constituiu um marco na evolução da cirurgia mundial: a separação das meninas siamesas, Maria e Rosalina, de 7 anos de idade, em 1900.

Integrou o quadro de profissionais no Hospício Nacional dos Alienados no serviço oftalmológico em 1904 e depois da reforma de 1911 que mudou o nome do Hospício para Hospital Nacional dos Alienados, continuou a fazer parte do quadro de profissionais.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1906. Sua cerimônia de posse foi realizada no mesmo ano de sua eleição, sob a presidência do Acad. Antônio Augusto de Azevedo Sodré.

Em 1909, a pedido do Dr. Moncorvo Filho, ocupou o cargo de oftalmologista na Diretoria Geral de Higiene e Assistência Pública.

Faleceu em 28 de agosto de 1915.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 250

Cadeira: 72 - Belmiro de Lima Valverde

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 19/04/1906

Posse: 17/05/1906

Sob a presidência: Antônio Augusto de Azevedo Sodré

Saudado: Miguel da Silva Pereira

Falecimento: 28/08/1915

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 250

Cadeira: 72 - Belmiro de Lima Valverde

Membro: Titular

Secção: Cirurgia

Eleição: 19/04/1906

Posse: 17/05/1906

Sob a presidência: Antônio Augusto de Azevedo Sodré

Saudado: Miguel da Silva Pereira

Falecimento: 28/08/1915

Nasceu em 10 de outubro de 1866, no município de Taubaté, no Estado de São Paulo. Filho de Luiz Chardinal D’Arpenans e de D. Laura Chardinal D’Arpenans.

Clinicou durante anos em sua especialidade na Rua Augusto Severo, número 4.

Foi integrante da equipe de médicos, chefiada pelo Acad. Eduardo Chapot-Prévost, na realização da cirurgia que constituiu um marco na evolução da cirurgia mundial: a separação das meninas siamesas, Maria e Rosalina, de 7 anos de idade, em 1900.

Integrou o quadro de profissionais no Hospício Nacional dos Alienados no serviço oftalmológico em 1904 e depois da reforma de 1911 que mudou o nome do Hospício para Hospital Nacional dos Alienados, continuou a fazer parte do quadro de profissionais.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1906. Sua cerimônia de posse foi realizada no mesmo ano de sua eleição, sob a presidência do Acad. Antônio Augusto de Azevedo Sodré.

Em 1909, a pedido do Dr. Moncorvo Filho, ocupou o cargo de oftalmologista na Diretoria Geral de Higiene e Assistência Pública.

Faleceu em 28 de agosto de 1915.