Área do acadêmico Transmissão ao vivo
EN PT ES

Mário Taveira

Nasceu em 29 de novembro de 1902, na capital do Rio de Janeiro. Filho de Gastão Taveira e D. Maria Adelaide Taveira.

Formou-se em Farmácia pela Faculdade Nacional de Medicina em 1922, e doutorou-se em Medicina, na mesma instituição, em 1931.

Praticou através de trabalho voluntário no Laboratório Nacional de Análises do Ministério da Fazenda em 1925. Ainda no mesmo ano, com a realização de concursos, foi classificado para segundo químico no Laboratório Nacional de Análises e para a vaga de químico ensaiador do Laboratório Bromatológico.

Prestou serviço militar obrigatório sendo 2º Tenente Farmacêutico da reserva de 1º linha. Atuou como químico chefe do Setor de Laboratório Bromatológico do Departamento de Alimentação da P.D.F.

Na década de 1930, ministrou aulas de Química Analítica, como professor privativo, no curso de Farmácia da Escola de Medicina e Cirurgia e de Química Toxicológica e Bromotológica, da Faculdade Nacional de Farmácia da Universidade do Brasil. Foi professor de Química Fisiológica na Faculdade de Medicina na mesma instituição.

Em 1945, foi nomeado o primeiro Diretor da Faculdade Nacional de Farmácia, da Universidade do Brasil, onde exerceu a função por vários períodos, totalizando 19 anos. No exercício do cargo levado a efeito à frente da instituição, não só deu provas da sua competência administrativa, como também da sua larga visão dos problemas atinentes ao exercício e ensino da profissão.

Suas atividades no magistério, não se restringiram ao meio civil, pois foi professor do Curso de Emergência de Farmácia Militar para Farmacêuticos, no então Ministério da Guerra, por ocasião do IIº conflito mundial beligerante que ocorria na Europa.

Foi membro de conselhos e comissões examinadoras para magistério superior, sociedades e associações nacionais e internacionais, tais como sócio da Sociedade Brasileira de Química, sócio da Associação Brasileira de Farmacêuticos, membro e presidente da Academia Nacional de Farmácia, membro de la Sociéte de Chimie Biologique de Paris, membro correspondente da Sociedade de Medicina Legal da França.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1960, com a memória intitulada “Ocorrências de toxicoses industriais em locais de trabalho na orla marítima do Distrito Federal”.

Foi homenageado com nome de logradouro, Rua Mário Taveira, no bairro da Taquara, no Rio de Janeiro.

Faleceu em 3 de fevereiro de 1978, no Rio de Janeiro.

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 438

Cadeira: 99 - Oscar Frederico de Souza

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 03/06/1960

Posse: 06/08/1960

Sob a presidência: Ugo Pinheiro Guimarães

Saudado: Olyntho Luna Freire de Pillar

Antecessor: Militino Cesário Rosa

Falecimento: 03/02/1978

Informações do Acadêmico

Número acadêmico: 438

Cadeira: 99 - Oscar Frederico de Souza

Membro: Titular

Secção: Ciencias aplicadas à Medicina

Eleição: 03/06/1960

Posse: 06/08/1960

Sob a presidência: Ugo Pinheiro Guimarães

Saudado: Olyntho Luna Freire de Pillar

Antecessor: Militino Cesário Rosa

Falecimento: 03/02/1978

Nasceu em 29 de novembro de 1902, na capital do Rio de Janeiro. Filho de Gastão Taveira e D. Maria Adelaide Taveira.

Formou-se em Farmácia pela Faculdade Nacional de Medicina em 1922, e doutorou-se em Medicina, na mesma instituição, em 1931.

Praticou através de trabalho voluntário no Laboratório Nacional de Análises do Ministério da Fazenda em 1925. Ainda no mesmo ano, com a realização de concursos, foi classificado para segundo químico no Laboratório Nacional de Análises e para a vaga de químico ensaiador do Laboratório Bromatológico.

Prestou serviço militar obrigatório sendo 2º Tenente Farmacêutico da reserva de 1º linha. Atuou como químico chefe do Setor de Laboratório Bromatológico do Departamento de Alimentação da P.D.F.

Na década de 1930, ministrou aulas de Química Analítica, como professor privativo, no curso de Farmácia da Escola de Medicina e Cirurgia e de Química Toxicológica e Bromotológica, da Faculdade Nacional de Farmácia da Universidade do Brasil. Foi professor de Química Fisiológica na Faculdade de Medicina na mesma instituição.

Em 1945, foi nomeado o primeiro Diretor da Faculdade Nacional de Farmácia, da Universidade do Brasil, onde exerceu a função por vários períodos, totalizando 19 anos. No exercício do cargo levado a efeito à frente da instituição, não só deu provas da sua competência administrativa, como também da sua larga visão dos problemas atinentes ao exercício e ensino da profissão.

Suas atividades no magistério, não se restringiram ao meio civil, pois foi professor do Curso de Emergência de Farmácia Militar para Farmacêuticos, no então Ministério da Guerra, por ocasião do IIº conflito mundial beligerante que ocorria na Europa.

Foi membro de conselhos e comissões examinadoras para magistério superior, sociedades e associações nacionais e internacionais, tais como sócio da Sociedade Brasileira de Química, sócio da Associação Brasileira de Farmacêuticos, membro e presidente da Academia Nacional de Farmácia, membro de la Sociéte de Chimie Biologique de Paris, membro correspondente da Sociedade de Medicina Legal da França.

Eleito Membro Titular da Academia Nacional de Medicina em 1960, com a memória intitulada “Ocorrências de toxicoses industriais em locais de trabalho na orla marítima do Distrito Federal”.

Foi homenageado com nome de logradouro, Rua Mário Taveira, no bairro da Taquara, no Rio de Janeiro.

Faleceu em 3 de fevereiro de 1978, no Rio de Janeiro.